Governo de Mogi comemora a geração de empregos na cidade no primeiro quadrimestre
No acumulado dos primeiros quatro meses do ano, são 16.011 admissões e 13.796 demissões em Mogi das Cruzes/ Foto: Ney Sarmento
Tenda Atacado

Mogi das Cruzes fechou o primeiro quadrimestre de 2021 com um saldo de 2.215 empregos criados, de acordo com os dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged).

Os números são positivos, apesar dos reflexos da crise causada pela pandemia, e colocam o município como destaque na geração de empregos no Alto Tietê.

Se comparados com o mesmo período do ano passado, os números são ainda mais positivos.

No primeiro quadrimestre de 2020, a cidade fechou o levantamento com saldo negativo de 3.279 empregos, resultado muito influenciado pelos meses de março e abril, quando começou a pandemia.

Os dados de abril apontam 3.734 contratações e 3.064 demissões, um saldo de 670 vagas. Com o resultado, o chamado estoque de empregos – que é o total de vagas na cidade – superou o patamar dos 100 mil postos, fechando o mês com 100.010 empregos. Os números foram puxados pela indústria e pelos serviços.

No acumulado dos primeiros quatro meses do ano, são 16.011 admissões e 13.796 demissões em Mogi das Cruzes.