Governo de SP anuncia nova reclassificação de fases nesta sexta. O que será de Mogi e cidades da região?
Mogi das Cruzes e demais cidades do Alto Tietê fazem parte da Grande São Paulo e só deverão ficar sabendo que ficam na fase amarela ou serão rebaixadas para a fase laranja na própria sexta-feira/ Foto: Divulgação
Tenda Atacado

O governo paulista confirmou nesta quarta-feira, 20, que fará uma nova reclassificação do Plano São Paulo na sexta-feira, 22, quando regiões devem regredir da fase amarela para a laranja, segundo apurou a imprensa da Capital.

Ainda não há definição sobre a região da Grande São Paulo, e a decisão se ela regredirá para a laranja será tomada na manhã da própria sexta.

Mogi das Cruzes e demais cidades do Alto Tietê fazem parte da Grande São Paulo e só deverão ficar sabendo que ficam na fase amarela ou serão rebaixadas para a fase laranja na própria sexta-feira.

Nesta quinta-feira, 21, o Jornal Oi vai cobrar da direção do Condemat os números de casos e de internações na região para saber se existe o risco real de o governo de SP impor mais um retrocesso à região.

A atualização das fases será a terceira da gestão do governador João Doria (PSDB) em apenas 15 dias, algo inédito no estado desde o início da pandemia do novo coronavírus.

A reclassificação se justifica pelo agravamento da Covid-19 em São Paulo, por causa principalmente pelas festas de fim de ano.

Na segunda-feira ao apresentar os dados da semana passada sobre a doença, o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, afirmou que foi a pior semana da pandemia no estado até agora.

Atualmente, São Paulo tem 67% da sua população na fase amarela do plano que coordena a flexibilização ou o endurecimento de medidas restritivas.

São seis regiões, incluindo a Grande São Paulo, na fase de menos restrições se comparada à laranja e à vermelha.

Outras dez regiões estão na fase laranja e apenas uma, de Marília, está na vermelha, em que apenas serviços essenciais devem funcionar.

Um dia após ultrapassar a marca de 50 mil mortes causadas pela covid-19 no estado, São Paulo segue com uma situação de piora da pandemia e constante aumento das internações.

Atualmente, o estado tem 70% dos seus leitos de UTI ocupados, enquanto a Grande São Paulo registra 70,5%.

Mogi das Cruzes, por exemplo, registrou nesta quarta-feira, 71,9% de leitos ocupados, sendo que uma das referências do governo do Estado para mudar uma região de fase é porcentual acima de 70% dos leitos de UTI – que foram sensivelmente reduzidos em várias cidades da região desde o final do ano passado quando foram desativados os hospitais de campanha.

Ainda de acordo com veículos de imprensa da Capital (que não informam dados da ocupação de leitos na própria Capital), os números atualizados mostram que a tendência de alta continua, assim como tem sido desde o início do ano.

No interior e no litoral paulista, por exemplo, a taxa de ocupação de leitos de UTI dedicados a pacientes com covid-19 passou de 59,2% em 5 de janeiro para 69,4% até terça-feira.

O estado de São Paulo tem hoje quase 14 mil pessoas internadas com o novo coronavírus.

Após a primeira reclassificação do ano, feita em 8 de janeiro, as duas próximas serão atualizações que foram antecipadas devido à piora nos números da pandemia.

Antes da reclassificação feita na última sexta-feira, 15, a expectativa do governo paulista era de fazer uma nova atualização do Plano SP apenas em 5 de fevereiro.

As reclassificações são antecipadas quando medidas restritivas precisam ser adotadas para controlar a propagação do vírus.

Na atualização que começou a valer na segunda-feira, 18, oito regiões regrediram de fase, sendo que Marília passou direto da amarela para a vermelha.