Governo de Mogi rebate informação do Jornal Oi sobre a (não) compra de vacinas da Covid pelo Condemat
A Secretaria de Saúde de Mogi argumenta que pelo acordo com o Plano Estadual de Imunização, os insumos para o abastecimento dos municípios para a vacinação serão distribuídos pelo governo do Estado/ Foto: Divulgação
Tenda Atacado

O setor de comunicação do novo governo de Mogi das Cruzes entrou em contato com a reportagem do Jornal Oi nesta quarta-feira, 13, para rebater uma informação destacada em uma matéria publicada sobre os preparativos da Secretaria Municipal de Saúde de Mogi para a campanha de vacinação contra a Covid-19.

Confira a matéria na íntegra

A reportagem em questão informou que a previsão do município é vacinar mais de 10, 8 mil profissionais da saúde e cerca de 53,8 mil pessoas da terceira idade na primeira etapa da campanha.

A matéria destacou ainda que apesar de estar cumprindo com a sua parte na missão de preparar toda a logística para vacinar as pessoas que são do grupo de risco, o governo mogiano segue sem ter a confirmação pelo governo do Estado da quantidade de doses que será enviada para a cidade pela Secretaria Estadual de Saúde que prevê iniciar a campanha no dia 25 de janeiro.

Ainda de acordo com informações da Secretaria de Saúde Mogi, a estratégia para a vacinação vem sendo trabalhada pela Secretaria de Saúde desde dezembro de 2020, logo na primeira reunião entre os municípios do Alto Tietê e o grupo regional de Vigilância Epidemiológica, quando foi anunciado o Plano Estadual de Imunização.

Sobre a questão de seringas e agulhas para aplicação das doses, a Secretaria argumenta que pelo acordo com o Plano Estadual de Imunização, os insumos para o abastecimento dos municípios para a vacinação serão distribuídos pelo governo do Estado.

A polêmica compra de vacinas pelo Condemat 

A parte final da reportagem publicada pelo Jornal Oi foi alvo de  uma correção pelo novo governo de Mogi.

No início da tarde desta quarta-feira, 13, o setor de Comunicação da prefeitura mogiana ressaltou que, ao contrário do que o Jornal Oi informou na terça-feira (com base em informações divulgadas por um veículo de comunicação de Mogi e em fontes que conhecem a fundo as questões relacionadas ao sistema de saúde mogiano e região), em momento algum a Secretaria de Saúde do município (comandada pelo médico Henrique Naufel), descartou a possibilidade de compra da vacina Coronavac, por meio de ação conjunta com o Condemat, ação de absoluto interesse da gestão mogiana, visando ampliar a abrangência dos grupos prioritários para imunização.

Foi respondido apenas que “neste momento ainda não é possível a aquisição das doses”, em razão dos ritos burocráticos vigentes quanto à vacinação, integrante do Programa Nacional de Imunização.

A prefeitura de Mogi das Cruzes apoiou formalmente a aquisição das doses e acompanha os trabalhos do Condemat para que esta ação seja executada.

Com essa nova reportagem sobre o assunto o Jornal Oi destaca o esclarecimento do novo governo mogiano e pede desculpas pelos eventuais transtornos provocados pela informação.