Jornal Oi questiona o TJ-SP sobre o antigo Fórum de Poá. Antes de ser demolido ou reformado, prédio será emparedado
A antiga sede do Poder Judiciário encontra-se abandonada e sendo usada por moradores de rua e usuários de drogas/ Foto: Divulgação

Nesta segunda-feira, 14, o Jornal Oi questionou o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) sobre um cronograma para a realização de uma vistoria técnica que o TJ pretende fazer no prédio abandonado que fica na área central de Poá.

Neste prédio funcionou até 2009 o Fórum da cidade.

Naquele ano ‘inventou-se’ que o prédio poderia afundar ou desabar, sendo que o Fórum foi transferido para outro imóvel no centro da cidade.

Desde então a antiga sede do Poder Judiciário encontra-se abandonada e sendo usada por moradores de rua e usuários de drogas.

No início deste mês o Jornal Oi denunciou a situação do prédio e questionou as lideranças políticas da cidade sobre a situação inaceitável.

Na última segunda-feira a prefeita Marcia Bin (PSDB) reuniu-se com a direção do TJ de onde surgiu a informação de que uma vistoria técnica será realizada no prédio.

O Jornal Oi, então, questionou o TJ sobre a vistoria e quando o problema poderá ser resolvido. Confira:

Jornal Oi – A vistoria já foi realizada ou tem data definida ou prevista para acontecer?

Jornal Oi – O TJ ou a Diretoria de Gestão de Locais podem assumir a tarefa de fazer a demolição do imóvel, uma vez que a prefeitura afirma não ter recursos para fazer esse trabalho?

Jornal Oi – O TJ tem recursos financeiros disponíveis para de imediato fazer a demolição?

Jornal Oi – O TJ acredita ser possível resolver o problema até quando?

Os esclarecimentos do Tribunal de Justiça

O Tribunal de Justiça de São Paulo está providenciando novo laudo sobre a  condição do edifício, a fim de tomar as providências necessárias para eventual demolição ou reforma.

Até a definição, o TJSP segue em tratativas com a Prefeitura para emparedamento provisório do prédio, como medida de segurança, uma vez que a demolição acordada não ocorreu.