Central da Covid faz 138 atendimentos no primeiro dia de funcionamento em Itaquá. Espaço tem 17 leitos
A Central de Atendimento Covid-19 de Itaquá registrou no seu primeiro dia de funcionamento 138 atendimentos/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Guararema

A Central de Atendimento Covid-19 de Itaquá registrou no seu primeiro dia de funcionamento 138 atendimentos.

Desses, dois estão em observação em leitos de enfermaria. A unidade, que funciona 24 horas, na rua João Vagnotti, 37, região central da cidade, foi inaugurada na manhã de quinta-feira, 25.

O local conta com 17 leitos, sendo três de estabilização, dois de isolamento e 12 de enfermaria, um tomógrafo computadorizado para detectar o grau de comprometimento pulmonar causado pelo vírus, sala de emergência, de medicação, farmácia e dois consultórios com equipamentos de informática. O telhado foi reformado para conter as infiltrações que haviam.

A sala de emergência possui três leitos de estabilização com respiradores, monitores multiparâmetro de sinais vitais, bombas de infusão, desfibrilador, além de medicamentos e insumos como seringas e agulhas.

Há também uma sala de medicação para pacientes que não precisarão ser internados e estão com sintomas leves, com seis poltronas, um aparelho de eletrocardiograma e uma cadeira portátil para realização do exame.

Outras salas somam 12 leitos de enfermaria. Também foi reservada uma sala com um leito de isolamento contendo respirador e bomba de infusão para pacientes com comorbidades e outra sala com leito de isolamento para crianças.

A sala de serviço social também tem porta de entrada pela rua e foi pensada para que amigos e familiares que queiram informações sobre o estado de saúde de algum paciente não precisem entrar na unidade correndo o risco de serem infectados.

A farmácia também está equipada com um refrigerador e estoque de medicamentos, assim como foi feita uma sala de enfermagem para preparo da medicação com oxímetro, estetoscópio, termômetro, etc.

Com esse reforço de leitos e atendimento especializado, a Prefeitura de Itaquaquecetuba pretende desafogar o Hospital Santa Marcelina, no Jardim Nova Itaquá, que é estadual, a UPA 24h e o CS 24h, ambos municipais.

As três unidades continuarão o atendimento a infectados com Covid-19, funcionando como retaguarda.

“Nossa felicidade é poder dar a toda a cidade de Itaquaquecetuba a possibilidade de tratamento e de atendimento em enfermaria e emergência, se houver necessidade”, ressaltou o prefeito Eduardo Boigues.