Prefeitura de Suzano

Nesta segunda-feira, 13, a juíza federal Maria Carolina Ayoub, da 9ª Vara Federal de São Paulo, determinou o arquivamento da investigação sobre possível tráfico de influência internacional do ex-presidente Lula para beneficiar a OAS.

A investigação teve início a partir da delação do ex-presidente da empreiteira Léo Pinheiro. O petista também foi acusado pelo crime de corrupção.

Na presente decisão, a juíza afirma que não há elementos mínimos para dar continuidade à apuração. Segundo ela, os crimes imputados a Lula já prescreveram.

De acordo com a defesa do petista, no recurso acatado, que a PF não ouviu nenhum outro depoimento que confirmasse a versão de Pinheiro.

Segundo a delação de Léo Pinheiro, o empreiteiro havia dito que em seu acordo, que Lula teria sido contratado pela OAS para realizar uma palestra na Costa Rica para influenciar os dirigentes daquele país a fazer negócio com a construtora. Posteriormente, o próprio Pinheiro negou o pagamento de vantagem indevida ao petista.

“Decorridos mais de seis anos entre a data dos fatos (2011) e o presente momento, constata-se a prescrição da pretensão punitiva estatal de todos os delitos aqui investigados em relação a Luiz Inácio Lula da Silva. Ainda assim – e bem como com relação aos demais investigados não se faz presente justa causa para a continuidade das investigações, diante dos parcos indícios coletados.”