Decisão temporária e polêmica: Hospital Guido Guida terá atendimento exclusivo à moradores de Poá
Após interditar o 2º andar do Hospital Guido Guida, por conta da situação precária em que se encontra o local, a Secretaria de Saúde de Poá anunciou que não realizará atendimentos de pacientes de fora do município/ Foto: Divulgação
Tenda Atacado

Após interditar o 2º andar do Hospital Guido Guida, por conta da situação precária em que se encontra o local, a Secretaria de Saúde de Poá anunciou que não realizará atendimentos de pacientes de fora do município.

Apesar de ser temporária, a decisão tem como objetivo preservar os funcionários e munícipes, uma vez que, o prédio já não conta com os materiais necessários para manter um atendimento de qualidade.

De acordo com a secretária da pasta, Claudia Cristina de Deus, a “herança” deixada pela gestão anterior é desoladora e as ações adotadas são para evitar que o cidadão poaense sofra com o descaso dos últimos anos.

“Estão faltando medicamentos, insumos EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual), entre outros itens, fora os problemas estruturais que motivaram a interdição do 2º andar, onde tem vários equipamentos abandonados nas salas que foram inundadas, por conta do telhado quebrado”, destacou a secretária.

“Algumas pessoas questionaram sobre o fato do hospital receber repasse do SUS (Sistema Único de Saúde) e que não poderíamos tomar essa decisão, mas o prédio é mantido, em sua grande maioria, por recursos municipais, recebemos apenas R$ 314 mil/mês do SUS, sendo que deste valor, R$ 50 mil são destinados ao EMAD (Equipe Multidisciplinar de Atenção Domiciliar) e o restante (R$ 264 mil) é dividido entre o hospital e exames de imagem”, explicou Claudia, complementando que a decisão é temporária e que, durante este período, atendimentos de urgência e emergência não serão negados.