Prefeitura convida para audiência sobre saneamento. Boigues destaca a importância do evento
O município está elaborando e revisando o Plano de Saneamento Básico do Município de Itaquaquecetuba- PMAE, com a finalidade de adequar às necessidades atuais/ Foto: Divulgação
Tenda Atacado

A prefeitura de Itaquaquecetuba, por meio da Secretaria de Meio Ambiente e Saneamento e a Sabesp, vão realizar uma audiência pública, virtual, no próximo dia 17, das 14 às 17 horas, no Facebook oficial da prefeitura.

Na ocasião, a pauta terá assuntos relacionados ao saneamento básico, que envolve abastecimento de água e esgotamento sanitário.

O município está elaborando e revisando o Plano de Saneamento Básico do Município de Itaquaquecetuba- PMAE, com a finalidade de adequar às necessidades atuais.

Nesta revisão, serão apresentadas propostas de novas ações a curto, médio e longo prazo, por tratar-se de um planejamento dinâmico, que depende de uma série de fatores para a execução.

Por ocasião da pandemia, os materiais referentes à audiência estão disponibilizados no site da prefeitura www.itaquaquecetuba.sp.gov.br, entre os quais, o formulário deve ser enviado por e-mail para semmaisitaquaquecetuba@gmail.com até o dia 17 de junho.

Esse material pode ser utilizado no dia, caso contribua para as referidas ações. Vale lembrar, que qualquer pessoa maior de idade, seja física ou jurídica pode participar.

O prefeito Eduardo Boigues explica que é muito importante a participação da população durante a audiência pública.

“É uma decisão que cabe à população opinar, dizer o que pensa e propor sugestões. É agora o momento de ter voz”, conta.

Já para o secretário de Maio Ambiente e Saneamento, João Carlos Navarro, é uma grande oportunidade para propor mudanças e readequações.

“Precisamos aproveitar esta oportunidade e sugerir as melhorias necessárias para a cidade. Precisamos acompanhar as novas demandas e a realidade de todo o município”, explica.

Depois de encerrada a reunião, as modificações realizadas serão enviadas para aprovação na Câmara de Vereadores, posteriormente Governo do Estado e então, a execução.