Entidades de Mogi lançam o Cipec para apoiar a prefeitura contra a pandemia. O governo aceita ajuda?
O objetivo do grupo é apoiar e atuar em conjunto com a prefeitura de Mogi das Cruzes para buscar soluções para os impactos gerados pela pandemia/ Foto: Divulgação
Tenda Atacado

Onze entidades mogianas lançaram nesta quarta-feira, 7, o Comitê Integrador e Participativo de Enfrentamento às Consequências do Covid-19 (CIPEC).

O objetivo do grupo é apoiar e atuar em conjunto com a prefeitura de Mogi das Cruzes para buscar soluções para os impactos gerados pela pandemia.

O lançamento foi marcado pela articulação das entidades e a definição dos objetivos do comitê. O plano de trabalho será apresentado nos próximos dias.

O CIPEC tem como meta a cooperação nas iniciativas da administração municipal e o compartilhamento da responsabilidade nas tomadas de decisões.

Um dos principais objetivos é estudar ações preventivas, mitigadoras e compensatórias voltadas para as atividades geradoras de emprego, bem como, auxiliar a prefeitura no direcionamento de ações fiscalizadoras.

O comitê buscará promover ainda, campanhas de conscientização de segurança sanitária, além do consumo consciente.

O objetivo do CIPEC é propor e encontrar alternativas para manter o isolamento social, o que garante a redução nos índices de contaminação, mas de uma maneira que se distancie dos conceitos de essencialidade e limitação de horário de funcionamento de atividades econômicas. Ao todo, as entidades participantes representam cerca de 100 mil pessoas.

“A participação destas entidades é essencial para que possamos promover a retomada da economia da melhor forma possível, auxiliando nas decisões da Prefeitura. Esta união fortalece os setores e unificamos nossa voz. Queremos criar um movimento colaborativo não só em Mogi, mas no Alto Tietê, apoiando e participando das decisões do Condemat e do governo estadual”, esclarece o porta voz do CIPEC, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Mogi e Região (Sincomércio), Valterli Martinez.

Nos próximos dias, o grupo enviará ofícios para as prefeituras e câmaras municipais da Região para apresentar propostas e propor parcerias.

O gerente regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)  Alto Tietê, Manoel Camanho, destaca que o comitê é apartidário.

“Não temos nenhuma ligação ou viés político. Nossa função não é apontar falhas, mas ajudar para que elas não ocorram”, acrescenta.

O presidente da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Mogi (Aeamc), Nelson Batalha Neto, ressalta que o objetivo do grupo é agir em benefício de toda a população mogiana.

O CIPEC vai se reunir semanalmente por meio de reuniões virtuais para levantar as demandas dos setores e organizar ações que possam ser colocadas em prática.

Participantes

Integram o CIPEC: Associação dos Empresários Contábeis do Alto Tietê (AESCON), Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Mogi (Aeamc), Bunkyo – Associação Cultural de Mogi, Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) Mogi, Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) Regional Alto Tietê, Conselho Regional de Contabilidade (CRC) Mogi, Sindicato do Comércio Varejista de Mogi Região (Sincomércio), Sindicato dos Empregados no Comércio de Mogi (Sincomerciários), Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviários de Mogi, Suzano, Guararema, Biritiba Mirim e Salesópolis, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Mogi (Stermc), além do Sindicato Rural de Mogi.