Parabéns Mogi: nos 460 anos da maior cidade da região, o Jornal Oi destaca os avanços e os desafios de cinco áreas estratégicas para a vida dos mogianos
O Jornal Oi homenageia os 460 anos de Mogi das Cruzes com o que ele tem de melhor/ Foto: Divulgação
Tenda Atacado

O Jornal Oi homenageia os 460 anos de Mogi das Cruzes com o que ele tem de melhor: uma reportagem especial que revela os avanços da cidade nos últimos dez anos em cinco áreas estratégicas e também destaca os desafios dessas áreas para os próximos cinco anos.

Neste dia 1º de setembro de 2020, data do aniversário da maior cidade do Alto Tietê, o Jornal Oi com essa reportagem especial, sobre o que melhorou e o que precisa melhorar nas áreas da Cultura, Educação, Saúde, Desenvolvimento Econômico e Esportes, convida os mogianos e os leitores para uma reflexão (mais que necessária em tempos de Covid-19) sobre o passado, o presente e o futuro da cidade.

A matéria também convoca os pré-candidatos (estamos em ano eleitoral) a apresentar soluções para uma cidade que como todas as outras sofrem com os impactos da pandemia e da crise econômica. Parabéns, Mogi e muita saúde e sucesso aos mogianos.

CULTURA MOGI 460 ANOS 

Jornal Oi – Quais foram os principais avanços da Cultura em Mogi das Cruzes nos últimos 10 anos no que se referem às políticas públicas, financiamento, parcerias, equipamentos/espaços/instalações e alcance das ações e atividades?

Secretaria de Cultura e Turismo de Mogi/secretário Mateus Sartori: Ao longo dos últimos 10 anos, a área da cultura em Mogi das Cruzes passou por significativos avanços.

A cidade ganhou novos equipamentos culturais, como o Centro Cultural de Mogi das Cruzes – que compreende a nova Biblioteca Municipal, a Galeria de Artes Wanda Coelho Barbieri e também a Sala Multiuso Wilma Ramos – a  Casa do Hip Hop, o novo Arquivo Histórico, a Pinacoteca, o Estúdio Municipal de Áudio e Música (EMAM), o CEU das Artes.

Espaços culturais previamente existentes passaram por reformas e revitalizações, tais como o Casarão do Carmo, o Theatro Vasques, o Ciarte, o Museu dos Expedicionários e o Casarão do Chá.

O município também aprovou importantes legislações referentes à área cultural, que garantiram a criação do Sistema Municipal de Cultura, do Sistema Municipal de Museus e de importantes ferramentas de fomento, que garantem o financiamento de projetos culturais, como a Lei Municipal de Incentivo à Cultura e o Programa Municipal e Fomento à Arte e Cultura (PROFAC).

Também foi criado nesse período o Plano Municipal de Cultura, que estabelece metas do segmento cultural para os próximos dez anos, o programa Diálogo Aberto, que promove a gestão participativa e realizou até o momento 317 encontros, com 16 mil participantes.

A própria Secretaria de Cultura passou por reformulações e passou, por exemplo, a abrigar a Coordenadoria Municipal de Turismo.

Vale lembrar que em 2017 a cidade recebeu o reconhecimento de Município de Interesse Turístico (MIT) e passou a captar verbas junto aos governos estadual e federal para melhorias na infraestrutura turística do município.

Exemplo disso é a recém-entregue reforma na estação ferroviária de Sabaúna, que foi possibilitada por recursos estaduais, transferidos via MIT.

Jornal Oi – Levando-se em consideração os efeitos da pandemia de Covid-19, quais são os cinco maiores desafios do setor cultural em Mogi  (partindo do ponto de vista do Poder Público) que precisam ser debatidos na eleição deste ano e implementados pelo próximo gestor?

Secretaria de Cultura: Um dos maiores desafios do setor cultural ainda é a questão do orçamento. Havendo mais recursos, é possível resolver muitos entraves.

A pandemia da Covid-19 tem sido um desafio para todos, porém tiramos dela boas lições. Aprendemos a nos reinventar, a utilizar mais e melhor as redes sociais e plataformas virtuais de uma maneira geral e, com isso, muitos artistas passaram a alcançar público que antes não conseguiam.

É preciso seguir trabalhando, dar continuidade às práticas que deram certo, bem como galgar novas conquistas.

