Suzano adota novas medidas restritivas a partir desta quarta. Cidade já atingiu 90% dos leitos ocupados
A iniciativa se deve ao aumento do número de casos registrados do novo coronavírus (Covid-19) e também da taxa de ocupação de leitos destinados às pessoas diagnosticadas com a doença, que passou de 21,8% para 71,8% em duas semanas/ Foto: Wanderley Costa/Secop Suzano
Tenda Atacado

A cidade de Suzano adotou novas medidas restritivas a partir desta quarta-feira, 3, com a proibição do funcionamento das atividades em praças, parques e jardins, bem como nas escolas municipais, estaduais e privadas.

A iniciativa se deve ao aumento do número de casos registrados do novo coronavírus (Covid-19) e também da taxa de ocupação de leitos destinados às pessoas diagnosticadas com a doença, que passou de 21,8% para 71,8% em duas semanas.

A decisão do prefeito Rodrigo Ashiuchi foi feita após reunião virtual nessa terça-feira, 2, com os membros do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), que estão anunciando novas restrições em suas respectivas cidades, e também com o governo do Estado de São Paulo, que apresentou os dados de crescimento de casos e de internações e adiantou que os próximos 11 dias serão críticos para a rede pública de saúde paulista.

“Nesta terça-feira, Suzano chegou a atingir 90% da taxa de ocupação dos leitos direcionados ao tratamento de pessoas diagnosticadas com a Covid-19. Por isso, estamos anunciando novas restrições com o objetivo de diminuir a disseminação do vírus e consequentemente o contágio”, informou Ashiuchi, ao apontar que, em 14 dias, 1.023 suzanenses foram infectados, sendo que 20 vieram a óbito.

Desta forma, o município adotou novas medidas, como o fechamento do Viveiro Municipal Tomoe Uemura, do PlayPet e do Parque Municipal Max Feffer – este último sendo aberto apenas para receber o público-alvo da vacinação, que ocorre na Arena Suzano até sábado, 6, das 9 às 17 horas.

Também não poderão acontecer atividades presenciais nas escolas das redes estaduais e privadas, podendo cada unidade de ensino se adequar até a próxima quinta-feira, 4.

“A rede municipal de Educação não havia retomado as aulas presenciais. Sendo assim, continuaremos com o ensino à distância e ampliaremos as mesmas regras ao Estado e à rede particular”, explicou.

Ainda nesta quarta-feira, Ashiuchi deverá se reunir com representantes da Associação Comercial e Empresarial (ACE) e com o Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio), a fim de estabelecer um equilíbrio nas decisões junto aos empresários e comerciantes.

Já na quinta-feira, às 9 horas, haverá outra reunião do Conselho de Prefeitos do Condemat para que organizem as medidas a nível regional, tendendo uma regressão às medidas da Fase 1 – Vermelha.

Mas, até lá, Suzano segue na Fase 2 – Laranja do Plano São Paulo com restrições. Na prática, é permitido o funcionamento do comércio por até oito horas diárias, com atendimento presencial limitado a 40% da capacidade, sendo que das 23 às 5 horas ocorre o “Toque de Restrições”, com o fechamento de todas as atividades consideradas não-essenciais, tendo ainda o fechamento das escolas e dos parques. O objetivo é evitar aglomerações e consequentemente impedir a disseminação do vírus.

É importante relembrar que o uso de máscara é obrigatório e os estabelecimentos em funcionamento devem seguir protocolos de higiene, como a oferta de álcool em gel, aferição de temperatura corporal, respeito ao distanciamento mínimo entre as pessoas e outras ações que visem a proteção de todos, principalmente de idosos, gestantes e quem sofre de doenças crônicas ou imunodeprimidas, conforme recomendações do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde.

“Volto a pedir que as famílias continuem se cuidando, evitando sair de casa e, em caso de necessidade, utilizem máscaras e álcool em gel, praticando o distanciamento social. Estamos no pior cenário desde que entramos na pandemia. Respeitar as medidas é respeitar a sua vida e a vida do próximo. Caso veja aglomeração, denuncie”, reforçou.

Os telefones para denúncias 24 horas são 4746-3297 e 153, da GCM, e 0800-771-3541, que é o disque-denúncia da Vigilância Sanitária do Estado. Durante o horário comercial, Suzano também dispõe da Ouvidoria Geral do Município (0800-774-2007) e do Setor de Fiscalização de Posturas (4745-2046).

Dados

Nesta terça-feira, Suzano registrou 11.130 casos, sendo 79 nas últimas 24 horas. Do total de pessoas infectadas, 379 morreram, enquanto que 8.693 se recuperaram. A taxa de ocupação média está em 71,8%, atingindo 90% no Pronto-Socorro Municipal.