Vem aí a 2ª parte da série: a destruição de Ferraz por governos corruptos ou incompetentes
Há meses que o Oi convida o prefeito e seu assessor para prestar contas ao povo. Por outro lado, a Câmara que é presidida pelo vereador Inha só assiste a tudo/ Foto: Glaucia Paulino/Divulgação
Prefeitura de Mogi das Cruzes

Milhares de moradores de Ferraz de Vasconcelos assistiram a 1ª série de reportagens produzidas pelo Jornal Oi e postadas/publicadas no site e no Facebook com denúncias sobre a destruição imposta a cidade por políticos e governos municipais corruptos, medíocres ou extremamente incompetentes.

O Oi abriu a primeira série de reportagens denunciado o inaceitável e incompreensível descaso do governo do prefeito Zé Biruta em relação a destruição do prédio público onde funcionou a Etec até o final de 2017.

Esse prédio foi inaugurado em 2007 pelo ex-prefeito Jorge Abissamra, sendo que o atual prefeito apenas assistiu aos atos de vandalismo, aos furtos e depredações praticados contra o patrimônio da cidade. O Oi também denunciou o descaso do atual governo em relação ao Centro de Convenções fantasma que foi totalmente interditado pela prefeitura no início deste ano.

A partir dessa primeira série de denúncias, diversos moradores e lideranças políticas de Ferraz entraram em contato com a reportagem para denunciar outros atos de omissão e de irresponsabilidade do atual governo municipal que sequer tem coragem para responder aos questionamentos feitos pela reportagem do Oi.

Faz três meses que o Oi convidou o prefeito Biruta e seu assessor Fernando para uma entrevista ao vivo, o que seria uma grande oportunidade de o prefeito prestar contas ao povo.

Biruta prefere ficar dentro do seu gabinete. Nessa quarta-feira o Oi encaminhou ao assessor do prefeito uma série de perguntas sobre os problemas da cidade, mas o governo não se manifestou até o fechamento dessa edição. Por seu lado, a presidência da Câmara que está sob o comando do vereador Inha, parece assistir ao espetáculo da incompetência promovida pelo atual governo em prejuízo de toda a cidade e do povo.