É preciso seguir fomentando a produção cultural em toda sua diversidade de segmentos. Também podem ser citadas como metas: fortalecer, criar, desburocratizar, inovar e revisar legislações ligadas ao setor cultural, adequar, modernizar, melhorar e ampliar o rol de equipamentos culturais públicos, cadastrar, mapear e gerar indicadores do setor e da gestão cultural de Mogi das Cruzes.

Jornal Oi – O que Mogi e os mogianos têm para comemorar em relação à produção e consumo de cultura no aniversário de 460 anos da cidade?

Secretaria de Cultura: Temos muito a comemorar. Temos equipamentos culturais com programação intensa, temos produção cultural local e isso é muito relevante. Somos uma cidade dotada de tradição e, ao mesmo tempo, de uma cultura urbana e moderna pujante.

EDUCAÇÃO MOGI 460 ANOS 

Jornal Oi – De forma resumida, quais foram os maiores avanços da educação pública em Mogi das Cruzes nos últimos anos e/ou nesta última década no que se refere a investimentos, inclusão, construção de prédios, qualificação de educadores e resultados em exames de avaliação de desempenho dos alunos da rede pública municipal?

Secretaria de Educação/secretária Juliana Guedes: Avalio que avançamos bastante, principalmente, no que se refere à questão da tecnologia com a informatização de 100% das escolas municipais e creches e a criação de ferramentas importantes, como o Migo, para a aprendizagem de inglês a partir dos três anos e o Simulados, com atividades das disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática.

Estes trabalhos foram realizados pela equipe técnica e professores da Secretaria de Educação, que são valorizados e reconhecidos em suas funções.

Foi desenvolvido também por nossa equipe o IBA – Interagir, Brincar & Aprender, material didático próprio para educação infantil e padronizamos o material didático com o uso do EMAI/Ler e Escrever no Ensino Fundamental.

Ampliamos a aplicação da Aprendi-Avaliação Municipal das Aprendizagens, que atende desde o 1º ano do ensino fundamental. Atingimos o IDEB de 6,8, o maior da história da cidade.

Foram criadas duas premiações importantes para alunos que se destacaram na Aprendi e o prêmio Mogi: Educador por Excelência, reconhecendo as boas práticas em gestão e em sala de aula.

Os novos prédios das creches trazem soluções sustentáveis, além da ampliação do atendimento com a capacidade de receber até 200 crianças em período integral. Nove creches já foram entregues na cidade, outras seis estão em construção e uma na fase final de licitação.

Jornal Oi – Levando-se em consideração a pandemia de Covid-19, quais são os cinco maiores desafios da educação mogiana para os próximos cinco anos e que precisarão ser debatidos pelos candidatos a prefeito na eleição deste ano?

Secretaria de Educação: Acredito que os desafios sejam dar continuidade a esse processo de crescimento e evolução do sistema municipal de ensino, ampliando o atendimento e a oferta do período integral, assim como tem sido feito nos últimos anos.

O investimento em tecnologia também apresentou resultados importantes diante da pandemia, o que coloca o uso de recursos tecnológicos, bem como a atualização das ferramentas como mais um desafio importante, já que o uso das atividades à distância veio para ficar, mesmo em um momento pós-pandemia.

Outro desafio é continuar inovando, não só na questão da tecnologia, mas buscando novos caminhos de aprendizagem para os nossos cidadãos do século XXI.

Jornal Oi – O que os educadores, pais, alunos e a cidade de Mogi têm para comemorar em relação à Educação no aniversário de 460 anos da cidade?

Secretaria de Educação: Mesmo durante a pandemia, com as aulas suspensas, nossos profissionais têm se desdobrado para atender os alunos e oferecer suporte aos pais que estão compartilhando a responsabilidade conosco pela aprendizagem dos alunos neste momento.

É uma situação inédita na história da nossa cidade, mas é um capítulo importante que será marcado pela união de forças em benefício das crianças mogianas.

SAÚDE MOGI 460 ANOS

Jornal Oi – Quais foram os maiores avanços do sistema de saúde pública em Mogi nos últimos dez anos em termos de investimentos, equipamentos, instalações, serviços e resultados para a qualidade de vida da população?

Secretaria de Saúde de Mogi/secretário Henrique Naufel: Mogi das Cruzes tem avançado muito na área da Saúde nos últimos 10 anos, com diversas ações, equipamentos e sistemas implantados para facilitar e ampliar o acesso dos pacientes.

Os destaques mais recentes são a implantação da Maternidade Municipal, um projeto que permitirá duplicar a capacidade de realização de partos pelo Sistema Único de Saúde na cidade, com muito mais segurança e conforto para gestantes e bebês.

