Presidente está de olho no monstro partidário em gestação. Centrão da direita pode 3 siglas para criar o maior partido do Congresso. ‘E vamos aos negócios, tá ok’
São os urubus de sempre farejando carniça de sempre. Os brasileiros não merecem tantos sacanas fazendo tantas sacanagens/ Foto: Divulgação
Tenda Atacado

Reportagem produzida pelo site Poder 360 de Brasília revela que os partidos PSL, DEM e PP estão negociando uma fusão das 3 siglas em uma.

O novo partido, que reuniria todos os defeitos já consumados do chamado centrão velho com as limitações e distorções sociais da direita, seria o maior do Congresso, com 121 deputados e 15 senadores do centrão.

A negociação está em seus últimos estágios e o novo partido deve ser anunciado em breve.

De acordo com a reportagem a nova sigla terá um comando dividido entre os 3 partidos atuais.

A presidência ficará com Luciano Bivar, atualmente no comando do PSL. A vice-presidência com a ACM Neto, atual presidente do DEM.

Já o PP ficará com a Secretaria-Geral, representado por Ciro Nogueira, que é o atual presidente do partido.

Integrantes do PSL dizem que a fusão ainda é vista como rumor e a movimentação é totalmente encabeçada por Bivar.

No DEM, ACM Neto ainda tem resistência à união dos partidos. A criação do novo partido é esperada pelo presidente Jair Bolsonaro.

A expectativa é que ele filie-se à nova sigla e a utilize como plataforma para a sua campanha à reeleição no pleito presidencial de 2022.

Nesta 5ª feira, 22, Bolsonaro já indicou uma aproximação com o centrão. O presidente afirmou que faz parte do bloco e que pretende buscar apoio no Congresso.

“O Centrão é um nome pejorativo. Sou do Centrão. Fui do PP metade do meu tempo. Fui do PTB, fui do então PFL. No passado, integrei siglas que foram extintas”, disse o chefe do executivo ao rebater as críticas de que tenha entregado o governo ao centrão com a nomeação de Ciro Nogueira como ministro da Casa Civil.

Em 13 de julho, o filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), afirmou que Bolsonaro conversava com o PP sobre uma filiação.

Flávio afirmou na época que o presidente também dialogava com o PL e com o Republicanos.

O PSL seria o cabeça desse projeto de poder pelo  fato de ter como pré-candidato o jornalista policialesco e ultrapassado José Luiz Datena que se filiou ao partido.

De acordo com Luciano Bivar, presidente da legenda, a filiação do jornalista Datena ao partido e sua pré-candidatura à Presidência da República fizeram com que outras siglas se aproximassem.

São os urubus de sempre farejando carniça de sempre. Os brasileiros não merecem tantos sacanas fazendo tantas sacanagens.