Carta branca de Costa Neto para Bolsonaro no PL deverá fulminar apoio de liberais de Suzano e região ao tucano Rodrigo Garcia
A indicação de que o presidente terá carta branca para mexer no PL, especialmente em São Paulo, ocorreu após reunião de dirigentes da sigla partidária em Brasília nessa quarta-feira/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Guararema

O que a coluna ‘Flechadas do Oi’ achava quase impossível de acontecer está acontecendo, ou seja, o PL de Valdemar Costa Neto deverá dar o ok para que Jair Bolsonaro ‘mande em tudo’ no partido ao qual deverá ser filiar até o final deste mês.

A indicação de que o presidente terá carta branca para mexer no PL, especialmente em São Paulo, ocorreu após reunião de dirigentes da sigla partidária em Brasília nessa quarta-feira, 17.

A afirmação foi feita pelo senador Jorginho Mello (PL-SC), após reunião da liderança partidária.

Mello disse que o assunto (se Bolsonaro vai mandar em tudo) será “equacionado” a partir de agora.

“Todo mundo vai receber o presidente de braços abertos”, disse o parlamentar que é da base do governo no Senado que definiu a reunião como “muito positiva”, com poucas resistências de diretórios estaduais.

O presidente da República indicou que se filiaria no final do mês na legenda, mas a união ficou em suspenso após discussões entre Bolsonaro e Valdemar no final de semana.

O principal motivo seria a vontade de Jair Bolsonaro em ter controle completo de diretórios estaduais específicos, como Pernambuco e São Paulo, e a resistência de Valdemar em abrir mão.

Outro problema que resultou em uma troca de ‘VTNC’ entre Bolsonaro e Valdemar no final da semana que passou foi o possível apoio a candidatos de outros partidos e de ideologias distintas de Bolsonaro em 2022.

O partido indicou que apoiaria o vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, ao governo do Estado. Garcia também é apoiado por João Doria (PSDB), desafeto do presidente.

Sobre isso Jorginho disse que o partido deve manter a fidelidade à pauta do governo.

“Não terá coligação com outro partido que não esteja alinhado com Bolsonaro”, disse argumentando que será feito um mapa “estado por estado” com a situação.

Temos então que o deputado André do Prado (PL), o prefeito de Suzano,  Rodrigo Ashiuchi (PL), o deputado federal Marcio Alvino (PL), e outros entusiastas apoiadores de Rodrigo Garcia, poderão ser forçados pelo capitão e o seu filho, deputado Eduardo Bolsonaro (que quer tomar o comando do PL em SP), a dar meia volta volver e apoiar um candidato ao governo de SP que seja do agrado de Bolsonaro.

Caso esse cenário se confirme, Rodrigo Garcia e o PSDB em SP (leia-se João Doria) sofrerão uma derrota no atacado. A conferir.

Edinho quer parceria com o presidente Pernoca para disputar a prefeitura de Poá em 2024

A coluna ‘Flechadas do Oi’ questionou o vereador de Poá do Podemos, Edinho, sobre a sua intenção em ser candidato a prefeito da cidade em 2024.

O parlamentar não fugiu da pergunta e reforçou como tem feito em todos os cantos da cidade, que é pré-candidato à prefeitura de Poá na próxima eleição e que atualmente possui aval do partido para tal plano eleitoral.

Edinho revelou a reportagem também que nos bastidores tem dialogado com o presidente da Câmara, Diogo Pernoca, para uma possível parceria de ambos na eleição de 2024.

O vereador do Podemos, entretanto, deixou claro que já passou a Pernoca suas intenções de ser cabeça de chapa.