Prefeitura de Guararema

Graziella Porfírio, 40 anos, é uma munícipe ilustre na cidade de Suzano pelo trabalho social que realiza na região carente da cidade no Jardim Maitê e Adjacências. Ao lado de seus voluntários e apoiadores, ela é a idealizadora da Organização Não Governamental (ONG) Esperança e Destino, que atualmente atende aproximadamente 150 crianças em diversas oficinas de arte.

Além de garantir o exercício da cultura e cidadania as crianças do bairro, a ONG também têm atuado de forma auxiliadora no combate a fome desde o início da pandemia com doações de mantimentos e alimentos em regiões carentes na cidade.

Infelizmente, a ONG Esperança e Destino foi criticamente afetada durante a pandemia, haja vista, que suas atividades ficaram suspensas durante o período mais crítico da crise sanitária, entretanto, isso não fez Graziela desistir de prosseguir com seu trabalho.

Nesta entrevista, outra especial da coluna Líder que Inspira, Graziella Porfírio vai te inspirar a acreditar que um bairro carente, pode ser transformado através da arte, cultura e cidadania.

Jornal Oi: O que representa e executa atualmente no Jardim Maitê a ONG Esperança e Destino?

Graziella Porfírio: Esperança e Destino representa, arte, cultura e educação. Oportunidade, inclusão social e vivência. Nossa proposta é trabalhar com as oficinas no contra turno da escola formal e através delas gerar oportunidade as crianças atendidas, causando impacto e transformação.

Jornal Oi: Quantas crianças são atendidas atualmente? Quais as oficinas que vocês executam? O que vocês almejam incluir nas atividades?

Graziella Porfírio: Nós atendemos 130 crianças e adolescentes (alunos) . Na pandemia, no ano de 2020 chegamos atender mais de 500 crianças. Nossas oficinas são, Circo, Teatro, Ballet, Musica e Street Dance. Para esse ano se tudo der certo, iremos incluir algumas oficinas profissionalizantes além da Oficina de Literatura e pretendemos também incluir uma modalidade esportivia. Todas as nossas oficinas são gratuitas.

Jornal Oi: Como a pandemia afetou o trabalho da ONG? As atividades foram suspensas? Se sim, vocês já retomaram?

Graziella Porfírio: Embora a Pandemia trouxe dores e perdas para muita gente, para nós enquanto instituição foi um ano de muito impacto. Afetados diretamente pela pandemia, com as aulas suspensas, replanejamos nossas atividades ano passado e fomos para linha de frente na Campanha contra fome e enfrentamento ao Covid 19. Chegamos a impactar diretamente mais de 4 mil pessoas com cestas básicas, kits de leite e higiene. Isso se tratando de impacto social para instituição é muito considerável. Não retomamos as aulas ainda, estamos aguardando até a primeira semana de Fevereiro as próximas diretrizes do Governo. Mais o administrativo, as ações de urgência e acolhimento das famílias atendidas estão em andamento.

Jornal Oi: Como a ONG se manteve durante este período de pandemia?

Graziella Porfírio: Com as doações. Nós sobrevivemos em quase 4 anos de existência com doações de padrinhos que são feita de forma recorrente através do site abaixo https://app.doare.org/br/doacao/5677/associacao-esperanca-e-destino

2020 trouxe para vida de muita gente um senso de solidariedade, para as instituições como a nossa isso foi bom, pois recebemos doações muito especifica que forma capazes de atender toda nossa demanda de trabalho e continuarmos com nosso espaço.

Jornal Oi: Atualmente, a ONG participa de incubadoras de fortalecimento no projeto? Se sim, quais e como isso tem auxiliado na atividades ONG?

Graziella Porfírio: Sim, agora é oficial, esse ano estarei estudando na Universidade Falcons do Projeto Gerando Falcões. Fui aprovada para ingressar na Falcons University, uma universidade para líderes sociais de todo Brasil que faz parte da Rede Gerando Falcões. Vou me desenvolver enquanto líder social para potencializar o trabalho que realizo.
Fomos uma das instituições aprovadas no edital e diretamente para a organização é muito bom, afinal é lá que irei aplicar todos os conhecimentos. Esse é um momento propício para fortalecimento da nossa rede e de evasão do projeto. Com certeza não perderei a oportunidade de falar de Esperança e Destino

Jornal Oi: Para a Graziela Porfirio, qual o significado da palavra Inspiração?

Graziella Porfírio: É o significado que meus olhos veem todos os dias. É passar o túnel (que da acesso ao bairro) e ver aquele lugar que tem nome de jardim, florescendo.

Jornal Oi: Quais são os principais objetivos a longo prazo da ONG?

Graziella Porfírio: Pensando em oportunidades, com certeza é ampliar o número de crianças atendidas. Nosso espaço é alugado e está à venda, nosso objetivo é comprá-lo.

Já temos uma campanha no link de doações para compra do espaço e chegamos ao valor mensal de contribuição para manter o projeto (cerca de 7 mil reais no mês). Comprando o local que estamos, ampliamos 3 vezes mais o numero de crianças atendidas e chegaremos ao nosso objetivo principal, que é ter um Espaço de Arte e Cultura no Jardim Maitê, e conseguir mostrar nossa arte e permitir o acesso de pessoas do bairro e principalmente fora do bairro aos espetáculos realizados por nossas crianças.

Desde que nascemos enquanto instituição, acreditamos em algo. Nós “produzimos” algo ali, no Jardim Maitê, e o mundo precisa ver e saber o que tem sido feito. Esperança e Destino do Jardim Maitê para o Mundo.