Bolsonaro sugere fechar jornais. Sem novidades. Qual prefeito/a do Alto Tietê pensa igual ao presidente? E por quê?
Durante o passeio pelo litoral de São Francisco do Sul (SC), Bolsonaro voltou a causar aglomeração e a circular sem máscaras/ Foto: Ivan de Leone/Prefeitura de São Francisco do Sul
Tenda Atacado

O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar a imprensa. Em live transmitida pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), seu terceiro filho, Bolsonaro diz que “o certo” seria acabar com os veículos para que as notícias falsas parem de circular.

“O certo é tirar de circulação, não vou fazer isso porque eu sou um democrata, Globo, Folha de S.Paulo, Estadão, Antagonista… que são fábricas de fake news”, disse o presidente.

Durante o passeio pelo litoral de São Francisco do Sul (SC), Bolsonaro voltou a causar aglomeração e a circular sem máscaras.

O atual presidente do Brasil dizer isso não chega a ser uma novidade e ele tem o direito de falar mais essa asneira.

A grande questão é por que o presidente faz tal afirmação? Se por acaso os jornais fecharem quem é que vai informar o que é a quem?

Essa é a grande questão que cínica, malandra e grotescamente o presidente não responde. O que Bolsonaro quer é que ninguém tenha informação imparcial e qualificada.

Ele quer que o povo se informe por meio de suas lives grotescas. Bolsonaro ataca a imprensa não pelos problemas que a imprensa tem e representam ao País (e sim, a imprensa em sua grande maioria precisa ter uma outra postura), mas sim porque ele, a frente de um governo medíocre e odioso não quer imprensa nenhuma.

No Alto Tietê, certamente tem prefeito e prefeita vibrando por dentro com mais esse ataque de Bolsonaro.

O grande problema é que prefeito ou prefeita e outros políticos do Alto Tietê que por ventura estariam ‘fechados com Bolsonaro para acabar com os jornais’ tem os mesmos motivos de Bolsonaro: querem fechar os jornais não porque os jornais (muitos deles) não fazem o seu trabalho corretamente, mas sim porque não querem jornal nenhum.

Não querem ser questionados, querem falar e ouvir só o que lhes interessa. Bolsonaros em geral, não passarão; ou melhor, passarão e a imprensa (séria e qualificada) continuará cumprindo com a sua missão.

Guardem esse editorial e nos cobre depois. Bolsonaro e outros lixos iguais a ele vão passar e nós vamos em frente.