Suzano e região deverão sofrer com as restrições da fase amarela durante a semana e com as da fase vermelha nos sábados e domingos
A região do Alto Tietê (bem como todo o Estado) poderá sofrer um retrocesso ainda mais forte aplicado pelo governo paulista/ Foto: Divulgação
Tenda Atacado

Conforme o Jornal Oi antecipou nessa quinta-feira, 21, as cidades do Alto Tietê (que fazem parte da Grande SP) deverão ser rebaixadas para a fase laranja do Plano SP de restrições as atividades econômicas como forma de impedir o crescimento dos casos de Covid-19.

Mas ‘a novidade’ na manhã desta sexta-feira, 22, é que a região do Alto Tietê (bem como todo o Estado) poderá sofrer um retrocesso ainda mais forte aplicado pelo governo paulista.

Sob o argumento de que os casos seguem aumentando no Estado de SP, o governador João Doria (PSDB) poderá informar no início da tarde desta sexta-feira que todo o estado fique na fase vermelha do plano de flexibilização econômica aos finais de semana e feriados.

Nela, apenas serviços essenciais como padarias, mercados e farmácias, podem operar. Nos dias úteis, a medida passará a valer no período noturno, a partir das 20 horas, para as regiões que estiverem na fase amarela e laranja da proposta.

Seis novas regiões devem regredir à fase vermelha, na qual atualmente está apenas Marília.

A Capital paulista e a Grande São Paulo também sofrerá alterações e ficarão na fase laranja, que não permite o funcionamento dos bares.

A informação sobre o retrocesso do Alto Tietê foi destacada ontem pelo Jornal Oi. O problema é que a região poderá ser impactada com os efeitos tanto da fase laranja nos dias de semana e da fase vermelha aos finais de semana e feriados.

Desde o início do ano, o governo paulista tem feito reclassificações semanais. No final de 2020, a gestão estadual chegou a colocar o estado na fase vermelha durante as festas de final de ano para tentar evitar aglomerações e, consequentemente, os riscos de contaminação.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, a disparada de casos e mortes atinge de forma mais alarmante o interior do estado.

“O que nós podemos observar neste momento é que o interior atinge seu pico na pandemia. Nós temos a maior média móvel dada historicamente no interior do estado. A pandemia atinge todo o território aqui do estado, mas o interior de forma mais contundente”, afirmou o secretário em entrevista ao Bom Dia SP na manhã desta sexta. “Estamos hoje com uma ocupação de UTI em torno de 71% na média do estado de SP, mas essa média supera o 75% em pelo menos seis regiões do estado de SP”, completou Vinholi.

Estado promete mais leitos de UTI para pacientes com Covid  

Ainda segundo o secretário, o estado ampliará nos próximos dias o número de leitos disponíveis na rede.

“Serão 700 novos leitos de UTI colocados em todo nosso território, e também a mobilização para que esses prefeitos possam agir com responsabilidade, aumentando as restrições ao longo desse período”.

Na terça-feira, 19, o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus, Paulo Menezes, já havia adiantado que a piora nas taxas de ocupação de UTI poderia levar ao rebaixamento da Grande São Paulo, que inclui a capital, e da região de Sorocaba.

Cinco municípios da Grande São Paulo já apresentaram índices acima de 80% na última sexta-feira, 15.

Isso fez com que o governo recomendasse que os prefeitos adotassem medidas da fase vermelha – a mais restritiva – mesmo que a região tivesse sido mantida na amarela.

Segundo a última reclassificação do Plano São Paulo, no dia 15 de janeiro, apenas a região de Marília foi rebaixada oficialmente para a fase vermelha.

Dez regiões estão atualmente na fase laranja, e outras seis, incluindo a Grande São Paulo, na amarela.

Números do Alto Tietê indicam que a região deve retroceder para a fase laranja  

Os municípios da região do Condemat (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê) continuam apresentando alta nos registros de coronavírus.

Nessa quinta-feira, 22, foram registrados 23 novos óbitos. Os casos confirmados chegaram a 88.517, já as vítimas fatais são 3.770.

O Alto Tietê registra 75,2% de taxa de ocupação em UTI Covid, mas algumas unidades de saúde apresentam dados mais preocupantes, como são os casos do Hospital Municipal de Mogi das Cruzes (81,6%) e do HMU (84,1%) e Pimentas (96,1%), em Guarulhos – dados do Censo BI do dia 20/01.

Nos últimos sete dias foram contabilizadas 649 novas internações de casos confirmados e suspeitos de Covid – contra 508 dos sete dias anteriores.