04 de dezembro de 2020
Publicidade
Fale com o OI no WhatsApp
Início Autores Posts por Redação

Redação

Avatar
10093 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Associação Comercial discute com a PM a segurança no comércio que, neste final de ano, funcionará em horários diferenciados 

Associação Comercial discute com a PM a segurança no comércio que, neste final de ano, funcionará em horários diferenciados
Na reunião com o capitão Rogério Rodrigues, comandante da 1° Companhia do 17° Batalhão, o presidente da Associação Comercial de Mogi ressaltou a importância de maior policiamento nas áreas comerciais da cidade/ Foto: Divulgação

O presidente da ACMC – Associação Comercial de Mogi das Cruzes, Marco Zatsuga, se reuniu na quinta-feira, 3, com o comando da Polícia Militar para tratar da segurança no comércio, em especial do reforço no policiamento durante esse final de ano, época em que o movimento de consumidores nas lojas é maior.

Com a volta das restrições da fase amarela do Plano SP, a partir de segunda-feira, 7, as atividades comerciais e de serviços da cidade só poderão atender 40% da capacidade e funcionar por 10 horas/dia, as quais poderão ser sequenciais ou fracionadas, não podendo ultrapassar as 22 horas.

“O horário de abertura e fechamento não foi padronizado. Ou seja, está facultativo aos empresários escolher o que é melhor para o seu estabelecimento”, reforça o presidente Zatsuga.

“Isso é diferente do que sempre aconteceu nesta época do ano, quando as lojas funcionavam em horário estendido. Por isso a importância de conversar com a Polícia Militar e somar esforços para garantir que o comerciante tenha segurança para trabalhar e o consumidor para fazer suas compras”, justifica ele por meio da assessoria de imprensa da entidade.

Na reunião com o capitão Rogério Rodrigues, comandante da 1° Companhia do 17° Batalhão, o presidente ressaltou a importância de maior policiamento nas áreas comerciais da cidade.

A entidade também está fazendo um levantamento com os lojistas sobre os horários escolhidos para o funcionamento a partir de segunda-feira.

“Vamos transmitir essas informações à Polícia para que ela possa ter uma estratégica para a segurança no comércio, com ênfase principalmente nos horários de maior movimentação dos consumidores”, explica o presidente Zatsuga.

Nos últimos anos, a ACMC sempre apoiou a Operação Natal da PM com bases elevadas para ampliar o alcance do policiamento na região central da cidade.

Neste Natal, no entanto, a medida foi abortada em razão das restrições da pandemia e a necessidade de distanciamento social.

Comemoração dos 10 anos do Condemat terá homenagens e a presença de prefeitos, deputados e secretários de Estado

Comemoração dos 10 anos do Condemat terá homenagens e a presença de prefeitos, deputados e secretários de Estado
“Nestes 10 anos o Condemat avançou na integração do Alto Tietê e na articulação com outras esferas de governo, consórcios, entidades e associações", disse o presidente do Condemat/Foto: Divulgação

O Condemat – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê comemora os seus 10 anos de atividades com um evento na próxima segunda-feira, 7,  em Mogi das Cruzes.

Por conta da pandemia, a comemoração terá participação restrita a prefeitos, secretários municipais, deputados e autoridades. O secretário estadual Marcos Penido, de Infraestrutura e Meio Ambiente, está confirmado.

Além de uma retrospectiva desses 10 anos, o evento terá homenagens aos presidentes que estiveram à frente do consórcio nessa década e palestras com a coordenadora do Observatório do Futuro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Manuela do Prado Leitão, e com a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

As abordagens, respectivamente, serão sobre os impactos da pandemia na Agenda 2030 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e as perspectivas/desafios para os municípios no próximo ano.

“Nestes 10 anos o Condemat avançou na integração do Alto Tietê e na articulação com outras esferas de governo, consórcios, entidades e associações. Essa soma de esforços tem sido fundamental para as conquistas e para consolidar o desenvolvimento regional”, ressalta o presidente Adriano Leite.

O Condemat hoje é o maior consórcio público da Região Metropolitana, com a participação de 12 cidades (Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Branca, Santa Isabel e Suzano), e representação de mais de três milhões de habitantes – o segundo maior contingente populacional depois da Capital.

