Nota de Repúdio - Não ao Racismo: “Coisa de Preto” é o que ele/a quiser!
O órgão temático do Parlamento Federal REPUDIA, com a máxima veemência institucional, o caso de racismo envolvendo o vereador da capital paulista, Sr. Camilo Cristófaro/ Foto: Divulgação
Campanha Tudo novo

A Frente Parlamentar em defesa dos Direitos Humanos e pela Justiça Social, órgão suprapartidário do Congresso Nacional composto por Deputados Federais e Senadores de todas as regiões e estados do Brasil, emitiu nota nessa quinta-feira, 19, em que repudia os episódios de racismo que ganharam destaque na imprensa nacional e internacional nos últimos dias, incluindo o caso do vereador da capital paulista, Camilo Cristófaro, que foi flagrado fazendo uma fala racista em uma audiência on-line da Câmara Municipal.

O órgão temático, criado e presidido pelo deputado federal Roberto de Lucena, manifestou apoio ao parecer da relatora do processo de cassação do vereador.

O parlamentar disse que aguarda os resultados do processo “confiante de que o vereador receberá as devidas punições pela conduta racista. Somente assim, no rigor da lei, iremos eliminar de vez esse comportamento da nossa sociedade”, disse.

Confira íntegra da nota da Frente:

A Frente Parlamentar em defesa dos Direitos Humanos e pela Justiça Social, órgão suprapartidário do Congresso Nacional composto por Deputados Federais e Senadores de todas as regiões e estados do Brasil, REPUDIA os múltiplos e iminentes episódios de racismo que têm assolado o País e tido destaque na imprensa nacional e internacional.

O órgão temático do Parlamento Federal REPUDIA, com a máxima veemência institucional, o caso de racismo envolvendo o vereador da capital paulista, Sr. Camilo Cristófaro, não apenas pela notória e inconteste relevância do fato, mas também pelo conturbado histórico de conduta do referido parlamentar, na medida que a responsabilidade da figura política em seus atos e perante a sociedade é – e deve ser – demasiadamente maior, especialmente no exercício do encargo público a ele confiado.

Neste contexto, a Frente concorda com o parecer da relatora do processo de cassação do vereador, representado recentemente à Corregedoria da Câmara por ter proferido a expressão racista “é coisa de preto” em uma audiência.

O colegiado RECHAÇA também – com rigor ainda mais incisivo – os casos de racismo que infelizmente ocorrem no dia-a-dia da sociedade, em suas diversas esferas, proporções e formas de expressão, na majoritária maioria das vezes sem repercussão midiática, mas que deixam marcas indeléveis em todos os envolvidos, direta ou indiretamente.

Por fim, a Frente Parlamentar em defesa dos Direitos Humanos e pela Justiça Social espera e atua para que casos de racismo sejam apurados com efetiva prioridade e exemplarmente punidos – em conformidade com o apelo taxativo da Constituição Federal e o alcance da legislação brasileira – de modo a inibir a proliferação de tão deplorável mazela social.

Assim sendo, no alcance das suas atribuições institucionais, a Frente coloca-se à disposição dos demais órgãos públicos e entidades privadas afeitas ao tema, inclusive em especial apoio à Câmara Municipal de São Paulo, nos procedimentos em curso para eficaz resposta à sociedade.

Brasília – Distrito Federal, 19 de maio de 2022.

Atenciosamente,

Deputado Federal Roberto de Lucena

Presidente