Saulo Souza vai encerrar a campanha com caminhada no centro de Poá: “Sentimento é de gratidão”
Ao lado de apoiadores e concorrentes ao cargo de vereador da legenda, Souza percorrerá as principais ruas do centro da cidade a partir das 15 horas/ Foto: Divulgação
Tenda Atacado

Uma caminhada na região central de Poá marcará neste sábado, 14, o encerramento da campanha do candidato a prefeito Saulo Souza (Avante).

Ao lado de apoiadores e concorrentes ao cargo de vereador da legenda, ele percorrerá as principais ruas do centro da cidade a partir das 15 horas.

A concentração acontecerá no comitê central de sua campanha, que funciona em uma tenda móvel instalada no cruzamento das avenidas Leonor Bolsoni Marques e Nove de Julho.

Ao longo dos últimos 50 dias, Saulo Souza visitou todos os bairros apresentando seu plano de governo e suas principais propostas para Poá, entre elas a instalação do Hospital de Diagnóstico e Imagem (HDI) na obra abandonada da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Calmon Viana, a criação do Passe Livre para Idoso, a castração gratuita permanente de animais e a implantação do programa Geração SER (Serviço, Educação e Renda), que prevê bolsa-auxílio para os estudantes que trabalharem nos órgãos municipais fora do horário da escola.

“O sentimento é de gratidão. Nosso projeto foi abraçado pela população poaense, que viu em nossa chapa a possibilidade de mudança real da cidade. Muitas famílias abriram suas portas para nós, o que nos dá a certeza de que estamos no caminho certo, porque quanto mais perto estamos do povo, mais longe estamos do erro”, destacou o candidato, que abriu mão de recursos do fundo eleitoral para a realização da sua campanha.

Saulo Souza também optou por não ter um comitê fixo, o que para ele geraria despesas desnecessárias.

Sua aposta foi em uma tenda instalada no centro da cidade, o que lhe permitiu chegar até a população.

“Criamos o comitê móvel para que pudéssemos ir ao encontro das pessoas, apresentando nossas propostas olho no olho, pessoa a pessoa, casa a casa, comércio a comércio, e não esperar que elas nos procurassem”, explicou.