“As ações consorciadas têm permitido avanços em áreas estratégias para os municípios e proporcionado visibilidade para a região, inclusive com o Alto Tietê se tornando referência para outras regiões do Estado. Por isso, não podemos deixar passar em branco esses 10 anos. É claro que estão todos empenhados no enfrentamento da pandemia e o evento seguirá todos os cuidados que o momento requer”, explica o presidente Adriano.

O evento comemorativo dos 10 anos do Condemat será realizado no auditório do Cemforpe, a partir das 13h30, com entrada restrita aos convidados.

Priscila visita secretários de Estado em busca de projetos e verbas para Ferraz. Agendas foram marcadas pelo deputado Gambale

Priscila visita secretários de Estado em busca de projetos e verbas para Ferraz. Agendas foram marcadas pelo deputado Gambale
A prefeita eleita de Ferraz, Priscila Gambale, se reuniu com secretários de Estado com o objetivo de buscar projetos e verbas para o município/Foto: Divulgação

A prefeita eleita de Ferraz de Vasconcelos, Priscila Gambale (PSD), se reuniu com secretários de Estado com o objetivo de buscar projetos e verbas para o município. Os encontros tiveram a participação do deputado estadual Rodrigo Gambale (PSL), irmão de Priscila.

De acordo com informações de sua assessoria de imprensa, a primeira agenda foi com o secretário estadual de Habitação, Flávio Amary, onde a prefeita pôde conhecer os projetos do Governo do Estado, como as ações de regularização fundiária, sendo que o deputado Rodrigo Gambale já tem feito um trabalho visando a liberação da documentação de moradias na cidade.

Outro encontro realizado foi com o secretário estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, onde Priscila tratou sobre as obras do futuro piscinão, que irá minimizar o impacto das chuvas na cidade e aproveitou para solicitar a instalação de Ecopontos no município, para que a população tenha um local apropriado para o descarte de lixo.

“Agradeço aos secretários pela recepção, foram reuniões importantes onde estamos dando passos para melhorar nossa cidade, a população de Ferraz pode confiar que iniciaremos nosso mandato com muitos projetos e a parceria do Governo do Estado”, disse Priscila.

Gambale também se encontrou com o deputado estadual Alex Madureira, líder do PSD, onde conseguiu uma emenda parlamentar de R$ 300 mil para investimentos em infraestrutura.

Cultura divulga selecionados e premiados do 7º Salão de Artes. Mostra com os 28 trabalhos será aberta neste sábado em Mogi   

Cultura divulga selecionados e premiados do 7º Salão de Artes. Mostra com os 28 trabalhos será aberta neste sábado em Mogi
Em dezembro de 2015, a instituição foi inaugurada como único hospital particular de Suzano/ Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo acaba de concluir a seleção dos artistas e obras que vão compor o 7º Salão de Artes de Mogi das Cruzes, bem como a lista dos premiados em cada modalidade.

Ao todo, foram selecionados 28 trabalhos, sendo 14 acadêmicos e 14 contemporâneos. A mostra será aberta neste sábado, 5, às 19 horas, na Galeria de Artes Wanda Coelho Barbieri, piso térreo do Centro Cultural de Mogi das Cruzes e seguirá aberta para visitação até o dia 9 de janeiro.

De acordo com informações da Coordenadoria de Comunicação do governo mogiano, o processo de seleção teve início em março deste ano, com a publicação da pesquisa online para a escolha do nome do patrono desta edição.

O vencedor e escolhido foi Sussumu Aramaki, artista plástico nascido no Japão em 1 de maio de 1917, que  chegou em Mogi das Cruzes no ano de 1967 e contribuiu para a formação de diversos nomes das artes em Mogi das Cruzes, como Barros – O mulato, Rubens Parada, Norberto Duque, Olga Nobrega, além de ter feito parte da Academia de Belas Artes de São Paulo e de ter sido um dos idealizadores da AMBA – Mogi das Cruzes.

Foram recebidas para o Salão de Artes deste ano 134 inscrições, com 311 obras de arte, sendo 26 inscrições (58 obras) da modalidade acadêmica e 108 inscrições (253 obras) da modalidade contemporânea.

Participaram da seleção artistas de 12 estados brasileiros: São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Pernambuco, Bahia, Goiás, Piauí, Paraíba e Alagoas.

