Tenda Atacado

A vitória de Arthur Lira (PP) para presidência da Câmara dos Deputados reforçou uma concepção no grupo de Luciano Huck, que estão percebendo ser necessária a construção de uma estrutura partidária cosistente para viabilizar o projeto presidencial do apresentador e empresário. Até o momento, quatro partidos já sondaram Luciano Huck.

Luciano Huck era cotado como possível candidato a presidência pelo DEM, entretanto, o cenário atual do partido é uma legenda mais governista ao lado de Jair Bolsonaro. A opção da vez, é o PSB.

As conversas de Huck com o partido ocorrem desde o ano passado e têm sido estimuladas pelo prefeito de Recife, João Campos (PSB), e por sua namorada, a deputada federal Tabata Amaral (SP), que está de “mal” com seu atual partido, o PDT.

Tabata tem relação próxima com Luciano Huck e ela foi a ponte entre o apresentador e Campos, uma das principais lideranças do partido.

O filho do ex-governador e ex-presidenciável Eduardo Campos (que morreu após uma tragédia em um acidente aéreo na campanha de 2014) e Huck também estreitaram a relação quando o pessebista assumiu, aos 27 anos, o mandato de deputado federal e adotou uma agenda ambientalista e progressista.

O Democratas que flertava com o apresentador, mergulhou em uma crise interna após a eleição da presidência da Câmara, quando a bancada liberou seus deputados para votarem em Lira, candidato de Jair Bolsonaro.

A aproximação da legenda com o Palácio do Planalto e a iminente saíde de Rodrigo Maia tem o potencial de esfriar as conversas do DEM com Huck.