Educação, a chave para o futuro
Lucas do Liceu é advogado, educador e empresário. Atuou como secretário municipal de Educação de Itaquaquecetuba/ Foto: Divulgação
PREFEITURA DE MOGI DAS CRUZES

*Por Lucas do Liceu

Ensinar e aprender faz parte da natureza humana, desde o nascimento. A educação é um processo muito rico, complexo e dinâmico, no qual participamos ao longo da vida como aprendizes e ensinantes de forma intercalada e ininterrupta, sobretudo com ações contínuas e organização social.

Educar é como a arte de cultivar a terra: o primeiro passo é semear, lançar as sementes – estabelecer habilidades, competências; regar: fomentar a sensibilidade para aprender e – germinar:  tirar lições da semente, que busca crescer e evoluir. Enfim, é saber plantar, regar e desfrutar a colheita.

Entretanto, não se pode falar em Educação sem falar nos profissionais que a fazem acontecer, na prática.

Valorizar os profissionais da área é condição fundamental para a melhoria da escola pública e deve integrar as políticas públicas.

Nesse contexto, o profissional da educação ocupa lugar central, cumprindo a tarefa de cuidar da formação dos que chegam até a escola.

O trabalho dos profissionais da educação precisa de condições adequadas para ser realizado com sucesso.

Garantir as condições de trabalho para os que estão em exercício na escola e nas secretarias de educação, tornando a profissão atrativa para a juventude, é responsabilidade do Estado, assim como assegurar qualidade de vida para os profissionais no momento da aposentadoria.

Essas responsabilidades estão previstas nas legislações que tratam dos direitos trabalhistas e sociais.

Enquanto secretário municipal de Educação em Itaquaquecetuba, pude ver de perto as necessidades desses profissionais.

Nos empenhamos na capacitação e valorizamos a atuação e participação dos profissionais que se reinventaram e se desdobraram durante a pandemia, inclusive, com a participação do professor e historiador Leandro Karnal, uma experiência enriquecedora.

Também, disponibilizamos um bônus de quatro vezes o salário do professor e todos os profissionais do quadro escolar.

A valorização profissional é, sem dúvida, uma forma de trazer mais qualidade de ensino, uma vez que fomenta e desperta a motivação e o incentivo.

No entanto, há uma necessidade urgente de reavaliar as tendências educacionais para gerar alternativas que despertem a paixão de ensinar, fazendo com que a sala de aula se torne um ambiente atraente para o aluno e prazeroso para o professor.

É preciso oxigenar. A Educação é a chave para o futuro e precisamos investir na formação dos alunos, para que se tornem cidadãos de bem.

*Lucas do Liceu é advogado, educador e empresário. Atuou como secretário municipal de Educação de Itaquaquecetuba. É coordenador regional do PP, está em seu primeiro mandato como vereador em Itaquá e foi o mais votado em toda a história do Alto Tietê.