A Comissão Julgadora foi composta por Carla Fatio (artista suíço-brasileira, Doutora em crítica de arte e produção cultural, Mestre em artes visuais e em Psicopedagogia), Rita Paiva (formada em Educação Artística, editora especializada em artes e artesanato, coreógrafa em exposições, feiras e eventos) e Selma Barbosa Lima (coordenadora dos projetos de mapeamento das vocações e atividades artísticas nas regiões, Mapa Cultural Paulista, Revelando São Paulo e Projeto Ademar Guerra; coordenadora das políticas públicas culturais dos museus e arquivos da capital e interior; vice-diretora do Museu da Casa Brasileira, na Secretaria de Cultura do Estado e sócio-proprietária do Grupo Barbosa Lima).

Premiados

Na modalidade contemporânea, a primeira colocação ficou com o artista plástico Francisco Horta de Albuquerque Maranhão, de São Paulo, com a obra “Foz do Pirajuçara”.

Em segundo lugar, veio Paulo Henrique Lange, de Porto Alegre, com “The task of warning”. Na terceira posição, está a mogiana Lídia da Silva Costa, com “Organella Passiflora”.

A quarta e quinta colocação ficaram com os artistas paulistanos Cristina Bottallo e Tatiane Cipoli, com suas respectivas obras “Paisagens Imaginárias” e “Descarte nº 2”. Já menção honrosa dessa modalidade vai para a curitibana Rosangela Meger, com a obra “Sem Título – da série jogo de cena”.

Na modalidade acadêmica, o primeiro lugar ficou com Paulo Tosta, de Jaboticabal, com a obra “Primeiros Acordes”.

Em segundo lugar veio Odil Miranda Ribeira, de Londrina, com a obra “Pintangueiras”. Em terceiro, quarto e quinto lugares ficaram os mogianos Daniel de Sousa Mello, com “Estrada do Alambique 5 Estrelas”, Giulianna Moro, com “Outros Tempos” e Adelaide Lawitschka, com “Caminho da Felicidade (Minas)”.

A menção honrosa também ficou para um mogiano – o artista plástico Adriano de Sousa Melo, com a obra “Ícones Mogianos – Teatro Municipal”.

Os cinco primeiros colocados em cada categoria receberão prêmio em pecúnia. Já os agraciados com menção honrosa receberão diplomas e medalhas. Todos os selecionados receberão certificado de participação.

O Centro Cultural de Mogi das Cruzes, onde acontecerá o 7º Salão de Artes de Mogi das Cruzes, fica na Praça Monsenhor Roque Pinto de Barros, número 360, na área central. A lista dos aprovados pode ser conferida também pelo link.

 

Saiba como o Plano de Governo de Caio Cunha pode ser considerado ousado e progressista para Mogi e isso será muito bom para os mogianos 

Saiba como o Plano de Governo de Caio Cunha pode ser considerado ousado e progressista para Mogi e isso será muito bom para os mogianos
Um dos motivos mais importantes para a vitória de Caio Cunha e de sua vice, a professora Priscila Yamagami Kähler é sem dúvida alguma o seu plano de governo/Foto: Divulgação

Já se falou e se escreveu muita coisa em Mogi das Cruzes e região sobre a surpreendente vitória do vereador Caio Cunha (Podemos) no segundo turno da eleição para prefeito.

Ele derrotou o atual prefeito Marcus Melo (PSDB) e um grupo político (com perfil mais conservador) que nunca tinha perdido uma eleição na prefeitura da maior cidade do Alto Tietê.

Um dos motivos mais importantes para a vitória de Caio Cunha e de sua vice, a professora Priscila Yamagami Kähler (e que ainda não foi discutido com a profundidade que exige e merece), é sem dúvida alguma o seu plano de governo.

Plano esse que será detalhado e esmiuçado em cada uma de suas linhas nos próximos dias e semanas pelo Jornal Oi.

Trata-se de um plano de governo com características claramente progressistas e isso poderá (caso o plano seja implementado com sucesso) ser muito bom para Mogi e para os mogianos. E o que seria o progressismo?

De acordo com o Politize, “progressismo/progressista é a doutrina segundo a qual certas medidas econômicas e sociais – impulsionadas, sobretudo pela ciência e tecnologia – são imprescindíveis para a melhoria da condição humana. Também está relacionado à ruptura de padrões sociais tradicionais, que por sua vez promoveriam valores como liberdade e igualdade”.

