Associação detona Luiz Bacci por ataques à delegada e recomenda boicote ao programa do ‘menino de ouro’ da Record
Luiz Bacci, que começou a sua carreira em Mogi das Cruzes e já foi conhecido/reconhecido como o ‘menino de ouro’, poderá se manifestar sobre o assunto nas próximas horas/ Foto: Reprodução
Campanha Tudo novo

Em carta assinada por Gustavo Mesquita Galvão Bueno, presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (ADPESP), a entidade repudia veementemente as manifestações levianas e desrespeitosas feitas pelo apresentador do Cidade Alerta, Luiz Bacci, na tarde dessa quinta-feira, 12.

Confira:

A ADPESP esclarece que o trabalho realizado pela Polícia Civil do estado de São Paulo é feito sempre de maneira técnica, independente e comprometida.

Apesar do bom relacionamento que se deve prezar com a imprensa, a atividade jornalística não pode ter a pretensão de se imiscuir nos rumos da atividade policial. 

A Dra. Elisabete Sato, atualmente diretora do Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), é reconhecidamente – dentro e fora da Polícia Civil – como uma delegada competente, corajosa e vocacionada, ostentando em seu currículo diversas investigações exitosas, que resultaram no esclarecimento e prisão de criminosos ao longo de sua carreira. 

Causa espanto que um apresentador de telejornal profira palavras de tão grande desrespeito, inclusive se colocando claramente no papel de regulador da atividade policial, chegando a determinar ao delegado-geral que remova a diretora de suas funções.

É imperioso destacar que a remoção de um delegado, seja ele quem for, é prerrogativa do delegado-geral, que possui independência funcional e livre convencimento de seus atos, sendo quaisquer tentativas de ingerência em sua atividade, de ordem política ou midiática, altamente reprováveis e danosas para a investigação criminal e para a própria sociedade. 

Lamentavelmente, esta não é a primeira vez que tal apresentador se comporta desta maneira, o que demonstra profunda falta de respeito e consideração com outros colegas e a atividade policial em geral. 

Ressaltamos a importância e o respeito pelo jornalismo responsável e comprometido com o interesse público.

Mas é inevitável constatar que figuras como a desse apresentador acabam manchando o bom jornalismo e prestando um desserviço à toda sociedade.

Por mais relevante que seja a atividade da imprensa, o trabalho policial presta-se à sociedade e não aos anseios daqueles que pretendem somente produzir manchetes sensacionalistas. 

Esperamos que a emissora Record, que preza pela seriedade de seu jornalismo, reavalie a permanência de profissionais como o apresentador em questão, uma vez que não condizem com a qualidade e a responsabilidade buscadas diariamente. 

Resta-nos, portanto, reafirmar nosso profundo respeito e confiança na Dra. Elisabete Sato, e recomendar a todos os colegas delegados e demais policiais civis que se abstenham de doravante conceder entrevistas ou informações a esse, ou a qualquer outro jornalista, que por meio de seus atos demonstra não ter respeito pela atividade policial e por aqueles que a executam.

Menino de Ouro

Luiz Bacci, que começou a sua carreira em Mogi das Cruzes e já foi conhecido/reconhecido como o ‘menino de ouro’, poderá se manifestar sobre o assunto nas próximas horas.