Capital interrompe a reabertura (das escolas) após aumento de casos de Covid. Oi questiona o Condemat sobre a situação nas cidades da região
O Jornal Oi questionou a direção do Condemat (cujo presidente é o prefeito de Guararema, Adriano Leite – PL) sobre o crescimento (ou não) de internações e notificações de casos de Covid-19/ Foto: Divulgação
Tenda Atacado

Apesar de defender a estabilidade da Covid-19 em São Paulo, o prefeito Bruno Covas anunciou, nesta quinta-feira, 19, que as aulas dos ensinos infantil e fundamental não poderão ser retomadas no município.

De acordo com reportagem originalmente publicada pelo O Globo, as aulas presenciais só estão autorizadas a alunos do ensino médio, com apenas 20% dos estudantes em sala de aula, desde 3 de novembro.

No início do mês, quando a prefeitura anunciou a volta presencial ao ensino médio, havia uma expectativa de retorno do infantil e do fundamental. No entanto, essa volta segue sem data definida.

“Por conta da estabilidade (do coronavírus) não é momento de ampliar a flexibilização. Então não vamos liberar a ampliação da educação na cidade. Não é o momento de ampliar a flexibilização, como também não há nenhuma necessidade de retroceder no que já foi feito”, disse Covas, em coletiva de imprensa.

As taxas de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em São Paulo vêm registrando um aumento nos últimos dias, assim como o número de casos suspeitos.

No entanto, segundo a prefeitura, um dos principais dados para a não retomada das aulas presenciais é o censo sorológico realizado na comunidade escolar.

Os dados divulgados nesta quinta-feira mostram que dos 40.491 alunos testados até 16 de novembro, 22,7% apresentaram anticorpos para o coronavírus. Entre os 95.520 profissionais de saúde, 20% deram positivo.

“70% das crianças e jovens são completamente assintomáticas. Por outro lado, há baixa prevalência nos professores. A decisão de não voltar às aulas não é só proteção à criança, mas a um grupo de risco formado pelos professores”, defendeu o Edson Aparecido, secretário Municipal de Saúde.

Segundo a prefeitura, a próxima fase do censo, iniciada em 11 de novembro, começou a testar 332.834 alunos e professores da rede municipal. A terceira fase, ainda sem data definida, vai testar 245.297 pessoas das EMEIs e creches.

No final da manhã desta quinta-feira, o Jornal Oi questionou a direção do Condemat (cujo presidente é o prefeito de Guararema,  Adriano Leite – PL) sobre o crescimento (ou não) de internações e notificações de casos de Covid-19.

O Oi também perguntou se existe a necessidade de se implementar alguma restrição nas cidades da região em razão do aumento de casos de Covid. Os esclarecimentos do Condemat serão publicados assim que a direção do consórcio se manifestar.