A parte ou capitulo do plano de governo do novo prefeito de Mogi (plano esse que foi registrado e protocolado na Justiça Eleitoral) que trata de Diversidade e Cidadania é o que deixa mais clara a pretensão de Caio Cunha de fazer um governo de desenvolvimento social e inclusão; algo inédito na história de Mogi e de certo modo também na região.

Nesta primeira reportagem especial sobre o plano de governo progressista (e isso é muito bom para Mogi) do novo prefeito, vamos destacar o diagnóstico preciso em relação da Diversidade e Cidadania.

DIAGNÓSTICO DE CAIO CUNHA

O Brasil, há anos, passa por uma crise intensa cujos reflexos são baixa geração de emprego e aumento do número de pessoas em situação de pobreza ou extrema pobreza. Entre 2016 e 2017, o IBGE identificou que o número de pessoas pobres passou de 52,8 milhões para 54,8 milhões.

Com a crise da COVID-19, isso se intensificará mais ainda. Para ficar claro: estas pessoas vivem com menos de R$ 406 reais por mês.

Em Mogi das Cruzes, de 2018 para 2019, houve um aumento de 8 mil pessoas cadastradas no Cadastro Único, sistema do governo federal para acompanhamento de pessoas passando por alguma dificuldade.

Porém, não observamos o devido apoio para estas pessoas por parte da Prefeitura Municipal. Um exemplo disso é que no mesmo período, de 2018 para 2019, menos famílias receberam o Bolsa Família.

Mesmo sendo este benefício um programa federal, é responsabilidade do município prestar apoio às famílias para que elas consigam quebrar o ciclo de dificuldades e superar a situação de pobreza.

Quando olhamos para as pautas de diversidade, também somos obrigados a voltar a discussão para a desigualdade. Garantir uma discussão aprofundada com base em dados e abrindo espaços de diálogo é importante para chegarmos nas soluções que por vezes parecem, por vezes, distantes.

As pluralidades existentes na sociedade precisam ser reconhecidas e entendidas para que as fragilidades sejam combatidas. Esse é um dos papéis que a administração municipal precisa desempenhar na busca por uma sociedade com igualdade e respeito a qualquer pessoa, independente de seu credo, gênero, orientação sexual, raça, idade.

A população negra no Brasil é a maioria e representa 53,6% dos brasileiros. Dentre os 10% da população mais pobre, três em cada quatro são pretas ou pardas. Isso significa dizer que dos 13,5 milhões vivendo em extrema pobreza, mais de 10 milhões são pretos ou pardos.

Outra minoria é a comunidade LGBT+, estimada em 17,9 milhões de pessoas, mas que segundo estudos comparativos entre países é uma das que mais sofre violência física por discriminação.

Por exemplo, no Brasil uma morte por homofobia é registrada a cada 16 horas. Quando olhamos para as mulheres, apesar de representarem a maioria da população, ainda são consideras como minoria, principalmente pelos casos de feminicídio. Estes cresceram 7% em 2018, totalizando 4 mil vidas perdidas.

Vale ressaltar ainda que a média de ganho salarial das mulheres ainda é de 20,5% a menos que os homens no país, de acordo com pesquisa realizada em 2018. Por tudo isso, entendemos que três pilares precisam nortear nossa gestão, de forma a garantir os direitos a todas as minorias que sofrem algum tipo de discriminação.

Esses três pilares: Conscientização, Proteção e Inclusão e Empoderamento, podem garantir que o Município tenha uma atenção especial e focada nos temas relacionados a essas minorias. Implementar as ações necessárias e garantir que manutenção das mesmas é um de nossos desafios.

Entendemos que a melhor forma de garantir uma discussão democrática sobre estes assuntos é criando e fortalecendo as coordenadorias especializadas em cada um dos segmentos: Mulher e Diversidade, Infância e Juventude, População Negra, Idoso e PCD, para que as pautas destes segmentos sejam ouvidas e ações implementadas.

GARANTIR RENDA A PESSOAS EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE 

  • Garantir condições e acompanhamento para famílias em extremo risco social obterem o apoio do Programa Bolsa Família
  • implantar serviços de Proteção Social Básica no Domicílio
  • implantar Unidade Móvel de Assistência Social
  • Desenvolver programas de capacitação profissional e geração de renda para trabalhadores e trabalhadoras em risco social
  • articulações com o Governo do Estado de São Paulo e as demais Secretarias Municipais para implementar o Programa Frente de Trabalho
  • implementar o programa “Ambulante Legal”, revendo a forma de tratamento destes empreendedores, atualizando o cadastramento e fornecendo suporte técnico para potencializar suas atividades, garantindo a conformidade com as posturas municipais
  • Garantir que cada programa de capacitação profissionalizante oferecido atenda aos critérios mínimos de diversidade
  • Tornar o serviço Emprega Mogi mais ativo e socialmente responsável
  • discutir e implantar programa de priorização das contratações públicas, através do Selo Empresa Responsável e Inclusiva, para empresas que tenham políticas de recrutamento e desenvolvimento para pessoas em situação de vunerabilidade
  • implantar os serviços de atendimento e apoio específico no Emprega Mogi para pessoas em situação de vulnerabilidade. Na próxima reportagem o Oi vai destacar  as propostas ousadas do novo prefeito para garantir, em Mogi, o respeito a diversidade.

 

Hospital Santa Maria completa 5 anos. Unidade de saúde que emprega cerca de 450 profissionais prevê novos investimentos em 2021

Hospital Santa Maria completa 5 anos. Unidade de saúde que emprega cerca de 450 profissionais prevê novos investimentos em 2021
Em dezembro de 2015, a instituição foi inaugurada como único hospital particular de Suzano/ Foto: Divulgação

O Hospital Santa Maria de Suzano completa cinco anos de atividades nesta semana com a renovação, por parte de sua diretoria, do compromisso de manter a expansão constante dos serviços disponibilizados aos pacientes mediante os conceitos de segurança, eficiência e humanização do atendimento.

Em dezembro de 2015, a instituição foi inaugurada como único hospital particular de Suzano e vocação, confirmada posteriormente, para ser referência de qualidade no município e no Alto Tietê, com aperfeiçoamento contínuo de seus profissionais e da estrutura sempre voltada para a tecnologia de ponta e o estímulo à pesquisa – fundamental neste setor caracterizado pela evolução ininterrupta.

Nascido a partir do ideal e planejamento dos médicos e empresários Adalcindo Vieira do Nascimento Filho e Mannie Liu, que possuem décadas de experiências bem-sucedidas em gestão de saúde privada, o Hospital Santa Maria iniciou suas atividades enquanto Pronto Atendimento Adulto 24 horas em um prédio totalmente reformado, onde as características históricas foram mantidas.

A meta de preservar os talentos profissionais existentes, ampliar o quadro (atualmente são aproximadamente 450 colaboradores entre internos e terceiros) e dar a eles capacitação profissional e estímulo foi cumprida à risca, fato importante para que novas inaugurações viessem logo e em ritmo acelerado.

Já em 2016, a diretoria abriu a ala para internações, com o respaldo de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e o Ambulatório de Especialidades, que manteve crescimento de individualidades atendidas, seguindo a demanda específica de interesses dos pacientes.

A Maternidade, agora em processo de modernização, veio no ano seguinte, assegurando às gestantes o parto adequado – parceria foi firmada junto ao Hospital Albert Einstein e Institute for Helthcare improvement (IHI) com apoio do Ministério da Saúde – , uma vez que a UTI Neonatal integrou o complexo, composto também por Centro Obstétrico e alojamento conjunto, permitindo que mãe e bebê fiquem unidos desde os primeiros instantes em que é dada à luz – existe o recurso da transmissão ao vivo do parto.

Acompanhando a escalada das atividades, nos dois anos seguintes, mais uma ala destinada às internações foi aberta juntamente com o centro cirúrgico composto por novo arco para procedimentos feitos por equipes médicas renomadas nos cenários regional, estadual e nacional.

A participação do Hospital Santa Maria no desenvolvimento de Suzano levou a instituição de saúde a receber da Câmara Municipal o prêmio de Empresa Cidadã, concomitantemente com a valorização e capacitação dos colaboradores.

E 2020 chegou com o maior desafio de uma geração: o enfrentamento ao novo coronavírus, que levou o hospital a adotar rígidos protocolos antes do surgimento dos primeiros casos no Brasil, com fluxo independente e Pronto Atendimento, ala para internações e Unidade de Terapia Intensiva exclusivos.

Mesmo assim, os investimentos permaneceram. O Ambulatório de Especialidades vem sendo ampliado e estabeleceu-se parceria com o Laboratório do Hospital Albert Einstein em nova estrutura com equipe completa de biomédicos e equipamentos modernos.

O Hospital Santa Maria dispõe também de Centro de Diagnóstico com raio X, ultrassonografia, tomografia computadorizada e ecocardiograma.,

A diretoria pretende anunciar mais investimentos no primeiro trimestre de 2021, mantendo o Hospital Santa Maria na rota de ascensão e prestação de serviços para a qual foi criado há cinco anos.

 

Dona Jô faz balanço das Políticas para Mulheres e diz que Delegacia da Mulher ‘depende da boa vontade’ do governador Doria  

Dona Jô faz balanço das Políticas para Mulheres e diz que Delegacia da Mulher ‘depende da boa vontade’ do governador Doria
Dona Jô reforçou o trabalho de combate à violência doméstica, os encaminhamentos da pasta com apoio da rede municipal, através dos atendimentos com assistentes sociais e psicólogos/ Foto: Divulgação

Nesta semana (terça-feira, dia 1º) a secretária de Políticas para Mulheres, Joerly Nakashima, apresentou um balanço das ações da pasta nos últimos oito anos no combate e enfrentamento à violência doméstica e o empoderamento feminino.

As ações foram relembradas pela gestora e primeira dama do município durante um café da manhã promovido na sede da SMPM, que fica na rua Vereador João Barbosa de Moraes, 448 – Vila Zeferina.

Entre os trabalhos realizados, a Secretaria de Políticas para Mulheres desenvolveu projetos como o Casamento Comunitário, Nascer Feliz para gestantes, iniciou as formações das Promotoras Legais Populares (PLP), promoveu à premiação Mulheres de Destaque, elegendo anualmente as protagonistas de setores diversos do município, além de campanhas como Outubro Rosa e a celebração ao Dia Internacional da Mulher.

A pasta também criou ações como o Miss Limpeza Urbana e projeto Divas, o programa Mulheres contra AIDS, que distribuiu milhares de preservativos em pontos de grande circulação da cidade.

Também foi responsável por parcerias importantes como a Ronda Maria da Penha, criada pela gestão atual juntamente com a Secretaria Municipal de Segurança, assim como a ativação do Conselho Municipal das Mulheres, em 2019.

Dona Jô reforçou o trabalho de combate à violência doméstica, os encaminhamentos da pasta com apoio da rede municipal, através dos atendimentos com assistentes sociais e psicólogos.

Foi a partir desses atendimentos que a secretária viu a necessidade de criar o Circuito de Combate a Violência, instalando a Secretária ao lado da futura Delegacia de Defesa das Mulheres e dos equipamentos responsáveis pelo atendimento à mulher em situação de violência doméstica, como a Defensoria Pública, Conselho Tutelar, CREAS, Secretaria de Saúde e outros.

Na oportunidade, a secretária apenas lamentou o fato da Delegacia da Mulher ainda não estar funcionando.

“Já está tudo pronto. Dependemos da boa vontade do governador (João Doria) para inaugurar, entregamos a chave do prédio e agora nós mulheres precisamos cobrar. A delegada responsável já foi designada. Itaquaquecetuba e as mulheres do município precisam desse serviço funcionando”, ressaltou Dona Jô.

Participaram do evento o delegado Eliardo Jordão e a secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Itaquá, Erika Miller.

Em relação a Delegacia da Mulher, caso a esposa do prefeito Mamoru Nakashima, apontar o real motivo para a demora de sua inauguração deveria destacar o isolamento político que o atual prefeito impôs a cidade e a falta de resultados do trabalho de deputados que deveriam lutar pelos interesses da cidade, como é o caso do deputado André do Prado (PL) que na eleição passada foi muito bem votado na cidade.

Não é a toa que o atual governo tem mais de 80% de reprovação: ‘Gestão’ de Zé Luiz não consegue fazer nem a licitação para contratar o projeto do Hospital

Não é a toa que o atual governo tem mais de 80% de reprovação: ‘Gestão’ de Zé Luiz não consegue fazer nem a licitação para contratar o projeto do Hospital
O Dr. Luiz Camargo, prefeito eleito de Arujá, terá de começar praticamente do zero o projeto de instalação do hospital/ Foto: Divulgação

Já no final do ano passado o Jornal Oi cantou a bola de que o atual governo de Arujá poderia fazer o possível e o impossível para atrasar ou inviabilizar a construção (com recursos do governo federal  – R$ 35 milhões) hospital na cidade.

O ano de 2020 está chegando ao final e infelizmente (para Arujá) todos os alertas e previsões do Oi em relação ao descaso da atual gestão em relação a esta obra (esperada desde o século passado em Arujá) estão se confirmando.

A última ‘novidade’ é que a licitação que o governo do prefeito José Luiz Monteiro demorou mais de oito meses para abrir para a contratação do projeto executivo da obra foi suspensa e anulada pela própria prefeitura.

Isso  quer dizer que Arujá vai perder mais um ano em sua luta para ter um hospital, sendo que o dinheiro foi liberado em 2019 (a partir do trabalho desenvolvido pelo deputado federal Roberto de Lucena – Podemos).

O fato de a prefeitura sequer ter conseguido dar andamento a concorrência para contratar o projeto executivo indica que o próximo prefeito, o Dr. Luiz Camargo (PSD), terá de começar praticamente do zero o projeto de instalação do hospital, mas com um ano a menos de tempo.

Jornal Oi – De acordo com informações da Câmara, a licitação para contratar o projeto da obra do Hospital de Arujá foi paralisada. Essa informação procede?

Jornal Oi – Quando e por que essa licitação foi interrompida?

Jornal Oi – Quais são as ações da prefeitura para garantir a retomada deste processo?

Governo de Arujá: Sim, a licitação foi suspensa e anulada. A decisão pela anulação deste processo licitatório foi tomada pela administração municipal a fim de atender às recomendações apontadas pelo Tribunal de Contas. O órgão pontuou a revisão do termo de referência e do edital de licitação.

O Tribunal de Contas apontou a exigência de empresas especializadas em projetos voltados à área da saúde, além da aplicação de softwares propícios (plataforma BIM).

De acordo com a Secretaria de Planejamento, no momento, a Prefeitura de Arujá está em cláusula suspensiva junto à Caixa Econômica Federal. O prazo para atender a essas exigências é dezembro de 2021.

A Pasta salienta ainda que, para que a obra do hospital seja licitada, primeiro é necessário que sejam realizados os projetos executivos, que estão sendo subsidiados pela Prefeitura, por meio de recursos próprios.

Com isso, todos esses projetos executivos, e documentos técnicos, devem ser encaminhados à Caixa Econômica, que deve ser aprovar toda a documentação para que a verba destinada à construção seja liberada e seja feita a licitação da obra.

Jornal Oi – Ainda de acordo com a Câmara, não existe previsão orçamentária para a obra do Hospital de Arujá no orçamento da prefeitura para 2021. Essa informação procede?

Jornal Oi – Se sim,  por qual motivo não existe essa previsão e quais os efeitos dessa falta de previsão para o projeto e à obra?

Governo de Arujá: Já o Hospital de Arujá, cujas obras terão início em 2021, não foi incluído na LOA porque os recursos ainda serão transferidos pelo Governo Federal, assim que o projeto executivo for finalizado.

O convênio firmado com a Caixa Econômica Federal para a construção da unidade foi assinado em dezembro de 2019 pelo prefeito José Luiz Monteiro. O investimento será de R$ 35 milhões, liberados pelo Ministério da Saúde.

Claudete Canada será a secretária de Meio Ambiente no governo Marcia Bin. Ela é a terceira mulher a integrar o secretariado da nova prefeita

Claudete Canada será a secretária de Meio Ambiente no governo Marcia Bin. Ela é a terceira mulher a integrar o secretariado da nova prefeita
Para Claudete que, atualmente, exerce a função de assessora da Secretaria de Meio Ambiente do Governo do Estado de São Paulo, a reorganização da área ambiental é o grande desafio a ser enfrentado/ Foto: Rodrigo Nagafuti

Na manhã desta quinta-feira, 3, a prefeita eleita de Poá, Marcia Teixeira Bin de Sousa, oficializou o nome de Claudete Bezerra dos Santos Canada como secretária de Meio Ambiente.

Até o momento, o governo Marcia Bin tem três secretárias confirmadas, provando a força da mulher na política poaense, além da Claudete, Claudia Cristina de Deus e Elisangela Gomes Pereira da Rocha já foram anunciadas para as pastas de Saúde e Fazenda, respectivamente.

“A Claudete é uma pessoa que tem se dedicado às questões ambientais, há anos, ela já foi responsável pela pasta durante a gestão do meu marido Testinha, ou seja, é técnica e com experiência para assumir essa responsabilidade”, destacou a futura chefe do poder Executivo por meio de sua assessoria de imprensa.

Para Claudete que, atualmente, exerce a função de assessora da Secretaria de Meio Ambiente do Governo do Estado de São Paulo, a reorganização da área ambiental é o grande desafio a ser enfrentado.

“Essa reorganização é essencial, pois precisamos preservar as nascentes e áreas verdes da cidade, em prol da qualidade de vida da população, tendo como foco a gestão de resíduos, limpeza urbana, áreas de risco e manutenção e limpeza de galerias e córregos”, enfatizou a secretária.

PERFIL:

  • Nome: Claudete Bezerra dos Santos Canada
  • Formação: Especialista em Gestão Ambiental e doutorada em Engenharia Civil, ambos pela Unicamp

Histórico:  

  • Prefeitura de Poá: Diretora e secretária de Meio Ambiente;
  • Prefeitura de Itaquaquecetuba: Diretora de Meio Ambiente;
  • Prefeitura de São Paulo: Coordenadora de Administração e Finanças;
  • Governo do Estado de São Paulo: Diretora do Núcleo de Educação Ambiental e Assessora da Secretaria de Meio Ambiente (atual).

Câmara de Suzano alega motivos financeiros para mudar o horário das sessões. A partir de janeiro os trabalhos serão iniciados às 14 horas 

Câmara de Suzano alega motivos financeiros para mudar o horário das sessões. A partir de janeiro os trabalhos serão iniciados às 14 horas
A Câmara que é presidida pelo vereador Joaquim Rosa também informou que a alteração do horário foi proposta pela Mesa Diretiva da Casa de Leis e aprovada na sessão dessa quarta-feira/ Foto: Divulgação

A direção da Câmara de Vereadores de Suzano informou na quarta-feira, 2, que sessões ordinárias serão realizadas às 14 horas, a partir do mês que vem, ou seja, a partir de janeiro de 2021.

A Câmara que é presidida pelo vereador Joaquim Rosa (PL) também informou que a alteração do horário foi proposta pela Mesa Diretiva da Casa de Leis e aprovada na sessão dessa quarta-feira.

A assessoria de imprensa da Câmara acrescentou que o texto do projeto de resolução afirma, ainda, que o cidadão que queira acompanhar os trabalhos dos vereadores pode acessar o canal “TV Câmara de Suzano” que já está transmitindo, em tempo real, as deliberações do Plenário, sendo que o acesso pode ser feito pelo portal do Legislativo (www.camarasuzano.sp.gov.br ), clicando no ícone do YouTube, disponível na barra superior direita da página.

Nesta quinta-feira, 3, a reportagem do Jornal Oi questionou a direção da Câmara sobre os motivos que levaram a mesa diretiva a propor (e conseguir a aprovação) da mudança do horário para as sessões que até o final de 2020 continuarão sendo realizadas a partir das 18 horas.

Confira a perguntas do Oi e os esclarecimentos do Legislativo de Suzano   

Jornal Oi – Por quais motivos a mesa diretiva da Câmara aprovou a mudança no horário das sessões?

Jornal Oi – O público chegou a ser consultado para essa mudança?

Jornal Oi – Quais os benefícios da mudança?

Câmara de Suzano: A Câmara de Suzano alterou o horário das sessões ordinárias por uma questão financeira. Com os trabalhos legislativos realizados no período da tarde, a Casa de Leis diminuirá os gastos.

Jornal Oi – A transmissão ao vivo das sessões será feita por empresa contratada ou pela própria Câmara?

Jornal Oi – Se for empresa qual o custo mensal?

Câmara de Suzano: As transmissões ao vivo das sessões continuarão pelo YouTube, assim como já estão sendo feitas desde outubro deste ano.