Outros serviços importantes são a construção do CIAS, que será inovador, reunindo quatro importantes equipamentos num mesmo espaço: UnicaFisio, Pró-Hiper, Clínica do Homem e Clínica da Pessoa com Deficiência, além da construção de uma UPA em Jundiapeba, distrito que concentra aproximadamente um quarto da população da cidade e conseguirá prestar um serviço de urgência e emergência mais qualificado e ainda melhorar a Atenção Básica naquela região. A UPA Jundiapeba deverá entrar em operação na próxima semana.

Não podemos deixar de ressaltar o CAPS AD – Centro de Atenção Álcool e Drogas, inaugurado no começo de 2019, que presta um serviço de extrema importância para a recuperação de dependentes químicos, um problema frequente e que exige atenção especializada.

E o Caps Infantil, serviço especializado e muito aguardado em nossa cidade, que está em operação desde o início deste ano.

Jornal Oi – Do ponto de vista do Poder Público, quais são os cinco maiores desafios do sistema de saúde de Mogi para os próximos cinco anos levando-se em consideração a pandemia de Covid-19?

Secretaria de Saúde: O principal desafio e também a maior meta da Secretaria Municipal de Saúde é fortalecer a Atenção Básica para melhorar o cuidado ofertado à população.

O desafio passa pela ampliação da Estratégia Saúde da Família (ESF) na cidade, o que, apesar das limitações impostas pela pandemia do novo coronavírus, já avançou com a implantação de três novas unidades: Quatinga, Biritiba Ussu (já em funcionamento) e Taiaçupeba (em implantação).

Outro desafio para o qual a Saúde de Mogi das Cruzes trabalha constantemente é ofertar serviços de saúde com maiores demandas e reduzir a espera por exames, procedimentos e tratamentos importantes.

Com toda segurança e cuidado necessários, por exemplo, está em andamento um mutirão para realização de cirurgias de catarata em pacientes que já aguardavam pelo procedimento.

No total, serão quase 2 mil cirurgias realizadas nos próximos meses, zerando a fila de espera por esse tipo de procedimento.

Jornal Oi – O que os gestores e trabalhadores da Saúde em Mogi e a população devem comemorar no que se refere aos serviços de saúde oferecidos pelo município nos 460 anos da cidade?

Secretaria de Saúde: O ano de 2020 está sendo totalmente atípico, principalmente para Saúde, e mostrou que Estado e município precisam estar juntos no enfrentamento das doenças e no estímulo e manutenção da Saúde.

Com a estabilização no número de óbitos por Covid-19 registrada nas últimas semanas, Mogi das Cruzes completa 460 anos com a desativação do Hospital de Campanha depois de três meses de atuação no atendimento de quase 500 pacientes.

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO MOGI 460 ANOS 

Jornal Oi – Quais foram os maiores avanços de Mogi das Cruzes na área do Desenvolvimento Econômico e Geração de Empregos, aumento de renda das pessoas e ampliação do orçamento da prefeitura desde 2010 e quais foram os benefícios concretos desses avanços para a população e a cidade?

Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Mogi: Nos últimos anos, Mogi das Cruzes tem se destacado no cenário econômico, não só pela sua localização privilegiada, mas por oferecer condições favoráveis para os empreendedores que desejam se instalar na cidade e aqueles que já desenvolvem sua atividade no município.

Neste período passamos por diferentes cenários econômicos e como temos uma economia consolidada, dividida em setores fortes como serviços, comércio, indústria e agricultura, Mogi das Cruzes continua sendo referência não só para o Alto Tietê como para o Estado de São Paulo.

Foi feito um trabalho muito próximo ao empresariado e empreendedores da cidade. Um trabalho de apoio com políticas de incentivo, como hoje temos o Promae Emprega Mogi – Programa Mogiano de Atração de Investimentos e Geração de Empregos – que estabelece novas diretrizes e concede benefícios e incentivos fiscais e tributários para empresas que venham se instalar ou as instaladas no município que estejam em processo de expansão e uma parceria com o Sebrae-SP com a capacitação de nossos empreendedores, que  hoje também conta com uma linha de crédito por meio do programa Empreenda Rápido, em parceria com o Governo do Estado.

Temos uma unidade do Banco do Povo na cidade, que completou 19 anos neste ano e neste momento da pandemia concedeu mais de R$ 1 milhão, dentre os R$ 25 milhões oferecidos para todo o Estado de São Paulo.

A Sala do Empreendedor, que possibilita a abertura de empresa em um dia, recebeu o Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor na categoria Desburocratização e Implementação da Rede Simples.

