Prefeitos do Condemat conseguem apoio do Estado para custeio de novos leitos no Alto Tietê
Estado repassará o valor de R$ 14,7 milhões para custeio de unidades implantadas pelos municípios, além da previsão de abertura de mais 70 leitos nos hospitais estaduais/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Guararema

Após inúmeros pedidos e esforço conjunto para evitar o colapso do sistema regional de saúde, o Conselho de Prefeitos do Condemat – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê conseguiu nesta sexta-feira, 5, o aporte de R$ 14,7 milhões do Governo do Estado para custeio parcial de unidades de UTI e enfermaria.

O valor será repassado fundo a fundo para os municípios implantarem novos leitos nas unidades municipais ou para a contratação de leitos junto à iniciativa privada.

Além disso, há previsão de abertura de mais 70 leitos nos hospitais de gestão estadual da região, sendo 40 de enfermaria e 30 de UTI, nos hospitais Santa Marcelina, de Itaquaquecetuba; Dr. Arnaldo Pezzuti, em Mogi das Cruzes e Hospital das Clínicas, em Suzano.

O anúncio foi feito durante audiência do Condemat com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi que contou com as participações do presidente do Consórcio, Rodrigo Ashiuchi; dos prefeitos de Itaquaquecetuba, Eduardo Boigues; de Guarulhos, Guti Costa e de Mogi das Cruzes, Caio Cunha, além do secretário executivo, Adriano Leite.

Com o repasse, o consórcio espera abrir em curto prazo cerca de 80 leitos de UTI e 120 leitos de enfermaria que serão divididos entre os municípios de acordo com estudo de demanda e capacidade.

Inicialmente os leitos serão alocados em Arujá, Biritiba Mirim, Itaquaquecetuba, Guararema, Guarulhos, Mogi das Cruzes, Poá, Santa Isabel e Suzano, que têm capacidade para abertura dos leitos nas unidades municipais e privadas.

Desde o ano passado o Consórcio cobra do Estado a ampliação da oferta de leitos de UTI e enfermaria na região.

De acordo com o presidente do Condemat, Rodrigo Ashiuchi, a conquista irá beneficiar os 12 municípios consorciados, mesmo os municípios menores onde não há previsão de implantação de leitos de UTI.

“Essa união dos municípios é muito importante e fortalece o nosso pleito para que tenhamos a atenção merecida para a nossa região e para garantir o atendimento aos nossos mais de 3 milhões de habitantes”, disse.

Segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde, a taxa de ocupação de UTI na região do Alto Tietê é de 82,6% (data base 04/03), com 1.282 internações nos últimos 14 dias, sendo que somente ontem (04/03) 122 pessoas foram internadas nas unidades da região.

Os números de casos e óbitos também continuam a subir. Nos últimos 14 dias foram registrados 5.347 novos casos, enquanto nos 14 dias anteriores foram 3.907, uma alta de 27%. Já os óbitos tiveram uma evolução de 7% no mesmo período.

“O enfrentamento à pandemia depende de uma somatória de fatores, a ampliação de novos leitos dá um fôlego a mais para a região, mas são as atitudes individuais de cada cidadão que vão impedir que essa doença se alastre ainda mais contaminando mais pessoas e ceifando vidas, por isso é essencial que a população mantenha as medidas preventivas, use máscara, use álcool em gel e evite aglomerações”, reforçou.