Tapa na cara do povo: governistas seguem calando a boca do Legislativo em Poá
Até quando vai a Lei da Mordaça em Poá?/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Guararema

A sessão ordinária da Câmara de Poá dessa terça-feira, 8, novamente foi rodeada de polêmicas e discussões entre os parlamentares.

E para não fugir da “nova moda” do momento na cidade, os vereadores que são considerados base do governo da prefeita Marcia Bin (PSDB) dispensaram o uso da tribuna.

O pedido de dispensa foi apresentado pelo vereador e líder do governo, Tio Deivão (PL). O argumento utilizado pelo parlamentar foi o recente aumento de casos da Covid-19 no município.

“O único motivo de pedir a dispensa da tribuna por este vereador é que no período de seis dias houve seis mortes e uma diferença enorme de casos. E estamos em uma pequena aglomeração dentro de uma sala de 120 lugares. Estamos em 51 pessoas contando vereadores e o público presente. Temos que se precaver e por isso o pedido de dispensa”, declarou Tio Deivão.

Os vereadores que votaram favoráveis a dispensa da tribuna foram os seguintes: Tio Deivão (PL), Edevaldo Gonçalves (PRTB), Emerson Dentinho (PTB), Fabrício Brasa Chopp (PSDB), Lucas Ferrari (PSC), Marcílio Duarth (PL), Patrícia Bin do Testinha (PSDB), Welson Lopes (PL) e Marcio da Ranni (Republicanos).

Os parlamentares contrários a dispensa da tribuna foram: Jilmara Kirino Protetora (Avante), Edinho (Podemos),  Beto Melo (SD), Rogério Mathias (PTB), Dr. Saul Souza (Avante) e Saulo Dentista (DEM).

Após a votação, o vice-presidente da Câmara, Dr. Saulo Souza (Avante), solicitou a justificativa de voto e ressaltou que a dispensa da tribuna somente atrapalha as atividades do legislativo.

“É recorrente o pedido de dispensa de tribuna e no meu entender é um desserviço ao parlamento. Os vereadores possuem a liberdade de estar manifestando nessa tribuna, apontando inclusive os problemas de gestão muito graves na cidade e na medida em que dispensam a tribuna estão censurando o direito dos parlamentares colocarem seu ponto de vista”, enfatizou o vereador Dr. Saulo Souza.

Neste momento, o vereador foi interrompido pelo líder governista, Tio Deivão (PL), que reiterou o pedido de dispensa da tribuna afirmando que se trata de vidas a até utilizou o “bordão” de Saulo Souza para responder ao parlamentar. “Vidas valem mais do que coisa”.

O vereador Professor Rogério Mathias também justificou seu voto contrário a dispensa da tribuna e aproveitou o momento para atacar a vereadora Patrícia Bin do Testinha que não se calou, iniciando uma discussão tensa no Legislativo poaense.

“Eu fico muito triste em não podermos novamente estar utilizando a tribuna. Do começo do ano para cá, já perdi as contas de quantas vezes estão tentando calar os vereadores que estão lutando por uma cidade melhor. Aqui até a nobre vereadora Patrícia do Testinha que defende a prefeita sendo que ela mesma disse que aqui ela não é filha de ninguém é verdade. Aqui, você não é filha da Marcia do Testinha. Você é vereadora”, afirmou o Professor Rogério Mathias.

Neste momento, o parlamentar foi interrompido pela vereadora Patrícia Bin que retrucou as afirmações do Professor Rogério Mathias.

Confira trechos da pequena discussão: 

Patrícia Bin – Justamente aqui eu não sou filha do Testinha, impessoalidade!

Professor Rogério Mathias – Nós estamos querendo discutir os problemas da cidade e a nobre vereadora sempre defendendo a prefeita contra o povo.

Patrícia Bin – É posicionamento. Eu não subo aqui para fazer politicagem.

Professor Rogério Mathias – Politicagem quem faz é a turma do Testinha.

Após o início de discussão, o vereador Edinho também se pronunciou e ressaltou que a dispensa de tribuna sempre recorrente está feio desde quando começou as sessões legislativas neste ano.

“Quero parabenizar o vereador Tio Deivão, pois em cada sessão que passa ele vem mais versátil para fazer à justificativa. Eu respeito, mas não concordo. Cada dia que passa o que precisamos é combater uma justificativa do vereador Tio Deivão. Estamos impedidos de trabalhar e de falar. Está ridículo isso aqui”, relatou Edinho.

Nesse momento, Lucas Ferrari (aquele que discutiu com Edinho na última sessão) solicitou ao parlamentar o direito de falar, negado pelo vereador do Podemos.

Após as discussões, que acabaram de maneira silenciosa pelos parlamentares, a dispensa ficou suspensa durante a sessão.

Até quando vai a Lei da Mordaça em Poá? O repórter Gabriel Souza continuará fazendo a cobertura exclusiva das sessões na Câmara de Poá e denunciando essa falta de respeito (que acaba sendo de todo o Legislativo) dos representantes do povo com a população poaense.