Quatro consórcios que representam 38 cidades pedem apoio do Estado e da União no enfrentamento à pandemia
CONDEMAT, Consórcio do Grande ABC, CONISUD e CIOESTE definem articulação conjunta/ Foto: Divulgação
Campanha Tudo novo

Os presidentes dos consórcios intermunicipais da Região Metropolitana de São Paulo; Condemat (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê); Consórcio do Grande ABC; CIOESTE (Consórcio Intermunicipal da Região Oeste Metropolitana) e CONISUD (Consórcio Intermunicipal da Região Sudoeste da Grande São Paulo), que juntos representam 38 municípios, participaram na noite dessa segunda-feira, 24, de reunião para discutir medidas conjuntas para o enfrentamento da pandemia no cenário atual.

Durante a reunião, os prefeitos deliberaram a formatação de um ofício direcionado aos governos Estadual e Federal solicitando a ampliação da capacidade hospitalar para as regiões abrangidas pelos consórcios, ajuda financeira aos municípios, além de expor ao Governo do Estado, bem como cobrar providências, com relação às dificuldades enfrentadas na viabilidade de vagas de internação por meio do sistema CROSS – Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde.

De acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde a taxa atual de ocupação de leitos de UTI Covid na Grande São Paulo é de 65,5% e de Enfermaria é 67%

O presidente do Condemat e prefeito de Guarulhos, Guti, detalhou os números da região, com evolução no cenário epidemiológico no mês de janeiro em comparação a dezembro do ano passado e com altas taxas de ocupação nas unidades hospitalares de gestão estadual.

“Nós observamos um aumento muito grande nos índices da pandemia, e por outro lado temos falta de leitos, de testes e precisamos de apoio das esferas Estadual e Federal neste novo momento da pandemia”, disse.

O aumento de casos e as dificuldades dos municípios da região do CONISUD, também foram abordados pelo presidente e prefeito de Embu das Artes, Ney Santos.

“Independente do tamanho dos municípios, todos têm enfrentado dificuldades frente a este novo cenário em que crescem as incertezas sobre o fim da pandemia”, pontuou.

Outro tema debatido durante a reunião foi o início do ano letivo nas redes municipais, previsto para fevereiro.

Com a vacinação infantil em andamento, os prefeitos discutem medidas para tornar o retorno seguro para todos.

“Todos nós concordamos que não podemos mais ter perdas pedagógicas, porém precisamos ter cautela e é importante este alinhamento entre os consórcios para que as medidas tomadas sejam mais eficazes”, frisou o presidente do Grande ABC, Paulo Serra, prefeito de Santo André.

O presidente do CIOSTE e prefeito de Osasco, Rogério Lins sugeriu que os presidentes se reúnam periodicamente para discussões conjuntas.

“A atuação e articulação conjunta dos consórcios traz mais representatividade e fortalece as nossas demandas junto às esferas Federal e Estadual. Vamos nos reunir periodicamente para buscarmos soluções e decisões coletivas”, destacou.

Os presidentes dos consórcios voltam a se reunir no próximo dia 1º,  segundo a assessoria do Condemat.