Cidades da região e todo o Estado ficarão na fase vermelha por 14 dias. Restrições mais severas começarão neste sábado
A medida entrará em vigor na primeira hora do sábado e deve permanecer até o dia 19 de março. O anúncio foi feito pelo governador João Doria no início da tarde desta quarta/ Foto: Governo do Estado de SP
Governo do Estado de São Paulo

O governo de São Paulo regrediu nesta quarta-feira, 3, todo o Estado para a fase vermelha, a mais restritiva da quarentena.

A medida entrará em vigor na primeira hora do sábado, 6, e deve permanecer até o dia 19 de março.

O anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB) no início da tarde desta quarta.

“Estamos em São Paulo e no Brasil à beira de um colapso. Exige medidas coletivas e urgentes (…)”, disse Doria.

A fase vermelha autoriza apenas o funcionamento de setores da saúde, transporte, imprensa, estabelecimentos como padarias, mercados e farmácias, além de escolas e atividades religiosas, que foram incluídas na lista de serviços essenciais por meio de decretos estaduais. Shoppings, academias, restaurantes, bares e comércios não podem funcionar.

“As escolas das redes públicas estadual e municipal e da rede privada vão continuar abertas, e vão atender os alunos. Exatamente como estava previsto”, completou o governador.

A mudança na classificação, após São Paulo bater recorde de mortos por Covid-19 e internados com a doença.

Atualmente, de acordo com atualização do plano estadual, divulgada na última sexta, 26, seis regiões estão na fase vermelha: Araraquara, Bauru, Barretos, Presidente Prudente, Ribeirão Preto e Marília.

Apesar de o governador tratar essas semanas como as piores desde o início da pandemia, o governo não cogita reabrir os hospitais de campanha na capital, porque, segundo a administração estadual, o estado precisa de leitos de UTI e as estruturas abertas na primeira onda de pandemia só tinham leitos de enfermaria.

Em fevereiro, o governo chegou a anunciar que reabriria o Hospital de Campanha de Heliópolis, o único da cidade que tinha leitos de UTI, mas até agora a unidade não foi reaberta.

Toque de restrição

A gestão estadual também antecipou para as 20h o início do chamado “toque de restrição”.

“Há uma medida complementar que é o toque de restrição a partir das 20h. Então, quem não precisa circular, precisa ficar em casa entre 20h e 5h da manhã. Os serviços essenciais podem funcionar”, afirmou a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

Anunciada no final de fevereiro para todo o estado, a medida entrou em vigor inicialmente das 23 às 5 horas, com o objetivo de coibir aglomerações e festas noturnas.

Na região do Alto Tietê, Mogi das Cruzes, se antecipou ao anúncio do governo do Estado e implantou medidas de restrições mais severas ainda nesta quarta-feira.