PDT não vê traição na saída do vice, afirma desconhecer acordo para 2024 e reforça apoio ao governo Ashiuchi
Mauro Vaz avaliou que não houve qualquer tipo de traição da parte de Walmir Pinto e que a sua saída do partido, aliada a uma manifestação precipitada do ex-prefeito Marcelo Candido de que será candidato a prefeito em 2024, não podem e não devem afetar a relação entre o PDT e o PL no comando da Prefeitura de Suzano/ Foto: Divulgação
Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

Nesta segunda-feira, 20, a reportagem do Jornal Oi questionou o presidente do Diretório Municipal do PDT, que é comandado pelo diretor de Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde de Suzano e diretor da Unidade de Planejamento e Assuntos Estratégicos (Upae), Mauro Vaz, sobre o pedido de desfiliação do partido do vice-prefeito e secretário de Cultura, Walmir Pinto.

Os questionamentos se fazem extremamente necessários em razão da complexidade envolvida na posição de Walmir Pinto e do PDT no passado (2016), no presente (reeleição e início do segundo mandato) e no futuro onde haveria um possível acordo de apoio do PL a um candidato do PDT para as eleições de 2024.

Em linhas gerais, o presidente do partido na cidade garantiu ter ficado surpreso com a iniciativa do vice-prefeito de pedir para deixar a legenda em razão de posturas (do PDT Nacional e Estadual) que teriam prejudicado os esforços das lideranças da legenda em Suzano e região na eleição de 2020.

Vaz também avaliou que não houve qualquer tipo de traição da parte de Walmir Pinto e que a sua saída do partido (aliada a uma manifestação precipitada do ex-prefeito Marcelo Candido de que será candidato a prefeito em 2024) não podem e não devem afetar a relação entre o PDT e o PL no comando da Prefeitura e no trabalho que vem sendo desenvolvido em benefício da cidade.

Confira a seguir as principais perguntas do Jornal Oi as manifestações do Mauro Vaz. Uma segunda parte da entrevista será publicada nesta terça-feira, 21.

Jornal Oi – O pedido do vice-prefeito e secretário de Cultura de Suzano,  Walmir Pinto, para sair do PDT já era esperado pelo partido ou foi uma surpresa?

Jornal Oi – O pedido foi aceito pelo Diretório Municipal?

Jornal Oi – O PDT de Suzano concorda/aceita com os argumentos usados por Walmir Pinto para deixar a legenda?

Jornal Oi – A direção do PDT vê algum tipo de traição de Walmir Pinto com o partido e com as lideranças da legenda em Suzano?

Jornal Oi – Como fica a participação do PDT no governo, inclusive a do Mauro Vaz,  com a saída de Walmir Pinto do partido?

Jornal Oi – Haverá ajustes/perda de espaços?

Jornal Oi – O que a saída de Walmir Pinto influencia ou não em acordo que teria sido firmado em 2016 para que o candidato a prefeito em 2024 seja do PDT, com o apoio do PL e do atual prefeito Rodrigo Ashiuchi?

Jornal Oi – Esse movimento do vice-prefeito acaba com esse eventual acordo ou não?

Os esclarecimentos do presidente do PDT de Suzano

Fomos pegos de surpresa com essa decisão pessoal do Walmir Pinto que já estava descontente com algumas posturas do PDT Estadual e Nacional e não com a direção Municipal.

Ele tomou essa decisão de sair do partido e temos de entender e aceitar, mesmo o Walmir Pinto sendo uma parte importante do partido.

Sinto muito pela perda de uma liderança, mas o partido é integrado também por outras pessoas e lideranças; sentimos a saída dele, mas vamos seguir em frente.

O partido é maior que qualquer liderança. O PDT é progressista, é diferenciado e poderemos estar juntos mais a frente em uma eventual coligação partidária.

Sobre aceitar ou não aceitar os argumentos do Walmir Pinto para deixar o PDT não dá para dizer que os argumentos são bons ou não.

Foi uma decisão pessoal e todos os partidos têm características boas e ruins, sendo que a gente sempre tenta melhor o que não é bom e neste sentido não sei se sair de um partido resolve alguma coisa, mas essa é uma decisão pessoal.

Não vejo que tenha sido praticada qualquer tipo de traição com o partido.

Foi uma decisão pessoal e a gente respeita, pois o partido é livre e democrático e as pessoas podem tanto entrar como sair.

Em relação a essa pergunta se o PDT continua no governo, não muda nada; ocupo uma função estratégica na Vigilância Sanitária e na Unidade de Planejamento Estratégico.

O PDT está com o governo do prefeito Ashiuchi desde 2016, trabalhamos para que Suzano seja uma cidade mais decente e estamos conseguindo isso e não podemos deixar que essa questão partidária e pessoal contamine o trabalho que está sendo desenvolvido em benefício da cidade de Suzano.

Não tenho informação sobre esse acordo (de o PL apoiar o PDT em 2024). Estou no comando do partido em Suzano faz um ano e não acompanhei, não participei desse acordo de 2016 que se fala e fica difícil ou opinar a respeito.