Lembremos sempre dos nossos idosos! Seguimos na luta por políticas proativas
Em Suzano, o trabalho do Centro de Convivência da Melhor Idade (CCMI) Maria Picoletti e o Centro Dia do Idoso seguem essas premissas de bem-estar, mantendo a mente, o corpo e as relações sociais ativas para o envelhecimento saudável/ Foto: Secop Suzano
Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

Nesta semana, em condições normais fora de pandemia, estaríamos nos preparando para mais uma Gincana Esportiva da Melhor Idade.

Nos últimos anos, o evento reuniu uma média de 600 idosos por edição, sendo um verdadeiro sucesso do Fundo Social de Solidariedade de Suzano e do nosso Centro de Convivência da Melhor Idade Maria Picoletti (CCMI).

Neste ano, infelizmente, não teremos atividade. Mas nunca iremos esquecer dessas pessoas tão especiais!

Na próxima quinta-feira, 01 de outubro, comemoramos o Dia Internacional do Idoso. A data foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1991 com o objetivo de sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento, destacando a necessidade de proteção e cuidados para com essa população.

No Brasil, o dia é lembrado em 27 de setembro e nos faz refletir sobre uma série de fatores, afinal, a velhice é para onde caminhamos.

A população idosa é a que mais cresce no país. Hoje, as pessoas com mais de 60 anos representam 14,3% dos brasileiros.

Em 2030, este índice deve superar as crianças e adolescentes de zero a quatorze anos. Nas últimas sete décadas, a nossa expectativa de vida passou de 45 para 75 anos, graças à evolução nos serviços de saneamento, saúde, alimentação, segurança, educação, entre outros.

E não podemos parar por aí! Atualmente, a luta contra a desigualdade ainda é um dos principais desafios para que o desenvolvimento chegue a todos.

Inclusive, a temática faz parte da Agenda 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). É preciso reconhecer e eliminar a discriminação, capacitar e promover a inclusão social, econômica e política de todos.

Enquanto não nos atentarmos aos desafios que estão por vir (e que já estão aí), mais difícil será o nosso futuro. E isso só será possível por meio de políticas de promoção e valorização deste grupo.

Em Suzano, o trabalho do Centro de Convivência da Melhor Idade (CCMI) Maria Picoletti e o Centro Dia do Idoso seguem essas premissas de bem-estar, mantendo a mente, o corpo e as relações sociais ativas para o envelhecimento saudável.

Para nós fica a missão de aproveitar as experiências e o aprendizado ao longo da vida, batalhando por políticas proativas de promoção social e cobertura universal de saúde, além de inibir estereótipos e lutar pelo fim da violência e dos preconceitos contra a pessoa idosa!