Klebinho Real, do Badra às festas dos famosos: “Quero inspirar as pessoas; elas podem vencer e ter sucesso”
Kleber Adair Neves da Silva, o Klebinho Real, fala de sua trajetória e procura inspirar as pessoas nessa reportagem especial do Oi/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Guararema

“Sabe aquele sonho seu, que bate bem forte e que até arrepia quando você pensa nele? Eu também sei e falo isso com lágrimas nos olhos. Não deixe nada e nem ninguém afastar você dos seus sonhos”.

É com frase que o jovem suzanense que cresceu no Miguel Badra, Kleber Adair Neves da Silva, o Klebinho Real, fala de sua trajetória e procura inspirar as pessoas nessa reportagem especial do Oi. Confira:

Jornal Oi – Para quem ainda não o conhece, por favor, de forma resumida, diga quem é o Klebinho Real?

Jornal Oi – Como surgiu esse nome?

Jornal Oi – Como surgiu a história dos doces em sua vida?

Jornal Oi – Na infância e adolescência quais foram às pessoas que mais lhe inspiraram e por quê?

Jornal Oi – Atualmente o que e quem lhe inspira para a vida e para os desafios profissionais?

Klebinho Real: Klebinho Real é um jovem batalhador, que desde seus 15 anos sempre sonhou em ter sua empresa. Esse nome veio de uma história de luta, suor e conquistas. E uma história que é real.

Todos os meus desafios e lutas me fizeram criar a Doces de Ouro brasil. Marca que surgiu após a necessidade de vencer a crise que o país enfrentava e se reinventar.

Quando eu penso em brigadeiros, eu penso que sem eles estaria na depressão, nas dívidas (e olha que eu estava BEM endividado). Comecei vendendo brigadeiros na rua em 2014. E de lá pra cá dei origem ao meu sonho de ter a empresa própria.

Na minha infância e adolescência eu me inspirei muito em personalidades como Silvio Santos, Estevam Galvão, Celso Portiolli e Gugu Liberato.

Pois eram lideranças que realizavam sonhos das pessoas mais carentes e exemplo de empreendedores a serem seguidos.

Aprendi com o Silvio Santos a ter sempre humildade e nunca desistir de lutar pelos meus ideais. Ainda que as pessoas não dessem valor, mas eu estava disposto a lutar cada vez mais.

Hoje o que me inspira é saber que através da minha luta muitas pessoas que são deste mesmo ramo da confeitaria se sentem encorajadas e elas se visualizam vencendo como eu venci.

O mais gostoso disso tudo (além de comer doces, e doces kkk) é ver os jovens começando a se interessar por isso e criar a sua própria independência financeira. E além disso ver as pessoas de mais idade achando motivos para viver a vida de maneira satisfatória.

Eu falo isso porque venci una depressão muito grande na minha vida através dos doces, se não fossem eles talvez eu não soubesse que a vida é linda para ser vivida. Se não fossem os doces eu jamais teria acesso as pessoas que eu admirava e amava por suas histórias de luta.

A rua é uma grande escola, ela forja nosso caráter, ela nos ensina arte, e uma coisa que eu jamais vou esquecer: a rua nos ensina a valorizar as coisas mesmo que eles sejam bem pequeninas.

Jornal Oi – Em seu perfil no Facebook, consta a informação de que você é apresentador, empreendedor e youtuber. Quais dessas atividades é que lhe dá ou dará dinheiro? E qual lhe proporciona prazer e realização?

Klebinho – Nas minhas redes sociais é possível notar que eu me apresento como apresentador, empreendedor e youtuber.
Todas essas atividades hoje me geram renda e todas são feitas por mim com muito amor.

Eu mirei nos meus sonhos na certeza de que com FOCO E DISCIPLINA eu poderia ser todas as coisas que eu quisesse ser, menos acomodado.

Além disso, o dinheiro para mim nunca foi um fator importante. Eu vivo das experiências, porque sei que a realização é mais importante do que a compensação financeira.

Quem me conhece sabe muito bem disso. O dinheiro é consequência do trabalho que você faz com carinho e amor.

Jornal Oi – Você publica fotos e vídeos mostrando seus doces com diversas personalidades. Como surgiu essa ideia ou estratégia de marketing?

Jornal Oi – Cite dez pessoas conhecidas com quem você fez fotos e vídeos para destacar seus produtos?

Jornal Oi – Quem faz os doces que você vende?

Jornal Oi – Hoje você tem quantos anos e vive de quê?

Klebinho – As fotos que eu publico com celebridades foi algo que os meus brigadeiros me proporcionaram.

Comecei com a ideia de entregar uma caixa de brigadeiro para o Silvio Santos. Lutei um ano para que esse encontro acontecesse. Fui até expulso de lugares pela minha persistência.

Mas um dia Deus. E eu digo Deus porque tenho certeza que foi ele quem proporcionou um encontro meu com o Silvio. Neste dia eu vi que era possível.

Hoje é engraçado porque vou à casa de diversos artistas preparar mesa de doces e até do próprio Silvio Santos e família.

Esse efeito é muito bom, porque um vai falando para o outro. E quando fui ver eu já estava na casa de vários artistas.

Uma coisa que eu não posso jamais esquecer e que nada disso seria possível se durante anos eu não vendesse meus brigadeiros na rua.

