GCM de Poá apresenta balanço. Patrulha da Maria da Penha foi acionada mais de 500 vezes
Entre os principais trabalhos estão, estacionamento e patrulhamento preventivo, atendimento da Lei Maria da Penha, averiguação de denúncias e perturbação do sossego/ Foto: Rodrigo Nagafuti – Secom Poá
Governo do Estado de São Paulo

A Guarda Civil Municipal (GCM) de Poá apresentou crescimento no registro de ações, de acordo com o balanço do 1º trimestre de 2021.

Entre janeiro e março deste ano, foram 3.089 ocorrências registradas pela corporação. Só de janeiro a março houve um aumento de 189%.

Entre os principais trabalhos estão, estacionamento e patrulhamento preventivo, atendimento da Lei Maria da Penha, averiguação de denúncias e perturbação do sossego.

De acordo com a secretária de Segurança Urbana, Marlene Sant’Anna, isso representa o trabalho atuante em prol da segurança pública.

“Desde o início do Governo Marcia Bin, os agentes de segurança se sentiram mais amparados e respaldados pela administração municipal e, por isso, eles têm se doado mais e os números representam essa entrega”, afirmou.

Em janeiro deste ano, primeiro mês do atual governo, a Guarda Civil de Poá registrou 678 ocorrências, já em fevereiro e março, foram registrados 1.123 e 1.288 atendimentos, respectivamente.

“Estamos empenhados em proporcionar mais segurança ao cidadão e quando se tem respaldo e apoio por parte da administração municipal, a busca por esse objetivo se torna mais fácil”, enfatizou o comandante da GCM, Alexandre Guarnieri.

Neste período houve destaque em ocorrências como estacionamento preventivo, localização de autos, atendimentos à Lei Maria da Penha e perturbação de sossego.

“Foram mais 800 veículos localizados em três meses e mais de 500 atendimentos pela Patrulha Maria da Penha, por exemplo. É um início de ano promissor, estamos comprometidos com a segurança e o bem estar do poaense e vamos continuar dando o nosso melhor pela segurança pública”, finalizou Diana Freire, subcomandante da corporação.

Principais ocorrências 1º trimestre:

  • Estacionamento preventivo (em locais de vulnerabilidade) – 929 casos
  • Patrulhamento preventivo – 881 casos
  • Atendimento Lei Maria da Penha – 505
  • Averiguação de denúncias – 230
  • Perturbação do sossego – 144