Suzano e região regridem para a fase laranja a partir do dia 25. Em dois fins de semana ‘vai fechar tudo’
Além da Grande São Paulo e da Capital, que vão da fase amarela para a laranja, outras seis regiões passarão a partir de segunda-feira para a fase vermelha, a mais restritiva, em que só atividades essenciais podem funcionar/ Foto: Governo do Estado de SP
Tenda Atacado

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira, 22, que a Capital e a Grande São Paulo (onde estão todas as cidades do Alto Tietê) vão regredir a partir de segunda-feira, 25,  para a fase laranja do Plano SP, sendo que, durante a semana, entre as 20 horas e 6 horas da manhã, Suzano e demais cidades da região regredirão mais ainda de fase: entrarão na fase vermelha.

Sendo que em dois finais de semana, todas as cidades da região e do Estado também terão de seguir as regras da fase vermelha:  isso quer dizer que nos próximos dois finais de semana (dias 30 e 31 de janeiro e 6 e 7 de fevereiro) somente os serviços essenciais poderão funcionar.

Além da Grande São Paulo e da Capital, que vão da fase amarela para a laranja, outras seis regiões passarão a partir de segunda-feira para a fase vermelha, a mais restritiva, em que só atividades essenciais podem funcionar.

Segundo a nova atualização do Plano São Paulo, Bauru, Franca, Presidente Prudente, Sorocaba e Taubaté passam da laranja para a vermelha. Já Barretos vai direto da amarela para a vermelha, se unindo a Marília, que já estava na fase mais restritiva.

Araraquara, São João da Boa Vista, Campinas, Grande São Paulo e Baixada Santista passam da fase amarela para a laranja, que prevê o fechamento de bares para atendimento presencial e funcionamento de restaurantes apenas até as 20h, com capacidade reduzida.

Hospital de campanha reativado só na Capital  

Doria também anunciou que reativará o hospital de campanha de Heliópolis, na capital, com 24 leitos de UTI para a Covid-19.

A previsão é que a unidade de saúde comece a operar no dia 25 de fevereiro. Segundo o governador, a medida foi tomada para “enfrentar a segunda onda da pandemia.

“Estamos abrindo 756 novos leitos de UTI em São Paulo e reativando hospital de campanha de Heliópolis para enfrentar a segunda onda da pandemia em São Paulo, especialmente na Região Metropolitana. Serão abertos 450 novos leitos de enfermarias e 306 de UTI em hospitais do estado de São Paulo”, disse Doria.

Outra medida anunciada foi a suspensão de cirurgias eletivas. Nas próximas horas o Jornal Oi vai destacar outras informações apresentadas pelo governo Doria em relação ao Plano SP.