Tragédia no Flamengo: fogo que matou 10 pode ter começado com explosão no ar-condicionado
Os bombeiros informaram que vão aguardar a perícia para se pronunciar. Quatro corpos já foram retirados do local/Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Na madrugada dessa sexta-feira, 8, um incêndio atingiu o Ninho do Urubu, Centro de Treinamento do Flamengo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O incêndio deixou 10 mortos e 3 feridos – Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos; Francisco Diogo Bento Alves, 15; e Jonathan Cruz Ventura, 15.

Relatos de jogadores de base do Flamengo que sobreviveram ao incêndio no Centro de Treinamento George Helal, mais conhecido como Ninho do Urubu, em Vargem Grande, na zona oeste do Rio, dão conta que minutos antes de o fogo começar houve uma explosão no ar condicionado, uma espécie de curto-circuito. Ainda de acordo com o que foi passado por esses atletas, o fogo teria se alastrado muito rapidamente.

A Polícia Civil já está no local, mas não informou oficialmente a causa do incêndio. Os bombeiros informaram que vão aguardar a perícia para se pronunciar. Quatro corpos já foram retirados do local.

As informações ainda são desencontradas. “É difícil dizer, mas a princípio teria sido um ar-condicionado e saber das causas para que o ar condicionado tenha pegado fogo são as perguntas a serem respondidas agora”, disse Claudio Castro, que preferiu ser cauteloso sobre o que poderia ter feito o ar condicionado pegado fogo.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, Roberto Robadey, afirmou que o Ninho do Urubu não tem os laudos de autorização da corporação. Robadey chamou o local de “puxadinho”.

“Não é exclusividade desse local. Mas as pessoas às vezes aprovam uma planta, aí quando vai ver resolve fazer puxadinho. Aumentar. A gente lamenta que as pessoas não possam fazer um planejamento adequado. É um ato final. Existe todo um procedimento”, afirmou, em entrevista à rádio BandNews.

Pelo menos dez pessoas morreram no incêndio e três ficaram feridas. Elas estavam no alojamento dos times de base do Flamengo, uma estrutura provisória, feita de contêineres. O fogo começou por volta das 5 horas da manhã.

Os nomes de todos os mortos ainda não foram divulgados. O secretário estadual de Esportes, Felipe Bornier, e o vice-governador do Rio de Janeiro, Cláudio Bomfim de Castro e Silva, estão no CT e confirmaram que o governo estadual decretou luto oficial de três dias. O vice-governador também informou que entre os mortos há funcionários do Flamengo.

Diversos clubes brasileiros já se manifestaram sobre o ocorrido, prestando solidariedade aos atletas e seus familiares. Eram garotos de 14 a 17 anos. Jogadores como Vinicius Junior e Lucas Paquetá, ambos ex-Flamengo, também demonstraram preocupação com o fato. Assim como Felipe Vizeu, atacante que também foi da base.

A Federação Carioca de Futebol anunciou, por meio de seu Twitter, que convocará os representantes de Flamengo e Fluminense para acertarem o adiamento do jogo válido pela semifinal da Taça Guanabara, que aconteceria neste sábado. Os profissionais do Flamengo também se mostraram solidários aos familiares que perderam seus filhos. O time de Abel Braga trabalha diariamente no mesmo CT.