Vem aí a GCM regional? Guardas municipais de outras cidades poderão ‘combater o crime’ em Ferraz
Nesta terça-feira aconteceu a 5ª Assembleia Extraordinária do Conselho dos Prefeitos do Condemat, em Mogi das Cruzes/ Foto: Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

O vice-prefeito de Ferraz de Vasconcelos, Karim Yousif Kamal Moustafa El Nashar, representando o prefeito José Carlos Fernandes Chacon, o Zé Biruta, participou nesta terça-feira, 17, da 5ª Assembleia Extraordinária do Conselho dos Prefeitos do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), em Mogi das Cruzes.

De acordo com a assessoria de imprensa do vice-prefeito ferrazense, na reunião, foram deliberados temas de urgência para a região.

Entre os assuntos tratados, esteve a aprovação do parecer técnico para a contratação, por meio de dispensa, de duas residências terapêuticas para a região.

Também houve a aprovação dos atos que regulamentam o pregão e registro de preço do Condemat. Outro ponto discutido foi a aprovação do Termo de Cooperação das Guardas Municipais do Alto Tietê.

De acordo com o vice-prefeito ferrazense, o último aspecto debatido na oportunidade é o mais importante, pois ele irá impactar na vida também dos moradores.

“Com este termo, fica autorizada a ação de outras Guardas Municipais em Ferraz, assim como Ferraz poderá também agir em outras cidades da região, tanto na atuação, quanto na investigação. Isso com certeza trará benefícios para os ferrazenses, que deverão ter maior segurança”, afirmou Karim El Nashar.

O detalhe interessante (ou preocupante) das informações transmitidas pelo vice-prefeito de Ferraz é que a assessoria do Consórcio além de manter o encontro de prefeitos sob sigilo, optou por não tornar pública a decisão sobre as guardas municipais; também não liberou informações sobre a contratação, por meio de dispensa de licitação, de duas residências terapêuticas para a região e nem sobre a aprovação dos atos que regulamentam o pregão e registro de preço do Condemat. Por que tanto sigilo?

Projeto Infarto quer reduzir mortes por doenças do coração 

O que a assessoria do Consórcio divulgou com sobra de detalhes foi a parceria entre o Condemat – e a Socesp – Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo para o desenvolvimento na região do Projeto Infarto, que vai capacitar profissionais de saúde de emergência da rede pública com o objetivo de reduzir as estatísticas de internação e morte por doenças cardiovasculares.

Os dados oficiais revelam que, só em 2017, ocorreram 12.491 internações por doenças do aparelho circulatório no Alto Tietê, sendo que, no ano anterior (2016), foram registrados 5.315 óbitos, dos quais 1.830 ou 34,50% por doenças isquêmicas do coração – infarto.

A parceria entre o Condemat e a Socesp acontece no mês dedicado à saúde do coração – dia 29 é o Dia do Coração – e vai atender profissionais da rede pública que atuam nas unidades de saúde e hospitais de emergência da Região com cursos de capacitação para otimizar estratégias já existentes na rede pública.

“Nosso objetivo é capacitar o médico que atende o paciente no pronto-socorro ou mesmo numa UBS a diagnosticar e a tomar uma decisão de atendimento através de protocolos reconhecidos mundialmente, como se fosse um check-list de um piloto de  boeing quando vai fazer pouso de emergência”, ressaltam os médicos Agnaldo Piscopo, diretor do Centro de Treinamento de Emergências da Socesp, Edson Stefanini e Antonio Baruzzi, coordenadores do Projeto Infarto da Socesp.

O Alto Tietê integra a terceira onda de treinamentos promovida pela Sociedade de Cardiologia para reduzir os índices de mortalidade e internação por infarto. A iniciativa começou na Baixada Santista e Osasco e agora será desenvolvida na Região, que figura entre as que apresentam os maiores índices de mortalidade no Estado de São Paulo.

“Se somar quem morre de câncer, trauma e aids, não dá o que morre num dia de infarto. O infarto é a principal causa de morte e quem morre não é quem está doente. É um quadro súbito em quem nunca sentiu nada e a  diferença entre vida e morte é ser bem atendido. Existe tratamento adequado para reduzir as estatísticas de morte 20% para 4,5%”, acrescenta Piscopo.

A iniciativa do Condemat parte da Câmara Técnica de Saúde, que reúne secretários e diretores da área nas 11 cidades da Região. O grupo elegeu, neste ano, dois indicadores para monitoramento e possíveis propostas para avanços regionais, sendo um deles justamente Óbitos e Internações por doenças cardiovasculares – o outro é Mortalidade Infantil.

“Vamos colocar o procotolo funcionando de forma integrada e similar nas 11 cidades da Região para aumentar os índices de salvamento de vida. Tenho certeza que com esses treinamentos vamos melhorar muito os números do Alto Tietê”, diz o presidente do Condemat, prefeito Rodrigo Ashiuchi, que recepcionou a diretoria da Socesp ao lado dos prefeitos José Luiz Monteiro (Arujá) e Fábia Porto (Santa Isabel), assim como de representantes dos prefeitos das outras sete cidades do Alto Tietê e dos secretários de saúde.

“A expressiva atuação da Socesp na difusão do conhecimento em Cardiologia, com responsabilidade social e, especialmente, através do Programa de Educação Continuada, contribuirá de maneira significativa na redução da mortalidade por Infarto Agudo do Miocárdio no nosso território”, enfatiza Adriana Martins, coordenadora da Câmara Técnica de Saúde do Condemat.

Nos próximos dias, as equipes técnicas da Socesp e das prefeituras vão definir as datas e turmas para os treinamentos, os quais deverão ser realizados em Mogi das Cruzes.