Vereadores pedem mais espaços de acolhimento para pessoas em situação de rua em Mogi
De acordo com os parlamentares, em virtude da Pandemia do novo coronavírus houve um aumento significativo no número de pessoas em situação de rua, precisando de uma maior atenção das autoridades/ Foto: Diego Barbieri
Prefeitura de Guararema

Na sessão ordinária dessa quarta-feira, 18, o Legislativo de Mogi das Cruzes aprovou a Moção nº 63/2022, que fez um apelo às autoridades e secretarias municipais para que sejam disponibilizados mais espaços públicos para acolhimento das pessoas em situação de rua no município.

Os vereadores Edinho (MDB) e Osvaldo Silva (REP) são os autores da iniciativa.

De acordo com os parlamentares, em virtude da Pandemia do novo coronavírus houve um aumento significativo no número de pessoas em situação de rua, precisando de uma maior atenção das autoridades.

“Esta semana estamos enfrentando uma frente fria em nossa região, a massa de ar frio de origem polar começou a se espalhar sobre a região sudeste do país e está ocasionando uma forte queda da temperatura que perdurará nos próximos dias”, afirmaram.

Os vereadores Inês Paz (PSOL), Johnross (PODE) e Edson Santos (PSD) observaram que a Moção poderia ser de aplauso, posto que a Secretaria de Assistência Social já deu início às ações de acolhimento às pessoas em situação de rua.

Inês Paz, acrescentou que se informou através de uma reportagem que é mais comum as pessoas morrem de frio do que de fome.

“Ainda que de forma precária e inadequada é possível encontrar algo para comer, mas do frio nem sempre é possível se proteger”, afirmou a pessolista.

“A Secretaria de Assistência Social é uma das mais abertas às demandas da Câmara de Vereadores. A secretária Celeste me informou de todas as medidas em curso e que se for preciso irá ampliar o serviço de acolhimento para 24 horas, e que estão atuando junto com a rede de acolhimento e abrigamento”, explicou Jhonross (PODE).

“A partir das informações da Defesa Civil do Estado e a divulgação massiva da imprensa, a Secretária Celeste  informou que ampliou em 3 horas o serviço de acolhimento das pessoas em situação de rua. Além das 156 vagas nos abrigos foram criadas mais 20 vagas e que até agora não faltam vagas, mas que nem sempre a oferta é aceita por parte dos desabrigados. Se houver necessidade o Ginásio (Hugo Ramos) será aberto para receber pessoas em situação de vulnerabilidade. Além da atuação do poder público, igrejas e ONGs realizam a distribuição de cobertores, agasalhos e alimentos”, enfatizou Edson Santos.

De acordo com o vereador Edinho, a iniciativa tem por objetivo ampliar a busca por pessoas que estejam sofrendo com os efeitos negativos da frente fria.

“Apelo porque ainda vejo nos bairros uma situação mais crítica. Casas e associações não estão sendo visitadas e temos munícipes morrendo de frio até dentro de casa”, explicou o emedebista.

Mauro Yokoyama (PL) reforçou que para algumas pessoas o acolhimento não é bem-vindo e só querem ajuda através de emprego, o que nem sempre é possível conseguir de pronto.