Mannie Liu e Adalcindo Vieira falam dos desafios do Santa Maria e da medicina em tempos de Covid-19
Em conversa remota com a reportagem, os diretores do Hospital Santa Maria falaram sobre os desafios, da medicina, dos profissionais e de toda a sociedade no enfrentamento do Covid-19 e de outras pandemias que poderão afetar a humanidade/ Foto: Divulgação
Centerpex Cinemas Suzano Shopping

Os diretores do Hospital Santa Maria de Suzano, Mannie Liu e Adalcindo Vieira, estreiam essa nova sessão do Jornal Oi digital.

Em conversa remota com a reportagem (e o apoio do assessor de imprensa Orfeu Albuquerque) eles falaram sobre os desafios do Santa Maria, da medicina, dos profissionais e de toda a sociedade no enfrentamento do Covid-19 e de outras pandemias que poderão afetar a humanidade.

Jornal Oi – Quais são os principais desafios que o Hospital Santa Maria de Suzano está enfrentando deste que começou a pandemia de Covid-19?

Mannie Liu e Adalcindo Vieira – Adotamos os protocolos de segurança antes de os primeiros casos surgirem no Brasil.

As recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), Vigilância Epidemiológica e do Ministério da Saúde foram se moldando à realidade dos fatos, e nós precisamos ficar muito atentos em relação às condutas ideais preconizadas para manter a eficiência e segurança do atendimento.

É fundamental ressaltar o treinamento constante dos profissionais e a determinação deles no cumprimento de suas funções, sempre com disposição para trabalhar em união para favorecer a sociedade no maior desafio de saúde da nossa geração.

A equipe multidisciplinar, com acompanhamento da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), demonstrou competência. Um dos grandes desafios é manter a qualidade com humanização e resolutividade. Nós estamos e vamos continuar mantendo isso.

Jornal Oi – Quais foram às principais inovações em termos de protocolos, prestação de serviços e funcionamento das unidades de saúde?

Jornal Oi – Houve a contratação de mais profissionais e a necessidade de investimentos não previstos?

Mannie Liu e Adalcindo Vieira – Criamos um Pronto Atendimento Respiratório exclusivo para pacientes com suspeita de Covid-19, adotando um novo fluxo de atendimento, isolando esses pacientes dos demais setores do hospital.

Estamos com 19 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinados ao enfrentamento do novo coronavírus, e temos leitos de isolamento para internações que não exigem UTI.

Saímos na frente ao estabelecer uma parceria inédita com o Hospital Israelita Albert Einstein para garantir a liberação mais rápida dos testes, antecipando assim a conduta médica.

Quando se enfrenta uma pandemia, os investimentos não previstos são inevitáveis, desde contratações pontuais até uma logística de compra e abastecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) de qualidade garantida por autoridades de saúde.

De alguma forma, todos precisamos nos adaptar a uma nova realidade no dia a dia. Só se consegue isso quando há profissionalismo e senso de responsabilidade de proporcionar o melhor aos pacientes.

Jornal Oi – Neste período, o hospital está conseguindo manter a saúde financeira?

Jornal Oi – Houve mudanças nas ações previstas para o segundo semestre em razão dos efeitos da pandemia?

Mannie Liu e Adalcindo Vieira – Sinceramente, a prioridade é enfrentar a pandemia. Essa questão financeira está equilibrada porque temos uma gestão eficiente, treinada e atualizada. Nosso planejamento de expansão contínua será mantido.

É importante frisar que nunca poupamos e nunca pouparemos recursos financeiros para disponibilizar o melhor aos pacientes.

Jornal Oi – Quantas cidades estão sendo auxiliadas nesta pandemia pelo Hospital Santa Maria e de que forma?

Mannie Liu e Adalcindo Vieira – Fechamos um convênio muito produtivo com a Prefeitura de Guararema para atender os moradores pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O momento exige concentração de esforços de toda a sociedade e que tenhamos a solidariedade enquanto um valor essencial para sair desta realidade melhor do que antes.

Essa é uma das grandes lições dessa fase tão delicada. Sempre tivemos um excelente relacionamento também com a Prefeitura de Suzano.

Existem negociações avançadas que dependem de ajustes, o que é absolutamente normal. Esperamos que tudo dê certo o quanto antes.

Todos estão empenhados e com os mesmos objetivos. Suzano e os municípios do Alto Tietê são nossa prioridade.

Jornal Oi – Quais expectativas os senhores têm em relação à produção de uma vacina contra a Covid-19?

Jornal Oi – O hospital terá, no futuro, vacina para a Covid-19?

Jornal Oi – Será impossível evitar, no futuro, pandemias como essa?

Mannie Liu e Adalcindo Vieira – Esse é um assunto de interesse da humanidade. Há pesquisadores sérios trabalhando para criar uma vacina o quanto antes em diversos núcleos científicos respeitados no mundo em pesquisa e desenvolvimento.

Nosso papel é acompanhar toda essa questão de perto para disponibilizar a vacina, se este for o papel dos hospitais particulares na logística adotada por autoridades de saúde enquanto parte do planejamento de imunização, assim que possível, mantendo nossa vocação para práticas inéditas com respaldo científico e tecnológico.

Quanto ao futuro, acreditamos em uma vigilância maior no campo da ciência e do comportamento da própria sociedade quanto à prevenção, mas responder se teremos condições de evitar uma nova pandemia no futuro agora não é possível.

Precisamos, sim, estar prontos para medidas preventivas e com disposição para implantá-las e aperfeiçoá-las incessantemente.

Jornal Oi – Quais serão as grandes mudanças nas atividades médicas e na prestação de serviços do hospital depois que a pandemia acabar?

Jornal Oi – Por exemplo, será necessário investir mais em telemedicina ou o atendimento presencial voltará ao normal?

Mannie Liu e Adalcindo Vieira –  Os avanços tecnológicos são irreversíveis e precisam ser voltados para o bem-estar das pessoas em todos os setores.

A saúde estará incluída neste processo naturalmente, atendendo aos próprios anseios dos pacientes. Trata-se de uma conjuntura que exige protocolos claros de atendimento.

A estrutura hospitalar adequada e moderna, como a que mantemos e desenvolvemos, também é fundamental para recuperar a saúde e o bem-estar das pessoas.

Estaremos sempre dispostos a investir, acompanhando e antecipando tendências. Sairemos todos mais fortes e unidos deste momento. É o que esperamos.