Mogi: evento marca o Dia da Luta Antimanicomial, neste sábado, no Parque da Cidade
Neste ano, o evento é ainda mais especial porque marca o retorno das atividades presenciais após dois anos do confinamento gerado pela pandemia/ Foto: Divulgação
Campanha Tudo novo

Para antecipar as comemorações pelo Dia Nacional da Luta Antimanicomial, celebrado em 18 de maio, a Coordenação de Saúde Mental da Secretaria de Saúde de Mogi das Cruzes realiza um evento especial no próximo sábado, dia 14, no Parque da Cidade.

Das 08h30 às 12h30, o público poderá conhecer um pouco mais do trabalho desenvolvido pela equipe, prestigiar e participar de atividades como dança circular, coral, ioga, auriculoterapia, feira de artesanato, com peças elaboradas pelos próprios pacientes, e feira de troca.

As atividades fazem parte da Semana da Luta Antimanicomial, que é prevista na lei 5.820 de 2.005, e reúne diversas ações para lembrar a data.

“O Movimento da Luta Antimanicomial é um processo histórico das pessoas em sofrimento mental e dos profissionais da saúde pela garantia dos Direitos Humanos e Sociais e pelo cuidado em liberdade”, explica a coordenadora da Rede de Atenção Psicossocial- RAPS de Mogi das Cruzes, Patrícia Spila Thomaz.

Neste ano, o evento é ainda mais especial porque marca o retorno das atividades presenciais após dois anos do confinamento gerado pela pandemia.

“Mudamos todo o nosso cotidiano de forma abrupta, sentindo na pele o quanto isso é prejudicial para a saúde mental”, acrescenta a diretora de Rede Básica da Secretaria Municipal de Saúde, Tatiane Watanabe.

O evento contará com a participação de profissionais da Saúde e pacientes das unidades de Saúde Mental.

Cecco 

Além de participar do evento no Parque da Cidade, o Cecco – Centro de Convivência e Cooperativa  preparou outras atividades.

Nessa quinta, 12, a programação teve a exibição do documentário “Holocausto Brasileiro”.

Na próxima quarta, 18, os integrantes participam do ato de Luta Antimanicomial, na avenida Paulista, em São Paulo, e na quinta, 19, da roda de conversa sobre o tema “Rumos da Saúde Mental no Brasil”.

No dia 26 de maio será promovida uma assembleia geral e comemoração dos 12 anos de atividades do Cecco.

Rede de Atenção 

A Rede de Atenção Psicossocial – RAPS de Mogi das Cruzes conta com serviços especializados em Saúde Mental, além de sete unidades de referência para atendimento psicológico.

O primeiro passo para quem busca apoio é buscar a Unidade Básica de Saúde mais próxima para a escuta qualificada pela equipe técnica multiprofissional.

O atendimento psicológico é prestado em demanda livre nas unidades básicas de Nova Jundiapeba, Jardim Camila, Vila Suíssa, Ponte Grande, Santa Tereza (atualmente em reforma), Jardim Universo e Jardim Ivete.

Há, ainda, iniciativas específicas para cada situação, confira:

– Centro de Saúde Mental e Caps Infantil: o Centro realiza consultas com psiquiatras, entregas e aplicações de medicamentos, enquanto o Caps Infantil é destinado ao atendimento multiprofissional de crianças e adolescentes comprometidos psiquicamente. Rua Dr. Antônio Cândido Vieira, 556 – Centro.

– Caps II – Centro de Atenção Psicossocial:  oferece suporte terapêutico intensivo aos adultos portadores de transtornos mentais graves e persistentes. Rua Antenor de Souza Melo, 350 – Jardim Maricá.

– Cecco – Centro de Convivência e Cooperativa: proporciona a integração entre pacientes estáveis e a comunidade através da convivência por meio de oficinas diversas e busca de autonomia com projetos de geração de renda. Rua Francisco Franco, 291 – Jardim Santista.

– Caps AD – Álcool e Drogas: destinado para tratamento de pessoas com necessidades específicas decorrentes do uso de álcool, crack e outras drogas. Av. Valentina de Melo Freire Borenstein, 764 – Vila São Francisco.

– Residência Terapêutica: abriga pacientes vindos de internação de longa permanência (mais de 02 anos) em Hospitais Psiquiátricos em todo o Estado, mas que tenham sua origem nas cidades que compõem o Alto Tietê.