Prefeitura de Suzano Refis

Em uma entrevista, ao vivo, sobre um tema polêmico que envolve política e políticos, o que não pode faltar são: esclarecimentos ao público sobre o assunto da conversa e troca de farpas entre os envolvidos na questão polêmica. E nada disso faltou (aliás até sobrou) no programa “Café na Redação” dessa quarta-feira, 16, realizado nos estúdios do Oi Diário.

O vice-prefeito de Suzano, Walmir Pinto, e o secretário de Planejamento Urbano, Elvis José Vieira, aceitaram convite do “Café na Redação” para explicarem ‘as vantagens’ que Suzano e região levam ao trocar o local para a construção da alça ao trecho Leste do Rodoanel.
Na semana, prefeitos do Alto Tietê e o governo do Estado confirmaram que a acesso de saída dos motoristas ao Rodoanel será implantada na SP-66 (divisa de Suzano com Poá) e não mais na estrada dos Fernandes (bairro de Sete Cruzes) como foi autorizado pelo governador Alckmin em 2015.

Walmir e o secretário Elvis apontaram durante a entrevista diversos motivos técnicos, financeiros e até políticos que justificariam a transferência da obra à SP-66.
O vice-prefeito não perdeu a oportunidade de afirmar que Suzano não teria a alça do Rodoanel na estrada dos Fernandes da mesma forma que não teve e nem terá a obra do Ceagesp, apesar das promessas do deputado Estevam Galvão (DEM).

Walmir Pinto voltou a afirmar que Estevam tenta vender ‘fumaça’ (falsas promessas) à população de Suzano e região e ressaltou no atual cenário econômico do Estado e do Brasil, uma obra de quase R$ 500 milhões (custo estimado da alça na estrada dos Fernandes nunca seria feita) e que na SP-66, a construção do acesso será mais barata, mais rápida e viável.

Pinto ainda reforçou a sua avaliação de que o ex-prefeito Paulo Tokuzumi (PSDB) só lutou para que a obra da alça fosse transferida à estrada dos Fernandes para promover especulação imobiliária e beneficiar pessoas ligadas ao seu governo que teriam comprado terrenos na região que se valorizaria após a implantação do acesso. Entre as dezenas de pessoas que acompanharam a entrevista ao vivo, Clóvis Paoletti, ex-secretário do governo Tokuzumi, não aguentou as críticas e ataques do vice-prefeito e enviou ao “Café na Redação” vários questionamentos para Walmir Pinto e Elvis Vieira e considerou uma ‘brincadeira’ o esforço do atual governo em mudar o local da obra.
O vice-prefeito não deixou barato. Confira a entrevista inteira no site no Facebook do Oi Diário.