Vereadores denunciam suposto ato irregular e abusivo praticado pelo novo presidente da Câmara em Itaquá
De acordo com a denúncia, vereadores da base do prefeito que não teriam se candidatado para as comissões permanentes acabaram sendo votados para tais funções/ Foto: Glaucia Paulino/Oi Diário

Vereadores da Câmara de Itaquá denunciaram nesta quinta-feira, 7, um suposto ato ilegal e abusivo praticado pelo novo presidente do Legislativo, Edson Rodrigues, o Edson da Paiol (Podemos) em prejuízo de parlamentares que apoiam o governo d prefeito Mamoru Nakashima.

De acordo com a denúncia, vereadores da base do prefeito que não teriam se candidatado para as comissões permanentes acabaram sendo votados para tais funções.

Segundo as informações transmitidas pelos vereadores governistas, a iniciativa do novo presidente e da mesa diretiva em permitir que aqueles que não se candidataram às comissões, fossem votados (no caso por vereadores do grupo G10 que ajudou na eleição de Edson da Paiol) pode ser considerada inconstitucional e também irregular, pois não estaria prevista no regimento interno do Legislativo em Itaquá.

“Inicialmente os vereadores que foram votados, mesmo sem ter feito inscrição para as comissões permanentes, vão pedir para que todas as votações (para definição dos presidentes e integrantes das comissões) sejam anuladas e no caso de esse pedido não ser atendido, o novo presidente poderá ser questionado judicialmente por causa dessa irregularidade”, destacou um vereador que pediu anonimato por temer eventuais questionamentos e/ou pressões do grupo de parlamentares que garantiu a eleição de Edson da Paiol.

O novo presidente da Câmara em Itaquá poderá se manifestar sobre o assunto nas próximas horas.