Hospital Municipal de Mogi dobra capacidade de fornecimento de oxigênio com a troca do tanque
O prefeito Caio Cunha esteve no local para acompanhar o procedimento/ Foto: Divulgação/PMMC
Prefeitura de Guararema

O tanque de oxigênio do Hospital Municipal de Mogi das Cruzes foi trocado nesta quinta-feira, 15, pela empresa responsável pelo fornecimento de gases, passando de 4.950 para 9.870 metros cúbicos (m3).

A capacidade ampliada é uma antiga solicitação da prefeitura de Mogi das Cruzes que permitirá a instalação de novos leitos Covid-19.

Desde o início da pandemia, o Hospital Municipal se transformou na principal referência para atendimento aos casos suspeitos e confirmados do novo coronavírus na região.

O prefeito Caio Cunha esteve no local para acompanhar o procedimento.

“O novo equipamento tem o dobro da capacidade do antigo. É um avanço muito importante que estávamos esperando há algum tempo e que possibilita ampliarmos o número de leitos no Hospital Municipal e garante mais segurança para pacientes e para toda a equipe”, explicou.

Com a capacidade ampliada pelo novo tanque de oxigênio, o Hospital Municipal poderá, nos próximos dias, abrir mais 45 leitos públicos (30 enfermaria e 15 UTI) para atendimento Covid-19.

Com isso, a unidade passará a contar com 76 leitos de terapia intensiva e 100 de enfermaria, incluindo as acomodações implantadas na UnicaFisio, no prédio anexo.

O oxigênio é fundamental no tratamento hospitalar de pacientes com a Covid-19. Isso porque o coronavírus Sars-CoV-2 causa uma inflamação no pulmão que faz com que o órgão não consiga transferir, de forma eficaz, o oxigênio que a pessoa respira para dentro do sangue e das células.

Quando isso acontece, a saturação de oxigênio – a concentração dele no sangue – começa a cair.

O percentual normal de saturação fica entre 95% e 99%. Quando a pessoa não respira direito, esse índice cai e o aporte de oxigênio ajuda na recuperação.