Contamos com o Polo Digital de Mogi das Cruzes, referência no empreendedorismo de inovação, que recebeu o Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor na categoria Inovação e Sustentabilidade e o Prêmio InovaCidade 2019, que integrou a programação do Smart City Business Expo Brazil.

A cidade possui um ecossistema de inovação, formado pelo Polo Digital de Mogi das Cruzes, o Conselho Municipal de Inovação e Tecnologia – CMIT, o Fundo Municipal de Inovação e Tecnologia – FMIT e a Escola de Empreendedorismo e Inovação.

Estamos em um momento adverso com a pandemia e criamos 619 postos de trabalho em julho, interrompendo uma sequência de quatro meses de números negativos.

Esse processo de retomada já havia sido sentido no trabalho feito pelo Emprega Mogi, que intermediou, em julho, 560 contratações.

Foi criado o Emprega Mogi Digital, em que é possível cadastrar seu currículo, atualizar seus dados e se candidatar a uma das vagas disponíveis, com toda comodidade, pelo seu computador ou celular. O site é http://www.mogidascruzes.sp.gov.br/empregamogidigital.

Dentro do contexto da pandemia, desenvolvemos o Plano de Retomada Econômica, que tem como objetivo estimular o desenvolvimento da cidade, a criação de empregos e a geração de renda.

Trazem diretrizes nos setores de empregabilidade, de apoio ao empreendedor, de parceria com as indústrias e de inovação tecnológica.

  • Investimentos recentes em Mogi das Cruzes:
  • Spani – Manutenção de 105 empregos diretos e ampliação de mais 25 diretos e outros 100 indiretos;
  • G2L Logística – Geração de 60 empregos diretos e outros 120 empregos indiretos;
  • Agco Valtra – Geração de 30 empregos diretos e outros 60 indiretos;
  • Investimento: R$ 20 milhões para fabricação de pulverizadores agrícolas e colhedoras de cana de açúcar. Pode chegar a 120 empregos diretos e aproximadamente 200 indiretos;
  • MGI Tech – Iniciou processo de contratação de mais 50 profissionais em tecnologia, com foco em soluções de serviços;
  • Ponsse – empresa está ampliando a sua atuação na cidade para atendimento de um novo contrato de fornecimento de equipamentos, o que deverá gerar até 250 novos empregos na cidade nos próximos meses, inclusive para trabalhadores com alta formação.

Jornal Oi – Quais são os 10 maiores desafios do Desenvolvimento Econômico e Geração de Empregos da cidade partindo da visão do Poder Público para os próximos cinco anos?

Secretaria de Desenvolvimento Econômico: Estamos um momento inédito da economia, não só da nossa cidade, mas no cenário mundial e o desafio deste momento, eu entendo que seja essa retomada gradativa das atividades e a recuperação da economia.

É o momento de estabelecer ainda mais um diálogo transparente com os diferentes setores, caminhando lado a lado e proporcionando condições para que as empresas possam se desenvolver em nossa cidade e gerar empregos.

Este apoio e o desenvolvimento de políticas públicas com este objetivo são fundamentais. O papel do Poder Público é qualificar a mão-de-obra, o que temos feito em parceria com a iniciativa privada e outras instituições e que tem sido um dos diferenciais da cidade na atração de novos investimentos.

Esse foco na tecnologia e no empreendedorismo de inovação, em especial, para o público jovem atende a uma tendência econômica da indústria 4.0 e do empreendedorismo jovem, com a redução do emprego formal.

O gestor público deve estar atento a estas questões e gerar oportunidades com o fomento a este setor.

Manter a cidade no radar do desenvolvimento é  importante com a parceria com o Governo Estadual, mantendo a interlocução com instituições, como a Investe São Paulo, entre outras.

ESPORTE MOGI 460 ANOS 

Jornal Oi – Quais foram os principais avanços do Esporte em Mogi  (partindo do ponto de vista do Poder Público) nos últimos 10 anos no que se referem a equipamentos, ações, atividades, investimentos e  alcance/resultados das ações da Secretaria de Esportes para toda a cidade?

Jornal Oi – Em relação ao esporte de alto rendimento o que pode ser destacado nesta última década?

Secretaria de Esporte de Mogi/secretário Nilo Guimarães: Mogi das Cruzes evoluiu bastante no Esporte nos últimos anos com a ampliação no atendimento das modalidades esportivas.

A delegação de Mogi das Cruzes, que disputava os Jogos Regionais e Jogos Abertos, tinha 200 atletas há 10 anos e saltamos para mais de 500 atletas atualmente.

