Educação de Suzano inicia projeto-piloto para acolhimento de alunos autistas
Ação voltada para estimular o desenvolvimento e autonomia deste público atenderá crianças de até 30 meses/ Foto: Wanderley Costa/Secop Suzano
Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde

A Secretaria de Educação de Suzano deu mais um passo nesta semana para a consolidação de um projeto-piloto pioneiro para o acolhimento de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) das creches municipais.

Nesta primeira etapa, seis suzanenses de até 30 meses de idade passarão por atendimento especializado constante, visando contribuir com o seu desenvolvimento. As atividades com os alunos tiveram início na última segunda-feira, 18.

A iniciativa é baseada no Método Denver de Intervenção Precoce (ESDM), uma terapia comportamental que utiliza brincadeiras e ações conjuntas para estimular o aprimoramento de habilidades cognitivas, sociais e de linguagem.

Os trabalhos de implementação do projeto-piloto tiveram início no final de 2019 e foram suspensos no ano passado, em razão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Com a retomada de atendimentos presenciais na rede, a pasta já se prepara para retomar o acolhimento dos alunos, com possibilidade de futura expansão.

A aplicação da medida em Suzano é fruto de uma parceria da administração municipal com o Instituto Farol, que tem promovido desde então a capacitação de cinco servidores municipais para atuar diariamente com as crianças.

Destes, dois já estão aptos para iniciar os trabalhos e três estão em formação. Além disso, as seis crianças com TEA já foram avaliadas pelos profissionais competentes para que possam participar da iniciativa, que prevê três horas diárias de atendimento especializado de acordo com as necessidades identificadas.

Pelo teor multidisciplinar, a ação também conta com envolvimento de neuropediatra e outros médicos da Secretaria Municipal de Saúde.

Segundo o secretário de Educação de Suzano, Leandro Bassini, o tratamento por meio do Método Denver é pioneiro no mundo e conta com resultados cientificamente comprovados. Ele pontuou que a medida permite, a partir da identificação de possíveis sinais de autismo, que seja possível, inclusive, reverter alguns sintomas por meio das intervenções.

“É um trabalho pensado para estimular a autonomia dos pequenos durante seu crescimento, para que, quando mais velhos, se tornem mais independentes. Com a assistência especializada adequada, podemos garantir as intervenções necessárias para que o desenvolvimento do aluno de fato aconteça”, ressaltou.

A rede municipal de ensino de Suzano tem, atualmente, 190 alunos com autismo. Destes, apenas os seis selecionados participarão desta primeira etapa, tendo em vista a quantidade de profissionais aptos a atuar e o teor intensivo do projeto-piloto.

As crianças contempladas são de vários pontos do município, como Vila Urupês, Sesc, Cidade Miguel Badra, Jardim Monte Cristo, entre outros bairros. A expectativa da Secretaria Municipal de Educação é de ampliar a formação dos servidores municipais em breve, para poder levar o serviço a mais locais.