Centerpex Cinemas Suzano Shopping

Durante a noite desta terça-feira (20), os vereadores de Poá aprovaram em primeira votação o projeto de lei 26/2021, que deve congelar o auxílio alimentação dos servidores públicos municipais até o fim do estado de calamidade pública da cidade. A segunda votação foi interrompida pela invasão de servidores públicos no plenário.

A votação do projeto ocorreu durante sessão extraordinária, que aconteceu durante esta noite. No lado de fora da câmara municipal, os servidores públicos realizaram uma manifestação contra a aprovação do PL. Segundo informações de bastidores, com a aprovação do projeto, os profissionais devem avaliar e fazer uma possível greve nos próximos dias.

Votaram favoráveis ao projeto na primeira votação os seguintes vereadores: Tio Deivão (PL), Emerson Dentinho (PTB), Fábio Suru (PROS), Fabrício Brasa Chopp (PSDB), Henrique Novaes (PRTB), Lucas Ferrari (PSC), Marcílio Duarth (PL), Patrícia Bin do Testinha (PSDB) e Welson Lopes (PL).

Os vereadores que votaram contra o PL 26/2021 foram os seguintes: Edinho (Podemos), Jilmara Kirino Protetora (Avante), Márcio da Ranni (Republicanos), Beto Melo (SD), Professor Rogério Mathias (PTB), Dr. Saul Souza (Avante), Saulo Dentista (DEM).

Revoltado, os servidores acessaram o plenário da Câmara municipal e se manifestaram contra os vereadores. A sessão que deveria ter ido para a segunda votação do projeto foi suspensa, devido a presença dos servidores públicos no plenário.

Vereadores utilizaram a tribuna e falaram contra o PL 26/2021…

Ao subir na tribuna, o vereador Edinho do Kemel (Podemos), que também é líder do governo na câmara, convocou durante sua fala um minuto de silêncio em forma de repúdio ao projeto 26/2021 e deixou claro que deve abandonar a liderança do governo na câmara.

“Com muita tristeza, subo nessa tribuna. Sofremos tanto no mandato passado e agora neste inicio de novo mandato, as mesmas atitudes acontecem neste novo governo. Não podemos aprovar um projeto deste que vai afetar diversas famílias, sem uma discussão ampla com sindicatos e todas as categorias. Estou entregando a liderança nesse momento, pois não tenho condições de ser líder de um governo que não me respeita.” Afirmou Edinho do Kemel durante o uso da tribuna.

O presidente da câmara, Diogo Pernoca (PTB), também se manifestou contra o PL 26/2021, e relatou que gostaria de poder exercer o direito do voto e estar ao lado dos servidores públicos.

“Gostaria de vocês empatassem na votação deste projeto, pois eu me colocaria favorável e ao lados dos funcionários públicos da cidade. Empatem, e me ofereceram esse gosto de estar ao lado dos servidores.” Afirmou com tom grave na voz o presidente da câmara, Diogo Pernoca.

O vereador Marcio da Ranni (Republicanos), ao subir na tribuna, relatou alguns questionamentos feitos para o executivo em audiência pública, sobre as possíveis economias que o projeto poderia resultar em prol do munícipio, mas ressaltou, que o voto contrário se deve ao fato de não ter respostas de suas perguntas realizadas na última sexta-feira (16).

“Eu fiz vários questionamentos em audiência pública, porém ninguém do executivo estava aqui para acolher nossas perguntas, desta forma não posso votar favorável a este projeto. Não posso votar favorável para retirar direitos dos servidores públicos.” Afirmou o vereador.

O vereadores Doutor Saul Souza (Avante), Professor Rogério Mathias (PTB), Jilmara Kirino Protetora (Avante), também utilizaram a tribuna e se manifestaram contra o PL 26/2021.