Vigilância em Saúde de Guararema captura amostra de carrapatos para análise em laboratório
O objetivo da análise é, no laboratório, detectar por exames moleculares a presença de bactérias causadoras de doenças, como a febre maculosa, por exemplo/ Foto: Divulgação
Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

Em continuidade à campanha de conscientização contra a infecção por carrapatos, iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde de Guararema, junto à Diretoria de Meio Ambiente, nessa terça-feira, 10, a Ilha Grande e o Recanto Américo (Pau D’Alho) receberam ações preventivas sobre o tema.

Foi realizada a captura de carrapatos com armadilhas com gelo seco que liberam gás carbônico (CO2) nos locais próximos à beira do rio, e com maior movimento de capivaras, que ocasionalmente servem como hospedeiras de carrapatos transmissores de doenças.

Após a coleta, a Vigilância em Saúde encaminhou as amostras para análise no Instituto Biológico.

O objetivo da análise é, no laboratório, detectar por exames moleculares a presença de bactérias causadoras de doenças, como a febre maculosa, por exemplo.

“Sabemos que o carrapato-estrela é o transmissor da febre maculosa no Brasil e, por conta disso, precisamos realizar o monitoramento das áreas de maior incidência das capivaras, que abrigam esses carrapatos”, explica a secretária de Saúde, Adriana Martins.

“Com a coleta dos carrapatos, a gente quer identificar, em laboratório, a presença destas bactérias, para dimensionarmos as ações que são necessárias”, completa.

Ação de conscientização 

No início de novembro, a ação de conscientização contra a contaminação por carrapatos foi ampliada em Guararema.

Agentes da prefeitura de Guararema deram início à entrega de panfletos informativos com dicas e recomendações para evitar o contato com os carrapatos que, por vezes, podem transmitir doenças.

Diversos bairros de Guararema receberam a visita dos agentes, principalmente aqueles que margeiam o Rio Paraíba do Sul.

Além disso, placas informativas foram instaladas em pontos turísticos de Guararema, como a Ilha Grande e o Pau D’Alho.

As placas informam sobre a necessidade de caminhar nas trilhas de ambos os parques, sobre a importância de não ter contato com as capivaras, hospedeiros dos carrapatos, e outras importantes recomendações.