Secretaria Estadual de Saúde ignora questionamentos sobre o Hospital de Suzano e sugere que não é preciso mais leitos para Covid na região
A Secretaria Estadual ignorou as perguntas sobre o Hospital de Suzano e indicou que não haveria a necessidade da instalação de novos leitos para Covid neste momento em Suzano e região/ Foto: Divulgação
Tenda Atacado

Na segunda-feira o Jornal Oi questionou a Secretaria Estadual de Saúde sobre a abertura de leitos para Covid no Hospital das Clínicas/Estadual de Suzano, uma vez que a quantidade de casos em Suzano e região cresceram nas últimas semanas e o governo do Estado prometeu (em março de 2020) instalar leitos de Covid (UTI) neste hospital.

Nas respostas (confira abaixo), a Secretaria Estadual ignorou as perguntas sobre o Hospital e indicou que não haveria a necessidade da instalação de novos leitos para Covid neste momento em Suzano e região.

Neste dia 7 de janeiro o governo do Estado fará uma nova atualização do Plano SP e a Secretaria Estadual de Saúde poderá confirmar se a região precisa ou não de mais leitos para pacientes com Covid e se a promessa da abertura no Hospital de Suzano (em caso de necessidade) será cumprida ou não.

As perguntas feitas pelo Jornal Oi no dia 4

Jornal Oi – Neste início de 2021 como será o atendimento no Hospital das Clínicas (Hospital Estadual) em Suzano em relação à pandemia?

Jornal Oi – Neste dia 4 o Hospital tem  quantos leitos de enfermaria ocupados e disponíveis para Covid?

Jornal Oi – Neste mês de janeiro haverá leitos de UTI para pacientes com Covid neste hospital?

Jornal Oi – Neste início de janeiro a região do Alto Tietê tem quantos leitos de UTI para pacientes com Covid-19 ocupados e quantos disponíveis?

Jornal Oi – Com base nos números da doença de dezembro na região do Alto Tietê, a Secretaria Estadual de Saúde vai aumentar ou não o número de leitos de internação para pacientes com Covid nas cidades do Alto Tietê?

Jornal Oi – Quantos mais deverão ser abertos?  Se não por quê?

As respostas da Secretaria Estadual de Saúde 

O Governo de SP trabalha nas análises técnicas para definição dos quantitativos de leitos em cada região. Toda medida é baseada em monitoramento do cenário e planejamento da rede, visando salvar vidas e assegurar atendimento igualitário.

A assistência a qualquer cidadão da região está garantida e se necessário pode ocorrer a abertura de novos leitos exclusivos para COVID-19.

Desde o começo da pandemia, o Governo de São Paulo já abriu mais de 500 leitos exclusivos e enviou mais de 130 respiradores para enfrentamento da doença.

Hoje (4) a taxa de ocupação na Grande São Paulo é de 65,3 % de UTI e 51,6% em enfermaria, e portanto a rede hospitalar segue com plenas condições de assistir casos graves do novo coronavírus. A atualização pode ser conferida diariamente no site: https://www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus.