02 de agosto de 2021
Publicidade
Fale com o OI no WhatsApp
Início Autores Posts por Gabriel Souza

Gabriel Souza

1044 POSTS 0 COMENTÁRIOS
Estudante de Jornalismo - Uninter Estudante de Licenciatura em História - Unisa Repórter e Social Media em Política

Caio França é eleito presidente de CPI das Fake News que deve investigar deputados na Alesp

Nesta terça-feira (30) foi realizada, em ambiente virtual, a primeira reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito que tem como objetivo investigar casos de fake news (notícias falsas) nas eleições de 2018. Foram eleitos, de forma unânime, como presidente e vice-presidente, o deputado Caio França (PSB) e a deputada Maria Lúcia Amary (PSDB), respectivamente.

Caio França expressou gratidão após ser nomeado para a função. “Garanto que farei o meu melhor neste grupo. Quero poder tratar com muito equilíbrio e responsabilidade esse tema tão importante que tem movido tantas pessoas”, afirmou.

A deputada Maria Lucia Amary também agradeceu a votação. “Quero ratificar meu compromisso de trabalhar com bastante isenção para cumprir o objetivo desta CPI”, declarou a parlamentar.

Indicado pelo presidente Caio França, o deputado Sargento Neri (Avante) passou a ocupar a posição de relator da comissão. “É a primeira CPI que eu participo, então agradeço a confiança e estou à disposição de todos para ouvir e desenvolver esse trabalho em conjunto”.

A próxima reunião da CPI das Fake News foi convocada para sexta-feira (3/6), às 10h da manhã.

Também estiveram presentes os deputados Arthur do Val, Edmir Chedid, Janaina Paschoal, Monica da Bancada Ativista, Paulo Fiorilo e Thiago Auricchio.

Carlos Decotelli deixa Ministério da Educação após falhas no currículo

Nomeado para o Ministério da Educação, o professor Carlos Decotelli entregou nesta terça-feira (30) sua carta de demissão ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Decotelli teve a nomeação publicada no Diário Oficial da União na última quinta-feira (25), mas não chegou a tomar posse, que estava marcada para esta terça-feira (30) e já havia sido adiada.

O nomeado para o Ministério da Educação havia marcado uma reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) nesta terça, mas cancelou sem informar o motivo – o encontro era avaliado como uma sinalização da permanência de Decotelli na pasta. Em seguida, às 14h30, se reuniu com Bolsonaro.

Decotelli teve a nomeação articulada pelos ministros militares do Planalto. As incoerências no seu currículo, no entanto – instituições disseram que ele não tinha concluído etapas que ele dizia ter concluído – deixaram os ministros constrangidos. Decotelli chegou a alterar o próprio currículo na plataforma Lattes após as contestações.

Apesar da perda de apoio, a ala militar teme que a pasta volte a um nome ideológico, como era o caso dos ministros anteriores -Ricardo Vélez Rodriguez e Abraham Weintraub.

Ministro relembra Grávida de Taubaté e engana todo mundo! Inclusive Bolsonaro

O governo de Jair Bolsonaro passou a procurar nomes para substituir Carlos Alberto Decotelli, que foi nomeado ministro da Educação na semana passada e teve a posse adiada por causa de incoerências em seu currículo.  Decotelli perdeu apoio do grupo militar que o havia indicado. A ala ideológica agora tenta emplacar substitutos.

Uma reunião foi marcada para a noite desta segunda-feira, 29, no Planalto para discutir alguns nomes. Bolsonaro deve reavaliar alguns dos indicados que ele já se encontrou na semana passada, como Marcus Vinícius Rodrigues, que foi presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep/MEC) na gestão de Ricardo Velez. Ele é engenheiro, especializado em gestão e ligado ao mesmo grupo militar de Decotelli. Rodrigues deixou o Inep depois de desentendimento com o grupo ligado a Olavo de Carvalho.

Outro que esteve com Bolsonaro foi o ex-pró reitor da FGV Antonio Freitas, também indicado pelo mesmo grupo militar. O secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, também esteve com o presidente e depois foi avisado por ele que não tinha sido escolhido para o cargo.

Os militares que sugeriram o nome de Decotelli estão constrangidos porque foram surpreendido pelos problemas acadêmicos. Ele também perdeu o apoio que tinha entre professores da Fundação Getúlio Vargas (FGV) A cerimônia de posse estava marcada para esta terça-feira, 30, às 16 horas.

Renatinho: “Pra falar de educação, tem que viver a educação”

O Jornal Oi conversou na tarde desta segunda-feira (29) com o vereador de Ferraz Renatinho Ramos, popularmente conhecido como Renatinho Se Ligue, que falou sobre transporte, educação e saúde.

Jornal Oi: Vereador, recentemente em publicação por meio de suas redes sociais, você comentou a superlotação dos transportes e com isso, encaminhou um requerimento a prefeitura. Como está essa situação?

Renatinho: Nós procuramos deixar tudo transparente. Recebi uma denúncia informando que o transporte público estava como uma superlotação, em seguida, realizei a abertura de uma enquete por intermédio do meu Instagram, e constou um aumento na espera dos ônibus, e quando eles viam, estavam cheios. Com base nessas informações, enviei um requerimento a câmara, que foi aprovado hoje. Nesse requerimento está sendo questionado se houve uma diminuição da frota, se a prefeitura tem fiscalizado a superlotação dos transportes e a frota disponível e se há a possibilidade com um decreto de aumento de frota.

Jornal Oi: Como você avalia a atuação da prefeitura de Ferraz no combate a pandemia do novo coronavírus, haja vista que a prefeitura inaugurou com um “atraso” o Hospital de Campanha?

Renatinho: Olha, eu não vou especificar somente a prefeitura de Ferraz, todas tiveram um tempo para realmente entender o problema. Inicialmente, o combate ao coronavírus aqui na cidade seria por UBS. Após ficarmos sabendo disso, questionamos pois nenhum desses polos tinham estrutura, quando o hospital foi inaugurado no ginásio, pudemos observar que lá as pessoas seriam melhor atendidas.

Jornal Oi: Vereador, como o senhor tem se posicionado referente a educação durante esse período de pandemia, haja vista que é uma de suas bandeiras?

Renatinho: Antes mesmo da prefeitura, nós tivemos uma reunião com a saúde sobre como iria ficar a educação se as aulas fossem suspensas,  o que de fato ocorreu. Entre nossa preocupação estava a alimentação escolar, que está sendo resolvido. Outra preocupação nossa, esse irreparável, é o prejuízo pedagógico, pois mesmo com as ferramentas de ensino disponibilizadas muitas crianças e alunos não possuem celular, computador ou tablet para fazer as atividades e estão ficando no prejuízo. Em breve, vamos ter a audiência pública com a secretária de educação para avaliar como serão resolvidos tais problemas e ter esclarecimentos.

Jornal Oi: Vereador, por ser sua bandeira, como avalia o trabalho da atual secretária de educação de Ferraz?

Renatinho: Eu vi essa secretária se estruturar desde a ex Secretária, a Professora Valéria. A dona Sonia assumiu recentemente, e a pasta de educação eu acompanho de perto os trabalhos, e avalio que evoluiu bastante. Os uniformes, que sempre foram um problema em outras gestões e nessa demorou três anos e meio para serem entregues, entretanto, estou recebendo mensagens de país e mães elogiando muito a qualidade. Foi uma pasta que conseguiu melhorar os serviços, atualmente a merenda é de boa qualidade, a manutenção das escolas aconteceu de forma morosa e com vários apontamentos, mas aconteceu. Entre o ótimo, bom e ruim, eu fico no bom para está gestão na secretaria da educação.

Doria vai multar quem não utilizar máscara! E os prefeitos da região?

O Estado de São Paulo anunciou a primeira ação para punição de pessoas que deixarem de usar máscara em locais públicos desde o início da pandemia. Quem estiver sem máscara em locais públicos terá de pagar multa de R$ 500.

Já estabelecimentos comerciais que permitirem pessoas sem o equipamento de proteção em seu interior serão multadas em R$ 5.000 por pessoa sem máscara.

A fiscalização da regra será feita pela Vigilância Sanitária estadual e pelas vigilâncias sanitárias municipais, segundo o governador João Doria (PSDB). Ele afirmou que a regulamentação será publicada no Diário Oficial. A cobrança começa nesta quarta-feira, 1.º de julho.

O uso de máscaras já é obrigatório em todo o Estado desde 23 de abril, inclusive no transporte público. Mas essa determinação do governo do Estado havia oposto Doria e prefeitos. Doria havia repassado a atribuição da fiscalização às prefeituras, num primeiro momento.

No caso da capital paulista, o prefeito Bruno Covas (PSDB) havia determinado que a Polícia Militar, órgão estadual, é quem deveria fiscalizar a norma, que não previa punição. Doria negou que a polícia assumiria o trabalho. Agora, o governador assume a responsabilidade por impor a infração e divide a atribuição da fiscalização com os municípios.

O governador disse, agora, que a ação não tem a função de arrecadar mais recursos. “Não há sentido arrecadatório ou punitivo, mas a medida é para alertar para a utilização da máscara”, disse. Os recursos arrecadados com as multas serão usados para a compra de cestas básicas durante a pandemia. “O valor integral das multas será revertido para o programa Alimento Solidário”, afirmou o governador.

Bolsonaro publica novo lançamento: “O Forró Bolsonarista”

Depois de imitar Lula nos ataques a Sergio Moro e no escambo com o Centrão, Jair Bolsonaro resolveu imitá-lo também na propaganda eleitoral, macaqueando o estilo de João Santana.

Propaganda eleitoral antecipada é ilegal, mas aparentemente ninguém se incomoda com isso.

Em vídeo publicado no Twitter, a música faz referências de que o Nordeste está apoiando em peso Jair Bolsonaro.

Segue o Link do Forró Bolsonarista:

<https://t.co/nUsBD7zOBO?amp=1>

China isola meio milhão de pessoas

A China isolou, neste domingo, quase meio milhão de pessoas na região de Anxin, localizada a 60 quilômetros de Pequim.

A região foi atingida por uma nova onda da pandemia de Covid-19. Segundo as autoridades, onze casos relacionados ao surto de Pequim teriam sido identificados na localidade.

Cruzes são colocadas em protesto contra Bolsonaro em Brasília

Manifestantes instalaram centenas de cruzes no gramado da Esplanada dos Ministérios, na manhã deste domingo, em protesto contra Jair Bolsonaro.

O ato, chamado “Stop Bolsonaro”, lembra as vítimas fatais da Covid-19 no país.

“+ de 50 mil mortes. Bolsonaro, pare de negar!”, diz uma das faixas estendidas no local.

Sara Winter mostra tornozeleira eletrônica e diz ser ‘presa política’

A ativista Sara Winter, presa no último dia 15 suspeita de participar de ataques contra o STF (Supremo Tribunal Federal), publicou uma foto mostrando a tornozeleira eletrônica que usa desde a última quinta-feira (25). No Twitter, ela alega “não estar em liberdade”, lamenta as restrições da prisão domiciliar e diz ser uma “presa política”.

“Não. Não estou livre. Estou em prisão domiciliar. Impedida de sair de casa, de consumir bebidas alcoólicas, de me comunicar com parlamentares, jornalistas, youtubers e outras figuras de direita”, escreveu. “Estou impedida de me comunicar com meus amigos e companheiros dos 300 do Brasil”.

Winter, principal porta-voz do grupo bolsonarista autodenominado “300 do Brasil”, foi presa pela PF (Polícia Federal) durante uma operação na manhã de 15 de junho. As prisões foram decretadas pelo ministro do Supremo, Alexandre de Moraes, a pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República) no inquérito que apura manifestações de rua antidemocráticas.

Roberto de Lucena avalia nomeação de Decotelli como acerto de Bolsonaro para ministério da Educação

“Acredito que essa tenha sido uma escolha acertada do Governo Bolsonaro, que fez uma aposta alta na eficiência com diálogo”. A avaliação é do deputado federal Roberto de Lucena (PODE/SP), a respeito da nomeação do novo ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli. Lucena foi o primeiro parlamentar a se reunir com o ministro, recém-empossado.
Lucena esteve, nesta sexta-feira (26/6), em audiência com o novo ministro. “Fui cumprimentá-lo e me colocar à disposição, como deputado membro da Comissão de Educação, da Comissão Mista de Orçamento e Como Secretário de Transparência da Câmara dos Deputados.
“Com sua escolha o presidente Bolsonaro deu ao Brasil um presente”, enfatizou, lembrando que o professor Decotelli causou boa impressão em sua passagem pelo FNDE. “É um gestor preparado, um técnico qualificadíssimo para o cargo e reconhecido pela sua moderação. Um extraordinário curriculum. Ficou claro para mim que o presidente apostou no diálogo. Isso vai dar certo. Desejo muito sucesso ao novo Ministro”, reforçou o parlamentar.
A primeira reunião de Lucena com o novo Ministro da Educação foi destaque na imprensa nacional.