Todas as modalidades que são disputadas pela cidade nos Jogos Regionais são ofertadas em escolinhas nas unidades esportivas da Secretaria de Esporte e Lazer. Hoje são 27 modalidades esportivas com 34 equipes.

Esse investimento consequentemente melhorou o desempenho da cidade nos Jogos Regionais e Jogos Abertos.

Há alguns anos, Mogi das Cruzes fica entre os quatro primeiros colocados, o mesmo acontece nos Jogos Abertos, isso é um salto de muita qualidade nos últimos anos.

A cidade sediou duas edições dos Jogos Abertos, nos anos de 2011 e 2013, onde foram recebidos mais de 10 mil atletas em nossa cidade.

A Prefeitura de Mogi das Cruzes implantou o programa de ATIs (Academias da Terceira Idade). Hoje são 92 unidades e pretendemos chegar a 100 unidades até o final do ano.

O Ginásio Municipal de Esportes Prof. Hugo Ramos foi reformado e hoje é considerada uma das melhores arenas do Brasil.

O calendário de eventos esportivos do município foi ampliado com a inclusão de eventos, como corrida de rua, passeios ciclísticos e outros eventos na área do Paradesporto, o Strong Man e competições de artes marciais

Consequentemente cresceu a representatividade da cidade nestas modalidades com um maior número de participantes nas respectivas federações.

Foi implantada a Praça da Juventude, no Jardim Layr e com isso, a cidade aumentou o número de professores estagiários que trabalham tanto diretamente como indiretamente, o que fez com que crescesse a oferta de atendimento aos munícipes.

O Centro Municipal de Paradesporto Prof. Cid Torquato foi um ganho fantástico para a cidade. São raríssimas cidades no Brasil que tem esse cuidado e infraestrutura para o paradesporto.

O estádio Francisco Ribeiro Nogueira, o Nogueirão, foi reformado e hoje tem um dos melhores campos do Estado de São Paulo.

Foram implantadas várias áreas de lazer e os centros esportivos de Sabaúna, Jundiapeba e Jardim Camila receberam cobertura.

O Parque da Cidade também se destaca neste período, sendo um espaço com um viés totalmente esportivo, praticamente um clube municipal para a prática de esporte com muita segurança.

Foi implantado o NAF – Núcleo de Avaliação Física, grande programa de busca ao sedentarismo, que não conseguimos implantar devido à pandemia.

Com o programa Bola na Rede, a Prefeitura de Mogi das Cruzes implantou complexos esportivos em diferentes bairros com campos sintéticos, ATI, pista de caminhada, street ball e parque infantil. São 12 campos sintéticos e um de campo natural. Chegaremos 14.

A cidade tem duas modalidades de alto rendimento, que treinam em regime profissional, o futsal e o basquete.

São modalidades que movimentam a cidade, inclusive a economia e promovem o nome de Mogi das Cruzes. Em um dia de jogo no Ginásio Municipal, trabalham entre 80 e 100 pessoas.

São quase 10 anos com em que contamos com o basquete. Já conquistamos títulos importantes e Mogi das Cruzes sempre está entre os quatro melhores do Brasil.

Jornal Oi – Quais são os cinco maiores desafios para o esporte de Mogi partindo do ponto de vista do governo  levando-se em consideração a pandemia de Covid-19  para os próximos cinco anos e que os candidatos para a eleição precisarão debater na campanha deste ano?

Jornal Oi – O que o esporte e os esportistas de Mogi têm para comemorar nos 460 anos da cidade?

Secretaria de Esportes: Mogi das Cruzes é uma cidade de 450 mil habitantes e um dos desafios é mantê-la ativa esportivamente, com atividades para os deficientes, idosos, crianças, adultos, além de promover eventos e cumprir os calendários esportivos do Estado.

Um segundo desafio é a educação e o cuidado com o patrimônio público. É preciso conscientizar o munícipe de que os equipamentos são feitos com recursos públicos e pertencem à população.

É importante também manter o interesse dos empresários em patrocinar o esporte. O esporte é um produto fantástico e hoje temos eficientes plataformas de divulgação, como a internet.

Outro ponto que deve ser considerado é fazer com que o esporte se torne cada vez mais hábito na vida das pessoas. O esporte praticado com frequência promove saúde para o ser humano.

Esse trabalho de levar o esporte a todos os bairros também deve ser uma preocupação do poder público, revitalizando, inclusive áreas degradadas com equipamentos simples que possam contribuir para a aproximação do esporte e saúde.