Prefeito Caio Cunha responde aos questionamentos do Jornal Oi e reafirma: “Não vai ter pedágio em Mogi”
"Vou continuar lutando visceralmente contra este retrocesso para nossa cidade", enfatiza o prefeito de Mogi/ Foto: Divulgação
Colégio Eduki

O prefeito de Mogi das Cruzes, Caio Cunha (Pode), respondeu na noite desta sexta-feira, 14, aos questionamentos feitos pelo Jornal Oi sobre a publicação (pelo governo do Estado e Artesp) do edital de concessão das rodovias do Litoral Paulista que inclui (de acordo com as informações transmitidas pela Artesp) a implantação de uma praça de pedágio na cidade de Mogi.

Jornal Oi – Após a publicação nesta sexta-feira, 14, do edital pelo governo do Estado para concessão das rodovias do litoral para a iniciativa privada e com a previsão de instalação de pedágio em Mogi, o que o governo do prefeito Caio Cunha irá fazer de diferente para impedir que a praça de pedágio seja instalada?

Jornal Oi – Por que, na avaliação do prefeito, todos os pedidos do governo para que a praça de pedágio não seja instalada foram ignorados pelo Estado?

As manifestações do prefeito de Mogi   

A Artesp mostra seu despreparo em relação ao projeto, pois convoca uma entrevista coletiva sem a informação do local de instalação de uma praça de pedágio. É um desrespeito não só com os jornalistas participantes, mas com nossa cidade, com nossa população.

A licitação prevê que seja firmado um convênio para autorizar a Artesp a fazer alterações em vias municipais.

Este convênio NÃO SERÁ firmado em hipótese alguma pelo município. E qualquer acordo neste sentido que, porventura tenha sido feito em gestões anteriores, será revogado.

Inclusive, estamos estudando a possibilidade de judicializar este edital, justamente porque ele inclui alterações em elementos municipais em uma concorrência estadual.

Vou continuar lutando visceralmente contra este retrocesso para nossa cidade e repito: não vai ter pedágio em Mogi!