Apesar de Mogi registrar 74% de leitos ocupados, Alto Tietê ‘se salva’ e segue na fase amarela do Plano-SP
No caso do Alto Tietê, apesar dos números negativos de Mogi, os dados da região (na média) permitiram que as cidades do Alto Tietê continuem na fase atual em vez de sofrerem novas restrições como foi estabelecido pelo Plano SP para outras regiões/ Foto: Governo do Estado de SP
Tenda Atacado

Apesar de a cidade de Mogi das Cruzes estar com mais de 74% dos leitos de UTI para pacientes com Covid ocupados desde quinta-feira, 14, a região do Alto Tietê manteve-se na fase amarela do Plano SP na nova reclassificação do Estado apresentada pelo governo paulista nesta sexta-feira, 15.

A ocupação de mais de 70% dos leitos de UTI é uma das variáveis utilizadas pela Secretaria Estadual de Saúde para definir em que fase de restrição determinada região será enquadrada.

No caso do Alto Tietê, apesar dos números negativos de Mogi, os dados da região (na média) permitiram que as cidades do Alto Tietê continuem na fase atual em vez de sofrerem novas restrições como foi estabelecido pelo Plano SP para outras regiões.

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta sexta-feira, 15, durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, o endurecimento das regras de quarentena no Estado a fim de conter o avanço da Covid-19.

As mudanças são válidas a partir do próximo dia 18. Segundo informou o governador, sete regiões tiveram regressão de fase. Nenhuma avançou.

Atualmente na fase laranja, o município de Marília passa para fase vermelha, enquanto as regiões de Bauru, Araçatuba, Franca, São José do Rio Preto, Piracicaba, Taubaté e Ribeirão Preto, atualmente na fase amarela, receberão classificação laranja.

A região da Grande São Paulo (onde estão as cidades do Alto Tietê) se mantém na fase amarela.

Com piora nos indicadores de Covid-19, a reclassificação do plano, prevista para ocorrer em 5 de fevereiro, foi antecipada para esta sexta-feira.

A região de Marília, que tinha sido colocada na fase laranja na semana anterior, passa a ficar na fase vermelha, a mais restritiva, na qual apenas serviços essenciais têm autorização para operar.

O rebaixamento acontece porque a região está com mais de 83% dos leitos de UTI ocupados.

Veja como fica cada região 

Vermelha – só operam serviços essenciais

  • Marília

Laranja – bares não abrem, e demais serviços funcionam com restrições de horários e capacidade

  • Araçatuba
  • Bauru
  • Franca
  • Piracicaba
  • Ribeirão Preto
  • São José do Rio Preto
  • Taubaté
  • Sorocaba
  • Registro
  • Presidente Prudente

Amarela – bares podem funcionar até as 20 horas

  • Araraquara
  • Barretos
  • Baixada Santista
  • Campinas
  • Grande São Paulo
  • São João da Boa Vista

SP ‘avança’ para as 50 mil mortes

Na quinta-feira, 14, o estado ultrapassou a marca de 49 mil mortes por coronavírus desde o início da pandemia, em meio a uma nova alta de casos, óbitos e internações pela doença após as festas de fim de ano.

A média diária de mortes por Covid-19 está acima de 200 há seis dias seguidos, valor que não era observado desde o dia 16 de setembro do ano passado.

A média móvel de mortes diárias, que considera os registros dos últimos sete dias, era de 217 nesta quinta-feira.

O valor é 55% maior do que o registrado há 14 dias, o que para especialistas indica tendência de alta da epidemia.

Como o cálculo da média móvel leva em conta um período maior que o registro diário, é possível medir de forma mais fidedigna a tendência da pandemia.

O total de pacientes internados tem se mantido acima de 10 mil desde o início de dezembro de 2020, o que pressiona o sistema de saúde e interfere no atendimento de outras doenças.

Na capital paulista, diversos hospitais da rede pública e privada estão com taxa de ocupação acima dos 90%.