Secretaria de Saúde de Suzano orienta sobre cuidados contra as síndromes gripais
Uso de máscara e higienização das mãos seguem imprescindíveis para evitar a contaminação/ Foto: Wanderley Costa/Secop Suzano
Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

A Secretaria de Saúde de Suzano emitiu nesta semana um alerta para a população a respeito da prevenção contra os vírus e infecções respiratórias, como a gripe e a Covid-19.

A medida acontece em razão do aumento de casos de síndrome gripal, entre leves e graves, na região Metropolitana de São Paulo.

O uso de máscara e higienização das mãos seguem imprescindíveis para evitar a contaminação e a transmissão das doenças.

Com a disseminação do Influenza H3N2 por todo o País e o aumento no número de casos do novo coronavírus na região, se faz necessário redobrar os cuidados que já vinham sendo tomados nestes quase dois anos de pandemia do novo coronavírus, como utilizar álcool gel, evitar aglomerações e o contato com pessoas gripadas ou resfriadas.

Os principais sintomas envolvem picos de febre, dor de garganta, tosse, secreção nasal excessiva e dor de cabeça.

O coordenador clínico do Pronto-Socorro Municipal, Silvanei Cardoso Mamed, ressaltou que a população também não deve compartilhar itens de uso pessoal, como talheres e copos, com outras pessoas, pois a prática representa um grande risco à saúde dos envolvidos.

Segundo ele, os sintomas apresentados são comuns entre as síndromes gripais e é difícil constatar de qual doença se trata imediatamente.

“As pessoas devem manter a calma, continuar em casa se hidratando e tendo uma boa alimentação. Caso o cidadão tenha febre alta ou haja sintomas sérios, a pessoa deve buscar auxílio médico”, explicou.

O cidadão que apresentar sintomas moderados pode buscar o posto de saúde mais próximo de sua casa das 7 às 17 horas.

No local, ele será avaliado, receitado e, se necessário, submetido ao teste de Covid-19, a fim de verificar a possibilidade de infecção.

Já os casos graves são encaminhados ao Pronto-Socorro Municipal, onde há estrutura para o acolhimento necessário às condições e eventuais procedimentos, caso haja necessidade de internação.

O diretor técnico do Pronto-Socorro, Walter Gilberto Guinger, alertou que este aumento de casos se dá em razão do relaxamento das pessoas com os cuidados após os resultados extremamente positivos obtidos pela campanha de imunização contra a Covid-19.

“A pandemia ainda não acabou. Nós, médicos, estamos trabalhando dois anos ininterruptos nesta luta para salvar vidas, mas ainda não é hora de comemorar e abandonar as máscaras. Para evitar que tenhamos uma sobrecarga no sistema de Saúde, precisamos da colaboração de todos para conter os casos e diminuir a circulação dos vírus”, reforçou.

Em sua fala, o titular da pasta, Pedro Ishi, enfatizou que, após termos enfrentado uma série de restrições intensas e picos de casos de Covid-19, não podemos deixar que o panorama estável que alcançamos regrida.

“A vacinação segue a todo vapor com a aplicação de doses de reforço e precisamos manter os cuidados, sempre com máscara e longe de aglomerações. Se cada um fizer a sua parte, poderemos conter o índice de transmissão das doenças e garantir a segurança de todos. É um esforço de todos, que se reflete não apenas na nossa saúde, mas também na de nossos familiares, amigos e colegas de trabalho”, alertou.