Cheguei a sofrer muitos preconceitos e até bullying na infância, mas eu nunca deixei isso me intimidar.

Eu precisava de uma aprovação e essa aprovação veio das coisas que comecei a conquistar com o dinheiro dos doces.

Giovana Ewbank, Fábio Porchat, foram as pessoas que me abriram os caminhos. Depois vieram Silvio Santos, Celso Portiolli, Gugu, Fabíola Gadelha, Fátima Bernades, Thiago Abravanel, Flor, e Claudia Tenório.

Meus doces começaram a ser feitos pela minha mãe e minha irmã. Depois a Simone Souza da AdoSicando, e depois vieram o Leandro e Alessando.

Hoje eles são feitos por uma equipe cheia de carinho e amor. Tenho 26 anos e vivo da Doces De Ouro Brasil, com ações de marketing que faço para empresas e do meu canal no YouTube.

Jornal Oi – Como empreendedor, quais são as características positivas que você possui e que considera serem as mais importantes para a vida e para os negócios?

Jornal Oi – Quais características precisam melhorar e aprimorar em você?

Klebinho – Como empreendedor eu considero que o foco, disciplina, humildade e também a disposição são as características mais importantes na vida de alguém que queira ter sua própria independência.

Acredito que é bom sempre estar se analisando para evoluir cada vez mais. Eu preciso melhorar bastante em relação a planejamento e gestão financeira. Pois essa é uma questão que precisa sempre estar reciclando.

Jornal Oi – Conhece pessoas que se inspiraram ou se inspiram em você para iniciar um negócio?

Jornal Oi – Como a sua trajetória pode ajudar as pessoas?

Jornal Oi – Quais foram os momentos mais difíceis e os mais gratificantes de sua trajetória como empreendedor e como cidadão?

Klebinho – Na minha trajetória eu posso dizer que morar em Suzano e trabalhar em São Paulo a noite foi uma dificuldade muito grande.

Lá em São Paulo na hora de voltar para Suzano eu acabava deixando de levar o último metrô para aproveitar o fluxo de pessoas na região central e vender os brigadeiros.

E tinha que ficar cansando na rua da meia noite até às 4 horas que era quando os metrôs e trens voltavam funcionar. Como passei por altos e baixos, mas senti que tudo isso fez parte do meu propósito de vida.

Hoje vejo que através de mim diversas pessoas abriram seu próprio negócio e através do meu canal recebo diversas mensagens de pessoas que não tinham nenhuma expectativa de vida e hoje acreditam que é possível transformar a vida através de um simples gesto de atitude e coragem.

Os momentos mais gratificantes pra mim foram ver as pessoas sorriem com as graças e histórias que eu fazia e contava.

Eu virei um personagem, mas com um tempo percebi que não era um personagem. Era um Klebinho que estava dentro e mim por muitos anos e tinha vergonha do que as pessoas pensariam.

Eu confesso que às vezes tive preconceitos de mim mesmo. Mas hoje eu posso afirmar que tudo isso me fez ser quem eu sou. Qual é o crime? Sorrir? Amar? Ou ser quem eu quero ser?

Sorrir, fazer as pessoas sorrirem, e até chorar às vezes. Porque tudo que a gente precisa é de alguém que nos compreenda e nos abrace nos momentos mais incertos da vida.

Jornal Oi – De que forma você quer inspirar as pessoas hoje e no futuro?

Jornal Oi – Em 2030 como você espera ser reconhecido pelas pessoas do seu bairro, da sua cidade e de seu País?

Klebinho – Eu quero inspirar as pessoas de uma forma que elas saibam que é possível vencer. E as vezes até sem recurso.

Comecei tudo com meu nome sujo e devendo mais de R$ 170 mil. Eu paguei e provo cada centavo com dinheiro de venda nas ruas.

Hoje tenho mais de 10 pessoas diretamente que dependem do meu trabalho. São mais de 10 famílias, 11 com a minha que sabem que o sabor da Vitória é DOCE.

Espero que a cada dia minha história seja ainda mais referência pois assim as pessoas terão crença de que elas podem criar, inovar e vencer. Em falar nisso eu percebo que em toda crise eu cresci ainda mais.

Jornal Oi – Qual a sua mensagem para as pessoas que querem trabalhar por conta própria, mas não acreditam em seu potencial, não tem dinheiro e nem apoio da família e de amigos?

Jornal Oi – É possível vencer e ter sucesso partindo do nada e sem tem apoio algum?

Jornal Oi – O que é sucesso para você?

Klebinho – Eu acho que essa pergunta foi respondida em toda a entrevista, mas quero deixar uma mensagem especial.

Sabe aquele sonho seu, que bate bem forte e que até arrepia quando você pensa nele? Eu também sei, e falo isso com lágrimas nos olhos.

Não deixe nada e nem ninguém afastar você dos seus sonhos. Eu comecei com uma lata de brigadeiro e hoje compro caixas direto do fabricante.

A luta, a falta de tempo, a falta de um bom sono e a falta de dinheiro não podem impedir você de conquistar aquilo que quer para sua vida.

Conte seu sonho apenas para quem sonha com você. E se ninguém sonhar com você, sonha sozinho com bastante fé em Deus que dá. Que Deus abençoe todos. E que em breve todos nós sejamos autores da nossa própria história.