Poá: “É um prédio abandonado que fere a imagem do Judiciário e da prefeitura”, diz representante do TJ
A manifestação da diretora do TJ foi enviada para a prefeita de Poá para tratar de uma solução para o prédio que está abandonado na área central da cidade há 12 anos/ Foto: Reprodução
Colégio Eduki

“Vamos enviar uma equipe técnica para avaliar a situação do prédio e do entorno para ver o que pode ser feito e qual será a melhor medida a ser adotada. É um prédio que está abandonado e que fere a imagem do Judiciário e da prefeitura”, afirmou a diretora de Gestão de Locais de Trabalho do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), Vanessa de Toledo.

A manifestação da diretora do TJ foi enviada para a prefeita de Poá, Marcia Bin (PSDB), em uma reunião realizada na tarde de terça-feira, 8, para tratar de uma solução para o prédio que está abandonado na área central da cidade há 12 anos conforme denunciou o Jornal Oi no começo desta semana.

No imóvel em questão funcionou o Fórum de Poá até 2009, sendo que naquele ano ‘inventou-se’ que o prédio poderia afundar ou desabar – situação essa que não ocorreu até hoje.

Acompanhada pelo chefe de Gabinete, Lucas Bertagnolli, e Marcio Borzani (Governo e Administração), a prefeita Marcia Bin solicitou ao TJ ajuda para solucionar o problema que tem causado grandes transtornos para a municipalidade.

“Temos recebido muitas reclamações em relação ao prédio que tem sido utilizado constantemente por moradores de rua e usuários de drogas. Precisamos dar uma solução para este caso, e finalmente dar um retorno positivo aos munícipes”, destacou a prefeita de Poá.

De acordo com o chefe do Gabinete, em 2019 o Tribunal de Justiça decidiu pela demolição e para isso havia celebrado convênio com a prefeitura que ficou com a responsabilidade da execução, porém, em virtude da crise financeira pela qual o município atravessa ficou inviável finalizar o processo.

“O prédio está em uma situação lastimável, totalmente vandalizado e depredado. Contamos com o apoio do TJ para resolvermos este problema que já se arrasta há 12 anos”, afirmou Lucas Bertagnolli.

A equipe do Tribunal de Justiça afirmou que está preocupada com a situação do prédio e que tem total interesse na solução deste problema, sendo que a diretora Vanessa de Toledo reconheceu que o imóvel do jeito em que se encontra fere a imagem do TJ e também da prefeitura.

O Jornal Oi segue acompanhando o caso e já cobrou do TJ a data da vistoria prometida a prefeitura poaense.